Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Buscas no Site
Buscar
Em     
terça-feira,
6 de dezembro de 2016
Atualizado em: 19/11/2016
Monitor das Fraudes
Fórum de Discussão e Alertas


Veja abaixo as experiências, denúncias e comentários publicados até agora

NOTAS: Os endereços de email publicados nesta página têm o "@" automaticamente substituído por "(ARROBA)" para limitar a possibilidade de uso dos mesmos por parte de "Spammers".
O autor, os colaboradores e os administradores do site não avalizam de forma alguma o conteúdo e teor das mensagens deixadas neste fórum que são, portanto, de exclusiva responsabilidade de quem, livremente, as escreveu.
Este fórum é um lugar para pessoas responsáveis. Leia as regras do fórum para conhecer os mecanismos de controle e defesa, antes de deixar uma mensagem ou se achar que está sendo injustiçado.


Para publicar sua experiência ou comentário clique AQUI.



Publicado no dia: 10/02/2006 às: 00:00
** MENSAGEM EDITADA POR NÃO RESPEITAR AS REGRAS DO FÓRUM **
Nome:  MAFIA ARAÇATUBA BXXXX
Cidade/País:  ARAÇABUTA
E-mail:  
Assunto:  MAFIA ARAÇATUBA BXXXX - AXXXX
Comentário:  
Razão Social: XXXXXXX ME
CNPJ: XXXXXXX/0001-XX

Responsável: AXXXXX
Endereço: Rua RXXXX PXXX, XX MXXXXX dos NXXX - Araçatuba/SP
CEP: XXXXX-080
Telefones: (18) XXXX.XXXX
E-mail: contato(ARROBA)XXXXX.com.br
http://www.XXXXX.com.br


Publicado no dia: 10/02/2006 às: 00:00
Nome:  Cássia Patricia Guimarães
Cidade/País:  Gravataí
E-mail:  cassiaguimaraes(ARROBA)pop.com.br
Assunto:  fui encanada
Comentário:  
Fiz um consorcio quer dizer sistema associativo na aliancers, e fui passada para traz quando a gente liga pra lá eles dizem que vai pegar o carro no outro mês e nada faz 3 meses que paguei e não tirei dei 662,00 de entrada e eles só pegaram todo meu decimo terceiro esses bandos de falcatruas agora vou lutar na justiça para recuperar oque paguei, oque perdi, o problema é que assinei o contrato alguem por favor pode me ajudar.....?????????

Publicado no dia: 10/02/2006 às: 00:00
** MENSAGEM EDITADA POR NÃO RESPEITAR AS REGRAS DO FÓRUM **
Nome:  rudy
Cidade/País:  sao paulo
E-mail:  
Assunto:  MAFIA ARAÇATUBA
Comentário:  
CUIDADO! DA EMPRESA XXXXX.COM.BR TAMBÉM DE ARAÇATUBA ELA PEGOU O DINHEIRO DE MUITA GENTE E NÃO MANDOU O PRODUTO O DONO DA EMPRESA É UM TAL DE:

AXXXXX RXXXXX RXXXXX - CPF XXXXXXX-24 NASCIDO EM XX/03/19XX É LARANJA SÓ TEM 22 ANOS....GENTE É UMA ROUBADA.

ELE TEM MAIS DE 30 CHEQUES DEVOLVIDOS A EMPRESA TEM MAIS UNS 30.

O CELULAR É(18) XXXX-XX11 OS TELEFONES DA LOJA NÃO ATENDEM OU ESTÃO DESLIDADOS.

CUIDADO............ARAÇATUBA..........LOJA VIRTUAL É UM ROOUUUUUUUUUUUUBOOOOOOOOOOOOO.



Publicado no dia: 09/02/2006 às: 00:00
Nome:  david souza da silveira
Cidade/País:  manaus\amazonas \brasil
E-mail:  davidsics(ARROBA)gmail.com
Assunto:  golpe do cartao pre pago
Comentário:  
Ontem 8/02/2006 meu pai recebeu um telefonema de gerente da telemar afirmado ter sido premiado o telefone.
faz varias promessa, carro e casa e pede para comprar cartao pre pago.
apos muita conversa pede os numeros do cartao, e este o golpe pra pegar os creditos do cartao pre pago.



Publicado no dia: 09/02/2006 às: 00:00
Nome:  Investidor
Cidade/País:  Brasil
E-mail:  inversoras(ARROBA)yahoo.com.br
Assunto:  PROMESSA DE EMPREGO MEDIANTE PAGA ANTECIPADA
Comentário:  
http://oglobo.globo.com/online/economia/plantao/2006/02/08/191615042.asp

08/02/2006 - 16h50m - Emprego: golpe do teste psicológico faz novas vítimas - Fabiana Parajara - Globo Online
SÃO PAULO - No último dia 1º de fevereiro, o estudante universitário T.S.V., de 30 anos, recebeu um telefonema da Gatework, agência de empregos. Era para agendar uma entrevista de emprego para o dia seguinte. A vaga com salário de R$ 3 mil, com direito a vale-transporte e pagamento de 60% da mensalidade da faculdade (ele freqüenta o curso de Marketing), despertou o interesse do universitário que procura emprego há meses.

- Cheguei ao escritório, um pouco antes da hora marcada e fui imediatamente atendido. Depois de uma breve conversa, os entrevistadores disseram que a vaga era minha e que, para completar o processo, teria de apresentar um exame psicológico que custava R$ 2.400. Eles disseram que após a contratação, a empresa me reembolsaria o valor - conta o universitário.

Mas T.S.V. não dispunha de tanto dinheiro para pagar e ofereceu todo o primeiro salário como pagamento.

- Eles recusaram, disseram que tinham custos e, depois de muito negociar, o valor caiu para R$ 800. Durante todo o tempo fui muito pressionado. Diziam que se eu não fizesse logo o teste, perderia a vaga. Assim que assinei o cheque, um dos entrevistadores disse que ia almoçar enquanto eu fazia do teste - lembra.

Enquanto T.S.V fazia o teste, o cheque foi descontado. Ao sair, T.S.V resolveu usar a internet para conseguir mais informações sobre a empresa de recolocação. Descobriu várias listas na internet com pessoas que passaram pela mesma situação. Nenhuma conseguiu qualquer emprego. Pior, poucos conseguiram reaver o dinheiro.

- Depois que você paga, eles apresentam um contrato e dizem que é apenas uma formalidade. Que a vaga já é minha. O contrato afirma que paguei pelos testes e pelo serviço da Gatework, que enviará meu currículo para várias empresas. Diz ainda que a vaga não é garantida - conta T.S.V.

Amparada pelo contrato assinado, essas empresas acabam impunes. E a situação se repete diariamente. A nutricionista Priscila Monteiro, de 33 anos, foi outra que caiu no conto.

- Eles pegam a gente no pior momento da nossa vida, quando estamos muito frágeis emocionalmente. Eu pensava: 'se não pagar, vão pensar que eu não quero pegar no batente' - diz ela, que acreditou na mesma história duas vezes num curto espaço de tempo.

As empresas FAN RH e Interview cobraram de Priscila R$ 680 e R$ 840, respectivamente. Ao ver que o tempo passava e a vaga não aparecia, ela resolveu se informar e encontrou, pela internet, várias pessoas na mesma situação.

- Resolvemos então entrar com uma ação contra a Interview. Somos cinco pessoas, com ações individuais, e que são testemunhas uma da outra. Houve uma primeira audiência de conciliação, na qual a empresa ofereceu o ressarcimento do valor pago. Não aceitei porque quero também uma indenização por danos morais. Todo esse processo foi muito desgastante - afirma ela.

Ela conta que mesmo com o processo em andamento, ainda recebeu ligações da Interview com o mesmo tipo de proposta.

- Quando dizia que já conhecia a empresa, a pessoa imediatamente desligava o telefone - conta ela, que também vai processar a FAN RH.

Tanto a Interview quanto a Gatework negam a venda de vagas.

- O contrato é assinado antes do pagamento. A empresa não usa a venda de vagas. Isso está escrito em nosso contrato. Tudo o que foi falado consta do contrato - diz Bruno Segala, gerente comercial da Gatework.

- Ao contrário do que muita gente informa, o custo da contratação não corre por conta das empresas. Elas não pagam pela recolocação. Querem os profissionais já triados. É essa triagem que oferecemos aos profissionais - afirma Segala.

Segundo ele, o custo médio dos testes psicológicos na empresa é de R$ 1.300.

- Não existe isso de pagar sem ver o contrato. O contrato da Interview foi ajustado com o Ministério Público. Nele consta a cláusula de que não há garantia de vagas, até porque a venda de vagas é crime - diz o advogado da empresa, que prefere não ser identificado nesta reportagem para não ter seu nome vinculado ao setor.

- A empresa trabalha direitinho. O problema é que tem uma nuvem negra sobre o setor porque muita gente não é idônea - afirma o advogado.

No 78º Distrito Policial, dos Jardins, há diversos boletins de ocorrência registrados contra as duas empresas. Segundo um policial que prefere não ser identificado, os casos deixaram de ser registrados como estelionato e passaram a ser registrados como crimes contra o consumidor.Na prática, o contrato assinado acaba funcionando a favor da empresa, que argumenta na Justiça que apenas cobrou pelo seu trabalho e que o candidato a emprego já sabia de antemão que o emprego não era garantido.

- É um tipo de propaganda enganosa. Era muito complicado comprovar os estelionatos por causa dos contratos apresentados pelas empresas. O registro como crime contra o consumidor aumenta a chance de a pessoa reaver o dinheiro - afirma o policial.

Segundo ele, diversas outras empresas atuam da mesma forma na região da Avenida Paulista, mas a maioria dos boletins é referente a atuação da Gatework e da Interview.

De acordo com Marcos Diegues, gerente jurídico do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), casos como os de T.S.V. e Priscila não são novos e freqüentemente se repetem.

- Antes de qualquer pagamento, é preciso ler com atenção os contratos para poder cobrar seus direitos depois. Se há garantia de emprego, a pessoa já deve desconfiar. Muitas cedem à pressão porque estão vulneráveis. Esses são casos de polícia, que devem ser denunciados - afirma.

Na Fundação Procon de São Paulo, os registros desses casos são comuns.

- Essas empresas não têm vagas alguma. Elas usam a isca para chegar ao desempregado, que está fragilizado e faz qualquer negócio. É uma ação criminosa. Como quase nunca há testemunhas, porque as entrevistas são individuais, fica difícil provar o crime. O que a pessoa tem de fazer é reunir outras vítimas, que servirão como testemunhas para provar que é uma prática recorrente da empresa - orienta Selma do Amaral, do Procon.

Foi o que fez Priscila Monteiro, que deu entrada na ação em meados do ano passado. Ela diz que o processo é lento e complicado, mas que vale a pena denunciar.

- Muitas vítimas acabam deixando para lá. Não pode. É preciso que a empresa sofra uma ação criminal para que não engane mais ninguém - afirma.

Segundo T.S.V, que tentou o ressarcimento amigável, no último dia 3 de fevereiro, a Gatework teria informado a ele que a política da empresa é só fazer o ressarcimento por ordem judicial.


Publicado no dia: 08/02/2006 às: 00:00
Nome:  Equipe MdF
Cidade/País:  BR
E-mail:  contato(ARROBA)fraudes.org
Assunto:  Programa Silvia Poppovic
Comentário:  
AVISO

Assistam ao programa “Silvia Poppovic” na TV Cultura no próximo dia 16 de fevereiro as 22:30 (com reprise no dia 18/20 as 18:00).
O assunto é fraudes e golpes, contará com a participação de vários convidados, inclusive vítimas de golpes, um psicólogo e o autor dos textos do Monitor das Fraudes, Lorenzo Parodi.


Publicado no dia: 07/02/2006 às: 00:00
Nome:  Natanael
Cidade/País:  
E-mail:  
Assunto:  loteria
Comentário:  
As empresas mensionadas podem até ser sérias, não sei. Mas com
certeza o máximo que voce pode ter ganhado lendo ou clicando em
links deste email foi um belo trojan(programas que capturam informações de seu computador como senhas).

Publicado no dia: 07/02/2006 às: 00:00
Nome:  Albert Hamaoui
Cidade/País:  Sao Paulo - Brasil
E-mail:  alberth(ARROBA)osite.com.br
Assunto:  loteria
Comentário:  
ultimamente tenho recebido avisos do que ganhei na loteria, da Inglaterra e agora da Holanda, pelo simples fato de ter meu endereço de email sorteado. Como ganhar sem aposta? conhecem um Nerderlandse Internationale Loterij BV de Haia?

Publicado no dia: 07/02/2006 às: 00:00
Nome:  Paulo Borges
Cidade/País:  
E-mail:  
Assunto:  OXXX BXXXX
Comentário:  
A princípio não vejo nada de desonesto na organização. Juristas decidirão isso.
Mas, no meu ver, não existe nenhum plano de inclusão digital disponível na oxxi
(apenas uma loja virtual que não custa mais de uns R$4000,00 o sistema todo, vendido
depois a R$ 3500,00 cada novo usuário) ou um plano de negocios (B2B reunião de alguns
associados, que realmente é 10!),e sim é um plano de bonificação que motiva o pessoal.
Mas vc quer ver como a principal atividade é o plano de indicação (arrecadação de capital)
e não de negocios ou inclusão digital? Basta retirar o sistema de indicação.
Analise: se o mesmo grupo de pessoas for e alugar o espaço quatá na segunda-feira,
com direito a telão, cadeiras e mesas passará a existir um B2B igual o da oxxx.
Todos pagariam os custos do aluguel que rateados em umas 1500 cabeças ficaria uma mereca.
Mesmo sem a oxxx e sem plano de indicação. Poderia gerar as mesmas parcerias e vendas,
com direito a falar no palco, etc... que tb acontece na quarta. A pergunta é, funcionaria?
Alguém subiria da Baixada, viajaria do interior, viria de outros estados para
vender quinquilharias que na maioria, mal paga o combustível?
Alguem ficaria numa cadeira sentado por horas ouvindo uma apresentação?
Por uma loja de baixa qualidade que poucos sabem usar e não vende nada?
Creio que não iria a SP mais que uma duzia de cabeças. Resultando em fracasso do projeto.
Agora adiciona a este exemplo um "plano de carreira piramidal" em que trazendo alguem
que pague uma certa quantia, que indicando outro aguem, vc ganha mais outra quantia,
e assim sucessivamente. Agora ficou interessante! A oxxx coloca na liderança um pessoal
bem motivado e preparado, um filme bem elaborado em locais 5 estrelas e vc faz a segunda
parte traz o convidados e o convense que existe um plano de negocios, inclusão digital,
que seu consultor o ajudará, e etc... Mas o que vc quer mesmo é o dinheiro da indicação.
Se existe um plano de negocios bom e inclusão digital eficiente, pra que precisa de ganhar
dinheiro em cima do seu amigo? Tente ganhar apenas com geração de seus negócios.
Não é parceria? Faça parceria com ele. Mas como vc pode ver não é geração de negocios
que move esta locomotiva e sim o sistema de indicação piramidal. O produto real da oxxi é
a arrecadação de capital, em grande quantidade, o mais rapido possível, a custo R$0,00.

Publicado no dia: 07/02/2006 às: 00:00
Nome:  Paulo Borges
Cidade/País:  Araraquara
E-mail:  
Assunto:  oxxi bxxxxl
Comentário:  
Olá Moreno, Eu creio no cooperativismo. Acho que em breve esta será a modalidade predominante e legalizada de trabalho (já foi mão de obra escrava, operária, entre outras) no mundo. Mas a oxxi não se trata de cooperativa, conforme mostrado na mensagem anterior. Comentando "... e pq ela não fecha? existem orgãos fiscais pra isso... não fecha pq cooperativas distribuem sua renda com os cooperados...muitos enchergam como piramide um meio encontrado de bonificar 52% da renda a favor dos clientes ou cooperados, mas isso é pratica comum no Brasil e no Mundo":
Esta não é uma prática legal comum no Brasil nem no mundo. Cooperativas tem critérios legais para sua constituição. As quais regem sua legalidade, se sair da linha ela é interditada e perde sua constituição de cooperativa e vira empresa comum.
Não confunda "alho com bugalho". Cooperados é quem presta serviço e
clientes é quem consome o serviço dos cooperados.


Total: 2687 mensagens  - Página 131 de 269
10 Anteriores  INÍCIO  FIM  Próximos 10

Login
Usuário:
Senha:
     
Patrocínios





NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados.   Design by D.Al. Eventos | "O Monitor" | Humor | Mapa do Site | Estatísticas | Contatos | Aviso Legal | Principal