Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
sábado,
3 de dezembro de 2016
Atualizado em: 19/11/2016
     
Negócios Furados e Perdas de Tempo
Os Créditos Fiscais para venda




Créditos de IPI, créditos de ICMS de vários estados, créditos do INSS, créditos das "cotas de contribuição de café", créditos do IAA (Instituto do Açúcar e do Álcool), créditos de ressarcimentos judiciais, TRF (Títulos de Recuperação Fiscal), títulos ou créditos oriundos de fundos compulsórios, e outros tipos de créditos fiscais são freqüentemente negociados entre as empresas.

Estes créditos muitas vezes são válidos e os negócios podem ser consistentes e reais ... o problema é que existe toda uma categoria de "intermediários" que apresenta tais créditos para venda e depois, na hora do "vamos ver", os créditos não aparecem ou tem características bem diferentes das inicialmente informadas ou tem um preço diferente ou ... ou ... ou !!

O meu conselho é conduzir tais negócios só e exclusivamente com os titulares dos créditos ou no máximo com os advogados ou procuradores (devidamente identificados e qualificados) deles.
Outras classes de intermediários, não qualificados ou sem referências suficientes, devem ser descartados a não ser que produzam previamente provas muito concretas da existência e consistência do que declaram e se comprometam de forma forte e irrevogável (por escrito e prevendo multas por descumprimento contratual) a manter o combinado.

Também é fundamental que este tipo de operações fiscais sejam acompanhadas por um advogado tributarista de sua confiança, para poder avaliar a real possibilidade de se utilizarem, da forma pretendida, os créditos propostos.
CAPÍTULO  Anterior -  Próximo


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal