Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

27/03/2009 - Diário de Cuiabá Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

‘Indústria’ de documentos é flagrada em quarto de hotel

Por: Adilson Rosa


A Polícia Civil fechou uma verdadeira fábrica de documentos falsos ao prender o golpista Eurigles de Oliveira, de 65 anos, flagrado com cerca de 500 documentos em branco. A prisão ocorreu num hotel no Centro de Várzea Grande após policiais da Delegacia do Complexo do Coxipó investigarem uma denúncia de uso de documento falso. Entre os documentos apreendidos estão centenas de Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), Seguro Obrigatório (DPvat), e carteiras de identidade.

Segundo o chefe de operações da Delegacia do Coxipó, policial civil Rogério Garcia, os documentos chegavam de São Paulo, de onde eram despachados pelos Correios ou por transportadora. Na Grande Cuiabá, Eurigles revendia os documentos a partir de R$ 50 cada. Os documentos eram usados para ações criminosas. Ele relatou aos policiais que vendia para quem o procurasse. Geralmente eram pessoas indicadas por outras que já haviam adquirido os documentos em branco.

Conforme Garcia, a pessoa preenchia o documento e conseguia abrir uma conta bancária e, a partir daí, aplicava golpe no comércio e também outras ações criminosas. “Apreendemos também diversos documentos preenchidos e também cheques de terceiros, o que comprova o uso de documentos falsos. Estamos investigando se esses correntistas existem mesmo ou é fruto do golpe aplicado. São muitos documentos, um volume expressivo”, frisou.

O que chamou a atenção dos policiais é que Eurigles revelou que reside há 19 anos em Cuiabá e nesse período sempre vendeu documentos em branco. “Para criar um fantasma, era apenas necessário preencher os documentos”, frisou. No entendimento dos policiais o mais grave foi a apreensão de documentos em branco de DPVat, o seguro recebido por familiares de pessoas mortas em acidentes de trânsito. Com ele, é possível receber R$ 5 mil em média.

“Não sabemos exatamente como funcionava o esquema do DPVat, mas que tinha esquema, isso tinha. Afinal, se não fosse para isso, não teria tantos espelhos com ele”, ressaltou. Na delegacia, Eurigles foi autuado em flagrante por estelionato e uso de documento falso. Apesar da gravidade dos crimes, trata-se de delitos classificados de menor poder ofensivo. Como a pena para esses crimes é pequena, ele deverá responder em liberdade e ser liberado da prisão, já nas próximas semanas. Garcia adiantou que a próxima etapa das investigações será tentar localizar o fornecedor dos documentos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 155 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal