Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
segunda-feira,
5 de dezembro de 2016
Atualizado em: 19/11/2016
   
Fraudes Financeiras e Comerciais
Os "papéis" de bancos (promissory notes, BGs, SKs, ICDs…)

Alavancas: Gostinho do "Misterioso/Exclusivo", Ganância, Ignorância Técnica, Necessidade



Este tipo de proposta tem normalmente como objetivo atrair um investidor desfrutando a comum ignorância e os mitos sobre os "mistérios" das transações e operações financeiras efetuadas pelos bancos.
O intermediário costuma oferecer altos rendimentos (acima de 20% ao ano chegando, às vezes, acima de 150%) com um investimento supostamente "seguro" que aproveitaria instrumentos exclusivos e de médio/curto prazo, típicos (segundo ele) dos grandes bancos internacionais. Em alguns casos o investimento exploraria situações excepcionais em alguns bancos (como fundos bloqueados que, porém, poderiam ser usados pra emitir BGs). Em outros casos desfrutaria descontos ou condições particulares na liberação de garantias, cartas de crédito ou outros instrumentos (muito usadas também as MTN - Medium Term Notes) que supostamente poderiam depois ser "negociadas" com lucro no mercado. Freqüentemente, para realizar o investimento, é preciso um depósito numa conta no exterior e uma procuração especial para alguém executar estas operações junto aos bancos. Isso tudo é mentira e o dinheiro simplesmente será "perdido" integralmente.

Uma variante comum no Brasil (que explora a carência e a fome de financiamentos externos) é a promessa (obviamente falsa e fraudulenta) de conseguir capital de giro ou outros financiamentos através de alguma fantasiosa operação envolvendo este tipo de "instrumentos". Muito comum é a oferta de supostas linhas de financiamento que exigem a apresentação de uma BG (Bank Guarantee - Garantia Bancária) para liberação dos fundos. Neste caso o objetivo do golpe é fazer a vítima pagar algum "custo" por alguma suposta razão (a desculpa dos golpistas), ou para adquirir os "instrumentos", tudo obviamente antes de ver o suposto dinheiro do financiamento...

Nenhum banco sabe nada sobre boa parte destes fantasmáticos instrumentos que são gerados e usados só no mundo mirabolante dos fraudadores. Alguns destes instrumentos realmente existem, mas com características, modalidades de emissão e usos totalmente diferentes dos propostos ou sugeridos. Se você ouvir algum dos seguintes termos, ou outros parecidos, sobretudo em relação à propostas de operações de financiamento ou aplicação, saiba que existe uma grande chance (se não a certeza) que estejam tentando uma fraude: "prime bank note / instrument / debentures / guarantees / letters of credit / MTN", "certified bank invoice/note", "fiduciary bank", "safekeeping", "certified draft", "one year and one day"...

Um caso a parte é representado pelos "Certificados Internacionais de Depósito" (International Certificate of Deposit, ou ICD), normalmente com valores de várias dezenas ou centenas de milhões de dólares, supostamente emitidos por grandes e seriíssimos bancos internacionais (tipo: J.P.Morgan, Bank of America, Citibank, Credit Suisse, UBS, ABN AMRO etc...) que são propostos com várias desculpas. Já vi, também, casos envolvendo o nome de bancos menores e menos internacionais, como o "Banco de la Nacion Argentina", e com valores menores (na casa de 1 a 5 milhões de USD), mas sempre dentro do mesmo esquema geral de golpe.

Na maioria dos casos a proposta básica é negociar estes documentos com um deságio, em função de alguma suposta urgência em ter liquidez.
Já registrei casos nos quais os golpistas alegavam ter conseguido viabilizar ótimas operações com estes papeis, sobretudo com safekeepings, e estarem prestes a receber uma "bolada". Neste caso eles contavam ter ficado sem liquidez por causa dos custos envolvidos com a operação, e solicitavam então um "pequeno" adiantamento (50-100 mil USD), necessário pra terminar algum processo ou fazer alguma viagem, se disponibilizando a pagar juros ou comissões/participações altas na hora, iminente, do recebimento da tal "bolada".
Já relataram, também, casos nos quais estes documentos foram ofertados como lastro/garantia para financiamentos ou em outros tipos de operações financeiras, inclusive para deixar mais acreditáveis histórias relativas a "Roll Programs" ou "HYIP" (veja seção a respeito neste site), ou até como sinal em operaçõs de "aquisição" de empresas. É importante saber que estes documentos são, quase sempre, falsos completos ou no mínimo forjados a partir de modelos autênticos.

Muito comum, nestes últimos casos, o envolvimento do nome da Euroclear e de outras grandes e respeitáveis instituições como supostas custodiantes e avalizadoras destes falsos "instrumentos".
O conselho é sempre de não entrar em operações, sobretudo internacionais, envolvendo papéis deste tipo, ou, de forma geral, instrumentos não conhecidos com profundidade, sem ter o aval e acompanhamento profissional de alguém competente, independente e de total confiança.
CAPÍTULO  Próximo
Próxima  Última 


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal