Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

27/10/2006 - Jornal da Cidade de Bauru Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Simulação alerta para golpes nas festas

Por: Luciana La Fortezza


Os enfeites e o clima de confraternização típicos de final do ano não atraem apenas consumidores. De olho no dinheiro deles, estelionatários também saem às ruas com o objetivo aplicar golpes. Para tentar impedi-los, o comandante da 1.ª Companhia da PM, capitão Jorge Duarte Miguel, assumiu as vezes de diretor de “peça de teatro”. Ontem à tarde, ele organizou uma simulação na Praça Rui Barbosa para alertar a população contra o crime.

E não faltou público para acompanhar a atuação de três pessoas que passando-se por golpistas vitimaram uma idosa. Na simulação, ela caiu no golpe do “cheque achado”. “No final do ano, com mais dinheiro em circulação, aumenta os crimes de estelionato. O estelionatário também quer ganhar dinheiro”, afirma o capitão.

De acordo com ele, normalmente, os casos ocorrem próximo a instituições bancárias e estabelecimentos comerciais. Para alertar sobre o delito, que atinge especialmente idosos, o comandante contou com 16 colaboradores, entre atores e figurantes.

Alguns eram policiais militares, outros, funcionários da Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural (Emdurb).

Emoção

A interpretação estava tão afiada, que a agente administrativa Mara Purcino Patriarca chegou a chorar ao representar a vítima.

“A gente sabe a dificuldade que eles (idosos) têm para ter as coisas. Depois, perdem tudo. Esses delinqüentes não respeitam mais ninguém”, comenta. Na última terça-feira, um aposentado de 88 anos acionou a PM para relatar que havia perdido R$ 700,00 ao acreditar em duas mulheres que pediam ajuda para trocar um bilhete de loteria que elas disseram ser premiado em R$ 50 mil.

Por mês, cerca de dez deles são registrados na cidade, segundo apurou a reportagem. “Pretendemos fazer mais uma (simulação) até o início da Operação Papai Noel, quando o comércio começa a funcionar à noite. É também uma questão de Polícia Comunitária”, explica capitão Jorge. De acordo com ele, também são comuns golpes como o do bilhete premiado e o conhecido como “boa noite Cinderela”.

“Acho importante essa iniciativa. Às vezes a vítima não é nem idosa”, comenta a estudante Josiane Rodrigues. Ela acompanhou a encenação no banco e dirigiu-se até a Praça Rui Barbosa para conhecer o final infeliz da história apresentada ontem.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 474 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal