Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

02/03/2009 - O Barriga Verde Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

A prova Quádrupla Rotária

De tudo o que pensamos, dizemos ou fazemos:
É a verdade?
É justo para todos os interessados?
Criará boa vontade e melhores amizades?
Será benéfico para todos os interessados?

O Rotary foi fundado em 23 de fevereiro de 1905 numa época em que a palavra empenhada tinha um valor muito forte. O que prevalecia, acima dos contratos escritos e assinados, era o acordo de cavalheiros, com a única garantia do fio de bigode. O que se dizia "apalavrado" era sagrado, seu cumprimento, questão de honra.

Era o código de ética em vigor numa Chicago conturbada pela corrupção e pela violência. Uma das razões da longevidade do Rotary é justamente a ética. Em questões de ética o Rotary é inflexível, imutável. O Rotary de hoje é igual ao de 1905, quando foi fundado por Paul Harris. A ética em Rotary é um princípio que não pode ter fim, e é graças aos seus elevados padrões de ética, que o Rotary ultrapassou os 100 anos, e aspira alcançar mais cem anos de sucesso, chegar ao seu segundo século de existência.

A Prova Quádrupla Rotária foi concebida em 1932, quando a economia americana ensaiava se recuperar da quebra da bolsa de valores de Nova York, ocorrida em 1929. Seu criador foi Herbert Taylor, presidente de uma fábrica de panelas de alumínio. A companhia estava em situação pré-falimentar, quando, através da aplicação dos quatro quesitos, Herbert Taylor promoveu uma mudança no relacionamento com empregados, clientes, fornecedores. A situação se reverteu e a empresa tornou-se uma multinacional forte, importante, acompanhando a recuperação da economia americana, se inserindo dentro dessa recuperação.

Não podemos afirmar que a Prova Quádrupla seja um código ou tratado de ética, pois se trata apenas de uma reflexão, uma indagação, um questionamento sobre o que nós pensamos, dizemos e fazemos, nada mais do que isso.

A Prova Quádrupla está para um código de ética assim como uma jangada está para um transatlântico. Uma jangada, na sua simplicidade, é perfeita, não afunda, pode passar um tsunami que ela continua a flutuar. Já o maior transatlântico, o mais perfeito, como se dizia ser o Titanic em 1912, um navio impossível de afundar, não passou da primeira viagem.

A simplicidade da Prova Quádrupla é como a jangada, fácil, simples, não tem nada a ver com tratados complexos, porque quanto mais complexo é um tratado, mais difícil de ser aplicado.

A Prova Quádrupla pode ser comparada a quatro peneiras de malhas diferentes.

Pega-se "Tudo o que pensamos, dizemos e fazemos" e coloca-se na primeira peneira: "É a verdade?" Pergunta simples, que não admite discussão.

A gente ouve por aí, qualificações sobre a verdade. Já chegaram até a dizer: "verdade verdadeira". Toda verdade é sempre inquestionável, insofismável, não é como aquela música: "mamãe estou ligeiramente grávida". Ou está não está. Assim é a verdade. Ou é verdade, ou não é, não existem meias-verdades.

Agora, existem profissionais que não aceitam a Prova Quádrupla, porque não consideram a verdade como essencial. Por exemplo, um mau político, para o qual a verdade muitas vezes é deturpada em favor de seus interesses eleitorais. Um empresário desonesto não comunga com a Prova Quádrupla, já no seu primeiro quesito, porque honestidade é sinônimo de verdade.

Porém, a verdade absoluta mesmo, essa só pertence a Deus, pois que a nossa percepção, limitada pelos cinco sentidos, nos permite conhecer apenas uma parte relativa dos mistérios da vida.

Passou na primeira peneira, vem a segunda peneira, de malhas mais estreitas: "É justo para todos os interessados?". Eu encaro a justiça como uma coisa que deva ser sempre objetiva, uma relação de causa e efeito. Se é justo em determinado assunto, tem de ser justo para todos os interessados. Se você considera a justiça como algo subjetivo, como algo que não seja uma relação de causa e efeito, o que é justo para uns, poderá não ser para outros. O que era justo para Hitler não era justo para os povos perseguidos, o que era justo para os ingleses no tempo de Gandhi, não era justo para os indianos.

Depois dessa peneira, vem a terceira peneira: "Criará boa vontade e melhores amizades?" Aí está a essência do Rotary: a solidariedade, a mútua cooperação, o companheirismo. Tudo o que nós fazemos deve somar. A solidariedade une, a desarmonia, o desentendimento, separam. Tudo o que gera divisão não está de acordo com a Prova Quádrupla.

Por fim, vem a quarta e última peneira: "Será benéfico para todos interessados?" Essa é a finalidade do Rotary: gerar o bem.

Numa sociedade em que prevalece o egoísmo, o egocentrismo da lei de Gerson "sou brasileiro, gosto de levar vantagem em tudo", cada um quer tirar proveito maior, vantagem maior, não importando os meios, lícitos ou ilícitos. Não é isso que a Prova Quádrupla prescreve.

Passou nas quatro peneiras, pode fazer, pode aplicar. Se levarmos a Prova Quádrupla para todas as nossas ações, no trabalho, nas relações familiares, nas relações comerciais, teremos a certeza de estarmos sempre agindo corretamente.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 200 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal