Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

03/04/2009 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estelionatária que deu vários golpes em São Paulo é presa no Rio

Por: Ronaldo Braga


Rio - Investigadores da 10ª DP (Botafogo) prenderam, na madrugada de hoje, a estelionatária Kelly Samara Carvalho dos Santos, de 21 anos, na Boate 00, na Gávea. Segundo os policiais, consta na delegacia duas queixas contra ela. Apontada pela polícia paulista como uma golpista profissional, Kelly já se apresentava como filha do presidente do Paraguai e tinha o costume de alugar jatos particulares e frequentar restaurantes caros, sem pagar por nenhum dos serviços. Ela também é acusada de furtos e formação de quadrilha.

Os agentes chegaram até a estelionatária durante a madrugada, após uma vítima registrar na delegacia, por volta das meia noite, o golpe que tinha sofrido. A jovem já é conhecida em São Paulo, onde havia cumprido pena depois de ser indiciada pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e por três furtos. Quando foi presa em 2007, ela disse que cometia os crimes há dois anos e que pretendia chamar a atenção dos pais, que moram em Mato Grosso do Sul.

Alta, magra e falante, Kelly, na delegacia, disse que só falaria em juízo e que as acusações eram falsas. Segundo os policiais, a estelionatária se comportava como uma modelo de passarela e conquista os homens para depois dar os golpes.

- Conseguimos a prisão temporária dela. Estes cinco dias servirão para investigarmos outros golpes que ele fez aqui no Rio de Janeiro. Parece que ela estava no Hotel Mariot, em Copacabana, onde pretendia sair sem pagar a conta. A boate Melt, no Leblon, parece que foi lesada por ela - disse o delegado Alessandro Alonso, da 10ª DP.

Os policiais receberam informações de São Paulo, que Kelly buscava grifes famosas e se hospedava em hotéis de luxo. Segundo os policiais, a estelionatária usava pelo menos mais quatro nomes: Kelly Lambertini, Kelly Tranchesi, Alessandra Tranchesi e Daniela Delgado Garcete. Ela também dizia que era irmã de um conhecido traficante de cigarros.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 216 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal