Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

04/11/2006 - Finance One Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Espanha investiga banco português por lavagem de dinheiro

Por: Jair Rattner


LISBOA - A Guardia Civil e a Fiscalia General del Estado espanholas fecharam ontem as agências do Banco Espírito Santo - no qual o Bradesco tem 3% do capital e que possui 3,25% das ações do Bradesco - em Madrid e Barcelona. O objetivo era recolher material para uma investigação de crimes de lavagem de dinheiro e evasão fiscal. Além do banco português, as autoridades espanholas entraram em mais três instituições financeiras: o banco BNP Paribas (de origem francesa), a Cartera Meridional e a Cahispa.

Na madrugada de ontem, os agentes saíram das instituições investigadas levando milhares de documentos e deixaram congeladas contas bancárias no valor de 1,5 bilhão de euros (4 bilhões de reais). Segundo um comunicado do banco, na suas agências foram congeladas contas no valor de 5,5 milhões de euros. O banco nega ter cometido qualquer irregularidade e que as contas foram abertas segundo a lei, que não ofereceu produtos que permitissem o não cumprimento das obrigações fiscais dos clientes.

O caso está nas mãos do mais famoso juiz espanhol, Baltasar Garzón. Foi ele que pediu a extradição da Inglaterra do general e ex-ditador chileno Augusto Pinochet, dirigiu a principal investigação contra a máfia galega responsável por tráfico de drogas, denunciou um ministro do Interior espanhol por ligação à guerra suja contra o terrorismo, conseguiu que o partido espanhol Harri Batasuna fosse ilegalizado por três anos devido a ligações com o grupo basco ETA e denunciou o presidente do clube de futebol Atlético de Madrid, Jesus Gil y Gil, por corrupção.

Os jornais econômicos espanhóis criticaram a forma como foi feita a investigação. O "Cinco Dias" comparou a um "reality show" na Justiça. O "Gazeta de los Negócios" dizia que deveria ter sido feita uma nota das autoridades explicando e por sua falta as ações do banco tinham caído mais de 2%. Já o "El País" afirma que através do banco português poderão ter sido lavados dois bilhões de euros (5,4 bilhões de reais).

É a segunda vez que o Banco Espírito Santo encontra-se sob investigação. Em outubro do ano passado, as autoridades portuguesas entraram em quatro instituições de Portugal procurando indícios de lavagem de dinheiro e evasão fiscal.

Na ocasião, um erro do juiz que deu o mandato fez com que os investigados tivessem tempo para eliminar provas: como o juiz colocou o nome das quatro instituições financeiras portuguesas num só mandato, quando a polícia chegou à segunda instituição, todos já estavam sabendo a respeito da busca.

Na edição de ontem, o jornal português "Correio da Manhã" informa que a Polícia Judiciária portuguesa espera autorização do juiz para investigar a sucursal do Banco Espírito Santo no off-shore da Ilha da Madeira.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 432 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal