Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

02/04/2009 - Diário Catarinense Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Justiça Federal condena oito por fraude em SC

Grupo cobrava propina de até R$ 700 para "agilizar aposentadoria".

A Justiça Federal condenou oito pessoas por estelionato e formação de quadrilha por fraudes cometidas contra o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) a partir da agência central em Florianópolis nos anos de 2002 e 2003. Entre os presos está o vereador de Tubarão Geraldo Pereira (PMDB).

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, o líder do esquema era Gerson Airton Souza da Silva, 59 anos, que se passava por advogado especializado em previdência social. Ele tinha um escritório em São José, na Grande Florianópolis, para onde eram levadas as vítimas aliciadas por seis intermediários.

Os fraudadores diziam para as pessoas que elas tinham direito a uma aposentadoria e pediam documentos e dados pessoais para conseguir o benefício. Documentos falsos eram confeccionados e levados para a agência do Centro de Florianópolis. Neste ponto entrava a funcionária Maria das Graças Oliveira Ressurreição, 54 anos, que ajudava a liberar os pagamentos. Os criminosos cobravam valores entre R$ 200 e R$ 700 pelo serviço com a justificativa de comissão.

Ainda cabe recurso

A assessoria de imprensa da Justiça Federal informou que o esquema funcionou por, no máximo, dois anos, quando foi descoberto por uma investigação da Polícia Federal. Na terça-feira, ocorreu a última parte do julgamento na 1ª Vara Federal Criminal da Capital. A juíza Ana Cristina Krämer condenou Gerson a 11 anos de prisão e multa de 20 salários mínimos ( R$ 9,3 mil). A funcionária do INSS Maria das Graças foi condenada a 12 anos de reclusão e multa de 10 salários mínimos (R$ 4.650).

Os outros seis participantes do esquema, que aliciaram pessoas, foram condenados a penas que variam entre quatro e seis anos de prisão. Entre eles, está o vereador de Tubarão Geraldo Pereira, que chegou a ser presidente da Câmara dos Municipal, e o ex-vereador de Palhoça José Valdir da Silva. Todos têm direito a recorrer no Tribunal Regional Federal, em Porto Alegre.

A mulher do vereador Geraldo Pereira disse que ele não estava em casa. Os demais condenados não foram encontrados.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 367 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal