Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
terça-feira,
6 de dezembro de 2016
Atualizado em: 19/11/2016
   
Pequenos Golpes Populares
Falsa "Recolocação" e outros golpes contra desempregados

Alavancas: Necessidade, Ingenuidade e Escassa Atenção, Ignorância Legal e Operacional, Ganância



Falsa Recolocação e falsas empresas ou Agências de RH

Já recebi inúmeras denúncias de golpes deste tipo, aí foi testar pessoalmente aceitando alguns destes convites.

Em síntese, esta já clássica fraude contra desempregados, funciona assim. Empresas malandras (ou às vezes empresas inexistentes), que se intitulam como empresas de "recolocação", de "recursos humanos", de "seleção" ou de "hunting", entram em contato com um desempregado ou alguém que tenha publicado o próprio currículo na internet ou em outros lugares de acesso público.
Eles pegam o currículo onde foi publicado, ligam pro candidato e propõem uma vaga muito interessante.

Normalmente o papo é algo do tipo: "bom dia ... nos recebemos o seu currículo e estamos ligando porque temos uma vaga perfeita pro seu perfil em alguma multinacional ou grande empresa, com salário alto, benefícios, plano de carreira etc..., interessa ?" ... às vezes contam que foi a própria suposta empresa contratante quem passou o seu currículo pra eles ... e aí iniciam as variantes:
  1. Eles convocam o candidato para um colóquio e aí se manifestam como intermediários ou "Empresas de RH" e dizem que foi feita uma pré-seleção e a vaga praticamente já é do candidato mas para isso ele tem que pagar os custos do serviço de recolocação adiantados, ou às vezes uma parte do custo de "hunting" que normalmente empresa contratante deveria pagar (algo entre 1.000 e 3.000 R$ ou de 20% a 30% dos primeiros 2-3 salários, normalmente). Obviamente não tem vaga nenhuma, nenhum serviço efetivo será prestado e o dinheiro será perdido.
  2. Eles convocam o candidato (se apresentando como selecionadores ou empresa de RH do contratante) com urgência e dizem que ele tem grande chance em função de seu currículo (muitas vezes, pra animar mais, dizem que a vaga praticamente já é do candidato faltando apenas detalhes). Para ir em frente no processo de seleção, e conseguir a vaga, a empresa pede um teste psicológico (ou IFP - Inventário Fatorial de Personalidade) que tem que ser pago adiantado (algo entre 250 e 3.000 R$, normalmente), ou precisa reformular o curriculum etc ... Você paga mas não vai ganhar a vaga, simplesmente porque ela não existe.
  3. Eles convocam o candidato para uma seleção para uma vaga atraente e, depois, declaram que na realidade a vaga é de outro tipo bem menos atraente. Às vezes solicitam até o pagamento de valores adiantados para o acesso à vaga ou para a aquisição ou locação de kits, ferramenta e outros materiais "de trabalho". O intuito, neste segundo caso, quase sempre é ficar com o adiantamento pois não existe trabalho algum.
  4. Através de anúncios convocam candidatos para uma seleção. Na seleção os candidatos são selecionados mas a "contratação" fica condicionada à realização de algum tipo de trabalho ou serviço de graça. Em muitos casos fica condicionado a realização de vendas de um certo valor de determinados produtos ou serviços da empresa. Em outros casos estes trabalhos, serviços ou vendas não remuneradas, são apresentados como um "teste" para uma eventual futura contratação. Na realidade não existe vaga alguma, o candidato nunca será contratado e o objetivo é só conseguir que trabalhe de graça durante algum tempo ou que venda, sem remuneração, alguns produtos no seu círculo de amigos e familiares.
O sistema mais utilizado para angariar clientes, ou melhor vítimas, é o de vislumbrar, prometer ou garantir uma vaga maravilhosa, dizendo que já está praticamente na mão, confirmada ... com isso na cabeça, o candidato, sobretudo o desempregado, desesperado por uma vaga, perde objetividade, fica vulnerável e faz qualquer coisa.
Para conseguir o pagamento no ato (ou seja na emoção) oferecem todo tipo de facilidade, parcelamento do valor, pagamento no cartão e até negociam os valores oferecendo "descontos" quando percebem que o valor cobrado excede a capacidade da vítima. Eles sabem que se a vítima sair sem ter pago nada, muito provavelmente ela procurará informações ou conselhos e descobrirá tudo. Por isso o pagamento tem que ser na hora, na emoção, sem chances de se consultar com ninguém. Qualquer pressão ou meio pra conseguir isso vale para os golpistas.

Existem numerosas outras variantes. De forma geral, estas duvidosas empresas de RH visam receber dinheiro ou vantagens em troca de supostos serviços de seleção ou recolocação, mas na realidade não prestam estes serviços e, muitas vezes, nem tem condição de faze-lo.

Tome sempre grande cuidado para verificar se a empresa de recolocação ou seleção é uma empresa idônea (por exemplo consultando a ABRH - Associação Brasileira de Recursos Humanos) e com referências imaculadas e desconfie sempre de propostas, promessas ou vagas "maravilhosas", assim como de propostas pouco transparentes.

Como regra geral vale lembrar que quando uma empresa procura um funcionário numa operação de "hunting" ambas as partes tem direito a receber informações. Ou seja, como a empresa justamente pede informações sobre o candidato, este também pode pedir informações sobre a empresa.
Quando um selecionador diz que foi pré-selecionado e que a vaga é praticamente sua (ou seja que o candidato se encontra, supostamente, em uma fase bem avançada da seleção), mas não quer informar qual seria a empresa contratante, a chance é muito grande que não exista nenhuma empresa contratante e seja tudo conversa fiada.
O mesmo vale quando dizem que a vaga é praticamente sua, mas para conseguir finalizar o processo você precisa desembolsar qualquer quantia adiantada, para serviços, testes, remunerações ou qualquer outro tipo de desculpa.

Também não julguem pelas aparências, algumas destas empresas de "recolocação" malandras tem lindas e modernas instalações, nome aparentemente internacional e funcionários aparentemente profissionais e muito bem treinados para aplicar o golpe.

Falsas Agências de Modelos

Uma variante bastante freqüente deste golpe é aos danos de candidatas e candidatos à profissão de modelo.
Existem numerosas agências ou supostas agências que publicam anúncios nos jornais e na internet convidando a participar de seleções. Você liga, marca um encontro, eles conversam, pedem um currículo e algumas fotos, ou conforme for tiram umas fotos suas aí na hora.
Depois informam que entrarão em contato quando tiverem uma posição. Dias depois ligam falando que passou na pré-seleçao, ou algo deste tipo, e que agora precisa fazer um book profissional para ter chances de finalmente entrar no seleto mundo, arrumar trabalhos de bom nível e ganhar bastante dinheiro. O book tem que ser no padrão da agência, por isso só eles (ou algum fotógrafo conveniado) podem fazer. Para fazer isso, obviamente, tem um custo variável de 150 até 500 ou mais R$. Você faz o book, na esperança de ser a próxima Gisele Bündchen, e ... nada de trabalhos. Vão dizer que não foi bem aceita pelos clientes ou algo parecido. O único objetivo era obviamente pegar o dinheiro do book ...

Uma variante ainda mais cruel deste mesmo golpe é aos danos das jovens mães (e pais) que sonham em ver seus lindos filhotes atuando como modelos. O golpe é o mesmo e as técnicas psicológicas também.

Certas agências deste tipo usam com bastante freqüência a tática de informar que já existe trabalho pronto e garantido esperando o/a modelo, mas que isso depende da confecção do book nos padrões da agência, com pagamento adiantado. Este tipo de afirmação normalmente confirma a pouca seriedade da agência e deve ser considerado um alerta de "tentativa de fraude".
Vamos raciocinar um pouco, se o trabalho já ta garantido então alguém já viu e aprovou o/a modelo, portanto não precisa de book para aquele trabalho. E sobretudo, mesmo que por absurdo fazer o book seja política da agência, já que o trabalho e relativo pagamento estão garantidos, porque eles não podem adiantar os custos do book e deduzir do pagamento iminente ??

Agência séria, que acredita em você (ou no seu filho) como modelo, faz o book as suas custas ou aceita inicialmente um book feito por sua conta particular e não insiste para que seja o book deles. Alternativamente irá fazer o book deduzindo os eventuais custos dos valores pagos para os primeiros trabalhos.

Outras modalidade de golpe contra desempregados

Existe ainda uma longa serie de pequenos golpes contra desempregados, muitas vezes através de anúncios em jornais, onde são prometidos trabalhos de vários tipo e na hora do contato é solicitado o pagamento de alguma taxa para kits "de trabalho" ou custos de outra natureza (postais, administrativos, comerciais, de seguro, trabalhistas, legais etc...) entre 50 e 300 R$.
Outras variantes comuns são as propostas via internet, apresentadas através de e-mails ou sites mirabolantes, muitas vezes do tipo "trabalhe em casa", outras vezes para supostos trabalhos como “consultor”, “empresário” etc... nestas propostas, normalmente, a única finalidade é convencer a pessoas a pagar “taxas de adesão” ou vender pro incauto “kits”, DVDs, CDs, "treinamentos", livros ou outros produtos deste tipo, tudo supostamente indispensável para ter acesso à “maravilhosa oportunidade” e poder "trabalhar".
Uma vez paga a "taxinha", ou adquirido o "kit" ou "DVD", se descobre que o trabalho não é nada daquilo que parecia, muitas vezes chegam kits sobre como vender alguma coisa de casa, outras vezes sobre como fazer SPAM usando o computador ou como manter uma loja virtual para supostamente vender qualquer coisa, outra vezes ainda o kit contém instruções sobre como vender outros kits iguais (ou seja nada) para outras vítimas ganhando comissão por isso (SIC !)... e, por fim, em muitos casos simplesmente não chega nada e os golpistas desaparecem !!
Já foram registrados até sistemas via internet que funcionam com esta "lógica" ou seja propõem supostos trabalhos contra pagamento de uma taxa, o trabalho consiste em conseguir outras pessoas que paguem uma taxa para saber de que trabalho se trata (tudo via internet)!! Uma nova espécie de corrente furada virtual.

Falsos trabalhos com empresas do Exterior

Por fim vale mencionar uma safra constante de falsas ofertas de trabalho vindo do exterior e que já foram brevemente mencionadas em outro capítulo deste site. Se trata de ofertas recebidas via e-mail, quase sempre em língua inglesa, supostamente vindo de empresas ou entidades sérias que alegam precisar de um representante, agente ou responsável local para administrar clientes e contatos no país. A função principal deste colaborador deveria ser receber pagamentos de clientes e repassar os mesmos para a tal empresa, deduzindo suas comissões e ganhos. Apresentam a possibilidade de ganhar valores expressivos, entre 2 e 5 mil USD, com uma carga de trabalho na casa das 2 horas diárias.
Na realidade se trata de um golpe cruel pois quem entra em contato com os "candidatos" não são empresas mas sim golpistas (normalmente africanos) que querem usar as contas “limpas” destas pessoas, os “agentes”, para receber o dinheiro dos golpes deles (todos variantes da carta da Nigéria ou do golpe da loteria, vejam os capítulos relativos) localmente, facilitando assim o pagamento para suas vitimas e fazendo perder o rastro. O problema sobrará para o tal “agente” que, mesmo se em boa fé, recebeu em sua conta pessoal dinheiro objeto de um estelionato e o repassou para terceiros usando sistemas como Western Union ou Moneygram. Ele será facilmente encontrado, considerado cúmplice dos estelionatários e responsabilizado criminalmente e civilmente. Tomem muito cuidado.

Vale ainda a pena mencionar um outro golpe envolvendo "empregos no exterior" já descrito em outro capítulo. Vejam acessando esta página.
CAPÍTULO  Anterior -  Próximo
Próxima  Última 


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal