Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

12/03/2009 - AFP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Andorra, Liechtenstein e Bélgica prometem flexibilizar segredo bancário


ANDORRA-A-VELHA, Andorra (AFP) — Andorra, Liechtenstein e Bélgica anunciaram nesta quinta-feira a flexibilização de suas normas de sigilo bancário e a disposição para cooperar com autoridades fiscais estrangeiras, para intensificar a pressão internacional contra os paraísos fiscais antes da cúpula do G20.

Os três países indicaram, separadamente, que trocariam informações com governos estrangeiros para combater fraudes e evasão de impostos, o que revelaria dados sobre contas secretas offshore de não residentes.

Liechtenstein e Andorra - dois dos três países que que constam na lista da OCDE de paraísos fiscais, junto com Mônaco - disseram que pretendem buscar acordos bilaterais para compartilhar informações bancárias com autoridades estrangeiras em casos de evasão e fraude fiscal.

O ministro das Finanças belga, Didier Reynders, afirmou que seu país planeja flexibilizar suas leis de sigilo bacário no ano que vem, quando começará a trocar informações tributárias com seus aliados da União Européia.

Mônaco não fez comentários sobre os anúncios de Liechtenstein e Andorra nesta quinta-feira.

Embora não esteja na lista da OCDE, a Bélgica - junto com Áustria e Luxemburgo - não compartilha informações sobre titulares de contas-poupança de outros países europeus com autoridades fiscais estrangeiras.

O primeiro-ministro de Andorra, Albert Pintat, se comprometeu nesta quinta-feira a trabalhar pela aprovação, antes de novembro, de um projeto de lei que acaba com o sigilo bancário, na esteira de acordos bilaterais de troca de informações com outros Estados.

O principado de Liechtenstein, envolvido em um escândalo financeiro com a Alemanha há um ano, anunciou sua intenção de revisar profundamente suas normas de sigilo bancário.

O Liechtenstein, que agora "reconhece" os critérios da OCDE no que diz respeito à transparência e troca de informações fiscais, se comprometeu a informar as autoridades estrangeiras sobre contas bancárias em caso de fraude ou evasão fiscal comprovada.

A pressão internacional sobre os paraísos fiscais, acusados de favorecer a evasão de impostos de clientes ricos, aumentou com a proximidade da cúpula do G20, marcada para o dia 2 de abril, em Londres.

Com esta manobra, Liechtenstein, Andorra e Bélgica aproveitam a oportunidade para ficar de acordo com as normas seguidas por seus aliados econômicos.

Andorra e Liechtenstein esperam ser retirados da "lista negra" de paraísos fiscais considerados "não cooperativos" pela OCDE, que será revisada ainda em 2009.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 138 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal