Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

05/03/2009 - Portal Terra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falso aristocrata britânico é condenado por roubo milionário


Um falso aristocrata britânico foi condenado ontem por liderar um audacioso plano de realizar o maior roubo a banco do mundo. Segundo o jornal britânico The Times, Hugh Rodley - que insistia ser um "Lorde" apesar de não ter qualquer título de nobreza - esteve próximo de levar 229 milhões de libras (cerca de R$ 773 milhões) de uma instituição financeira explorando o sistema que protege transferências eletrônicas.

O plano falhou quando um dos hackers que entrou no sistema perdeu dados de um formulário eletrônico. Após, quatro anos, os detalhes da ação foram descobertos por uma agência britânica responsável por investigar crimes organizados. Segundo o Times, diante de ameaças, Kevin O'Donoghue, chefe de segurança da Sumitomo Mitsui Banking Corporation, foi forçado a deixar dois belgas entrarem na sede do banco japonês em 2004.

Gilles Poelvoorde e Jan Van Osselaer instalaram softwares espiões que registraram logins e senhas de computadores de executivos. Ao mesmo tempo, Rodley, 61 anos, de Tewkesbury, Gloucestershire, foi criando uma rede de companhias internacionais que iam das ilhas Seychelles até a Espanha. Para ajudá-lo, ele usou David Nash, 47 anos, dono de uma sex-shop de Durrington, West Sussex.

Depois de meses de preparação, os hackers belgas voltaram aos escritórios de Sumitomo em outubro de 2004. Eles fizeram 21 transferências de mais de 40 milhões de libras (R$ 135 milhões) cada a partir de contas de grandes empresas como Casio e Toshiba. O dinheiro foi destinado a contas na Espanha, Dubai, Hong Kong, Liechtenstein, Turquia, Israel e Cingapura. Rodley então tentou transferir valores para bancos do Chipre e ilhas Seychelles.

O que ele não sabia é que os hackers belgas haviam cometido um engano durante a transação milionária. Rodley foi declarado culpado por conspiração e fraude. Nash, seu companheiro de roubo, também foi condenado. Os belgas O'Donoghue, 33 anos, Van Osselaer, 32 anos, se declararam culpados mas ainda serão julgados. Outros membros da conspiração ainda não foram pegos, mas são conhecidos por realizarem outras ações na mesma natureza.

Rodley, diz o Times, era o homem perfeito para liderar a iniciativa. Ele era conhecido por aproveitar todas as mordomias da aristocracia rural britânica, incluindo uma casa de 2 milhões de libras em Gloucestershire, estábulos com cavalos caros e um Rolls-Royce na garagem. Sua mulher e suas filhas são nomes conhecidos na sociedade e freqüentemente participam de competições de equitação. Mas por trás disso tudo havia uma vida de fraudes.

Rodley nasceu Brian McGouch na Irlanda, em 1947. Ele é um falsário com um longo histórico criminal por falsificações e obtenção de propriedades a partir de fraudes. Durante o plano para roubar Sumitomo, ele também se envolveu com traficantes de drogas e em uma suspeita negociação de diamantes, na qual também estava envolvido David Nash.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 248 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal