Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
sexta-feira,
9 de dezembro de 2016
Atualizado em: 19/11/2016
Monitor das Fraudes
Artigos e Trabalhos Acadêmicos externos



Ação Indenizatória: a Indústria vai bem, obrigado.

Autor: Nelson Magno Alves

Crise ? Que crise ?......

Um segmento vem florescendo com índices invejáveis até para as consideradas grandes, bem instaladas e geridas empresas nacionais.
Instalou-se nos escritórios jurídicos de todo o Brasil uma verdadeira “indústria” de ações contrárias às Instituições Financeiras contestando financiamentos fraudulentos e outros nem tanto, que abarrotam todos os “ON’s” possíveis e imagináveis: Procon’s, Decon’s, etc., desaguando feito poderosa enxurrada no Poder Judiciário.
Com o firme e louvável objetivo de aplacar a insaciável sede de justiça e, por tabela e mera consequência, também obter a justa reparação “remuneratória” ao bom nome injuriado, a honra ofendida e a proteção do bem maior.
Os números revelam que a ferramenta jurídica da ação indenizatória com base no dano moral vem sendo largamente utilizada.
Infelizmente não se pode dizer que todas as ações visam corrigir a situação distorcida, visto que sua origem é viciada no nascedouro.
Espertalhões encontraram campo fértil nesse tipo de Fraude e se aproveitam da difundida e vitoriosa ação nos Tribunais para engordar seus bolsos.
Às custas do trabalho digno de profissionais da advocacia, órgãos públicos de defesa do consumidor e do Judiciário.
Resumindo: às custas da Lei.
Todos reféns de sua origem, seu juramento, sua natureza constitucional, atendem aos reclamos da população ferida “em tese”, em direitos fundamentais.
É difícil, mesmo impossível, separar o joio do trigo.
Uma tênue luz se observa no fim do túnel.
O enriquecimento ilícito se tornou uma das últimas barreiras, quiçá, o “último Moicano” utilizado para barrar o apetite voraz dos mal intencionados.
Por causa da exceção, o veredicto mínimo esta virando regra.

“nom omne quod “pouco” licet “muito menos” honestum est”.

Direito garantido, mas passível de uma boa reflexão.


Nelson Magno Alves é coordenador na área de Anti Fraude do escritório Magno Advogados Associados e Magno Serviços de Cobrança em SP/SP.

Contato com o autor: nelson(ARROBA)magnoadvogados.com.br
O texto acima publicado é de exclusiva responsabilidade do respectivo autor. Os administradores do site não se responsabilizam pelo conteudo e teor deste texto que não reflite necessariamente as opiniões do site.


Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal