Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS



Promoção BLACK WEEK. Até o dia 02/12 valor promocional para o Treinamento sobre Fraudes Crédito e Comércio ! CLIQUE AQUI.


Acompanhe nosso Twitter

25/03/2009 - Decision Report Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Febraban prevê 25,2 mil programas maliciosos em 2008

Por: Ceila Santos


O grupo técnico da subcomissão de prevenção a fraudes eletrônicas da Febraban identificou 38428 programas que resultaram em fraude eletrônica no ano de 2006. Cesar Augusto Faustino, coordenador da subcomissão da entidade, explica que esses programas são desde trojans enviados via email até outros artefatos utilizados com objetivo de captar dados dos 30 milhões de usuários de internet banking para cometer o estelionatário. Ou seja, roubar dinheiro. Em 2007, o número de programas diminuiu para 26404 e a previsão da Febraban é que no ano de 2008, o número de programas foi da ordem de 25200.

O prejuízo dessa quantidade de programas identificados pelos bancos são da ordem de milhões de reais. Não há dados oficiais sobre as perdas financeiras, mas há quem confirme que o montante já ultrapassou R$ 700 milhões por ano.

Faustino informou que o volume de transações em contas jurídicas foram de 3,5 bilhões, enquanto o número de contas de pessoas físicas foi de 3,4 bilhões. Isso no canal de internet banking. Já no uso dos cartões, o volume de transações foi de 2,4 bilhões e no caso das ATMs, o número foi de 13,7 bilhões de transações. O volume é alto e estima-se que apenas 0,001% delas são fraudadas.

"As ameaças não vão acabar nunca", diz Faustino, mas manter o risco controlado investindo em tecnologia, processos e pessoas pode ser uma boa alternativa para reduzir as perdas financeiras. Um dos movimentos dos criminosos comprovam a premissa já que o prejuízo de cartão de crédito cruzou a linha do cartão de débito. "Atribuo isso à chipagem dos cartões, que começou pelo cartão de débito e só agora os bancos estão dificultando a fraude com chipagem nos cartões de crédito".

Seguindo essa premissa, Faustino acredita que haverá migrações da fraude para telefone, cujo volume de prejuízo hoje é quase irrelevante. "A partir do controle cada vez maior das vulnerabilidades do internet banking, das ATMs e dos POS, a migração da fraude deve acontecer para outros canais de atendimento", observa. Não é à toa que hoje a fraude de clonagem de cartões é bastante reduzida em relação ao passado. Agora a onda do crime navega na vulnerabilidade dos POSs do varejo na hora da compra do brasileiro para capturar dados e roubar dinheiro do consumidor.

Veja na íntegra a palestra de Cesar Faustino, que participou do evento Decision Report Meeting, neste bloco aqui. Além dos números citados, Faustino ainda explica como as fraudes acontecem nos diferentes canais das instituições financeiras e avisa: " eu acredito bastante na repressão porque punir de fato amedronta e deixa claro que o crime não compensa".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 210 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal