Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
quarta-feira,
22 de outubro de 2014
Atualizado em: 22/02/2014
     
Pequenos Golpes Populares
Golpe das três tampinhas

Alavancas: Ganância, Ingenuidade e Escassa Atenção



Trata-se de um golpe clássico, antigo e difuso no mundo inteiro com relativamente poucas variantes.
O golpe acontece na rua, normalmente em regiões de grande movimento, e tem a aparência e o atrativo de um simples jogo de “azar” onde é supostamente fácil ganhar. No jogo tem uma mesinha (às vezes uma caixa de papelão) com em cima três tampinhas e uma bolinha. As tampinhas são movimentadas continuamente por um dos golpistas e debaixo de uma delas está, ou deveria estar, a bolinha. O jogo consiste em adivinhar debaixo de qual tampinha está a bolinha apostando um determinado valor que, segundo as supostas regras, será perdido ou dobrado dependendo se errar ou acertar.

Na realidade o golpe é sempre conduzido por uma quadrilha composta de várias pessoas, cada uma com uma função bem específica e cujo objetivo final é pegar o dinheiro dos incautos que participarem do “jogo” achando que seja fácil ganhar uma grana extra com isso.

O golpista que conduz o jogo normalmente é muito hábil e rápido no manuseio das tampinhas e da bolinha e facilmente esconderá bem a mesma, ficará com ela nas mãos sem ser visto ou movimentará no último momento as tampinhas de forma que o apostador perca. O objetivo, porém, é incentivar o jogador a apostar o maximo possível para conseguir tirar dele todo o dinheiro. Por isso, se necessário, podem fazer ele ganhar algumas vezes para incentiva-lo a continuar nas apostas.
No fim, mesmo nos poucos casos em que o apostador realmente consiga acertar, os cúmplices da quadrilha darão um jeito de pegar o dinheiro dele criando uma confusão qualquer (por exemplo gritando “polícia” ou simulando uma briga... etc.) no meio da qual o dinheiro da aposta desaparecerá. Qualquer tentativa de reação ou contestação será abafada afastando a força o “perdedor” da roda e eventualmente usando ameaças de vário tipo e grau.

As figuras que participam normalmente deste golpes são as seguintes:

O operador: aquele que conduz o jogo, movimenta a bolinha e as tampinhas, aceita e supostamente paga as apostas. Ele aparece estar sozinho no jogo, apesar de ser cercado por seus comparsas.

Os apostadores: muitas vezes mulheres com bolsas de compras (aparentando ser donas de casa voltando do mercado) ou supostos trabalhadores de passagem, sempre com aspecto de "popular" mas com trajes limpos. A função deles é criar movimento em torno do jogo atraindo as vítimas e mostrando, ao fazer falsas apostas ganhadoras, que é fácil ganhar muito dinheiro. Às vezes incitam os apostadores dando dicas e/ou sugestões. Envolver as vítimas fazendo elas participarem das falsas apostas é uma das estratégias mais usadas, por exemplo pedindo que segurem a "tampinha certa" enquanto pegam o dinheiro da aposta (que obviamente será ganha).

Os capangas: pessoas que estão por perto, incitam os apostadores (verdadeiros ou falsos) e fingem estar interessados na evolução do jogo, mas sem fazer apostas. Na realidade a função deles é a de criar a confusão, quando necessário para pegar o dinheiro da vítima, e afastar com a força todos que reclamarem ou ameaçarem o funcionamento do jogo.

Os olheiros: são aqueles que ficam nas redondezas do lugar onde acontece o jogo, em posições estratégicas para alertar quando a polícia se aproximar ou aparecer qualquer possível perigo. Também podem acabar ajudando os capangas em suas funções.

Caso apareça a polícia toda a quadrilha e os objetos usados no jogo desaparecerão em segundos, sem que seja possível saber quem é quem e pra onde foram as coisas (inclusive o dinheiro). Toda a quadrilha é organizada e treinada para oferecer amparo e cobertura para o operador e para os demais integrantes mais “a risco”.

Veja um exemplo “didático” de como funciona o jogo das tampinhas no vídeo que aparece CLICANDO AQUI.

Alguns chamam este golpe como do "Achadinho", termo que para nos é mais apropriado como alternativa para definir o golpe do paco.
CAPÍTULO  Anterior -  Próximo


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2014 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal