Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
segunda-feira,
5 de dezembro de 2016
Atualizado em: 19/11/2016
     
Fraudes Financeiras e Comerciais
Operações com títulos super valorizados

Alavancas: Ignorância Técnica, Ganância, Ingenuidade, Irracionalidade



Existe uma categoria inteira de golpes envolvendo títulos que, através de artimanhas e desculpas mais ou menos fundamentadas, são oferecidos por um valor muito acima do real valor de mercado deles.
Se trata normalmente de debêntures ou ações que freqüentemente passaram por processos de “split” ao longo do tempo ou estão sendo normalmente negociadas em “lotes” em vez que por unidade. Quase sempre são títulos pouco conhecidos, mesmo que eventualmente emitidos por companhias de renome, e que ou tem negociação escassa (sempre em mercado secundário) ou tiveram um curso muito movimentado e/ou pouco claro ou pouco documentado, desde a sua emissão.
O objetivo dos golpistas é sempre conseguir vender os títulos para a vítima por um valor muito acima do real.
Para convencer a vítima quanto a “bondade” do negócio eles usam normalmente uma ou mais das seguintes “artimanhas”:
  1. Apresentar laudos de avaliação, normalmente assinados por algum cúmplice ou pessoa de poucos escrúpulos ou competência, onde os títulos em questão são fortemente valorizados através de colocações falhas ou falsas.
  2. Apresentar os títulos com a relativa cotação oficial, omitindo que se trata de cotação para um lote de títulos (por exemplo 100) e deixando entender que o valor indicado é por cada titulo.
  3. Apresentar supostas ofertas de compra dos títulos por valores muito acima do valor de mercado deles, tentando assim re-definir o valor dos títulos como próximo daquele patamar, mostrando, assim, que existe uma oportunidade "real" de ganhar dinheiro rapidamente.
  4. Apresentar supostos negócios ou operações vantajosas que possam ser realizadas com estes títulos, por exemplo financiamentos (usando os mesmos como lastro), aplicações, programas de investimento (Roll Programs), operações fiscais ou de caucionamento de dívidas etc...
É bastante comum ver títulos deste tipo sendo oferecidos por um valor entre 10 e 100 vezes o real valor de mercado.

Neste golpes são muito utilizadas as famosas “Debêntures da Vale do Rio Doce” (CVRD). Emitidas em 1997 e distribuídas aos acionistas em razão de uma por cada ação possuída na época, estas debêntures não são conversíveis em ações e, diferentemente do que alegam a maioria dos golpistas, seu valor não é equivalente nem atrelado ao das ações da mesma empresa. Pelo contrario, estes títulos, desde 2002, são negociados de forma independente no mercado secundário através do SND (Sistema Nacional de Debêntures) e sob administração e operacionalização da ANDIMA e da CETIP. A cotação destas (e de outras) debêntures pode ser verificada através do site www.debentures.com.br.
Outros títulos usados com certa freqüencia são as ações de "Furnas" de vários tipos.

Existe ainda uma categoria de variantes bastante perigosas deste golpe, onde os títulos em questão são usados, de forma fraudulenta, para pagamento de dívidas na justiça. Isso através de laudos falsos e outros esquemas para conseguir uma sentença favorável.
Neste casos os golpistas (muitas vezes ligados a advogados de poucos escrúpulos) contatam pessoas com dívidas oriundas de financiamentos se propondo para quitar a dívida em troca de um determinado valor. Em outros casos "contratam" laranjas de pouca posse para que estes façam financiamentos de vários tipos que depois não serão pagos e finalmente serão resolvidos na justiça através da dação em pagamento, fraudulenta, de títulos super valorizados.
CAPÍTULO  Anterior


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal