Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
>> Usuário não cadastrado <<
quarta-feira,
18 de janeiro de 2017
Atualizado em: 04/01/2017
     
Fraudes no Comércio, C.D.C. e B2B
Exemplos e dicas sobre Identidades falsas ou adulteradas




A Lei 7.116 de 29/08/1983 regulamentada pelo Decreto 89.250 de 27/12/1983 e sucessivamente pelo Decreto 2.170 de 04/03/1997, determina as características das cédulas de identidade em uso no Brasil.
A mesma Lei, infelizmente, determina que os documentos anteriores a esta data continuariam a ter validade, o que significa que ainda existem documentos antigos totalmente não padronizados, e quase impossíveis de serem verificados, emitidos pelos estados e que continuam tendo valor legal.
De forma geral a Lei 7.116/83 introduziu melhoras em relação a situação anterior, mas deixou de aproveitar a oportunidade para criar um sistema eficaz, seguro e moderno de identificação nacional.
As duas principais medidas que seriam necessárias para chegar a um sistema de identificação moderno e mais seguro seriam a federalização e unificação dos documentos de identidade, num único padrão de emissão e com um registro centralizado em nível federal, e a introdução de um prazo de validade para os documentos.
Por esta razão hoje o documento mais seguro e de melhor qualidade para identificação, entre os de grande difusão, é a CNH (Carteira Nacional de Habilitação), que tem um modelo unificado com registro centralizado e prazo de validade.

Nesta página reportamos alguns exemplos práticos de quanto facilmente são adulteradas, clonadas ou falsificadas Cédulas de Identidade (RGs), em boa parte graças às muitas falhas deixadas em aberto pela lei acima mencionada. Também fornecemos algumas dicas sobre como identificar RGs falsos.

Neste falso, de São Paulo, os golpistas utilizaram um espelho falso com muitos detalhes falhos. Além disso, entre os outros erros de falsificação, esqueceram de por o dígito no número, quando em SP sempre existe o dígito.

Neste falso, de São Paulo, os golpistas utilizaram um espelho verdadeiro (roubado) mas, entre os outros defeitos, erraram muitos detalhes no preenchimento do documento, formatação, tipo de caracteres etc...

Neste falso, de São Paulo, os golpistas utilizaram um espelho falso e, entre os outros erros de falsificação, esqueceram de por o dígito no número.

Neste falso, de Pernambuco, os golpistas, entre os outros erros de falsificação, colocaram o dígito no número, quando em Pernambuco os números de RG não tem dígito.

Os documentos de cada estado tem suas peculiaridades, no que diz respeito ao formato, dados e modalidades de preenchimento. Uma consultoria eficiente pode facilmente desmascarar muitos documentos falsos simplesmente analisando os dados neles escritos e as demais características físicas. Por isso se aconselha, nos casos sensíveis, de contratar os serviços de formação, validação e assistência de empresas ou entidades especializadas neste setor.

Neste site existe ainda uma seção específica dedicada a Validação de Documentos, com dicas, informações e ferramentas exclusivas de validação on-line. Aconselhamos uma visita.

Fontes: Autor, Colaboradores, Consultorias, Mercado
CAPÍTULO  Anterior -  Próximo


Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal