Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS



Promoção BLACK WEEK. Até o dia 02/12 valor promocional para o Treinamento sobre Fraudes Crédito e Comércio ! CLIQUE AQUI.


Acompanhe nosso Twitter

22/10/2006 - Angola Press Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Nigéria: Líderes nigerianos `roubaram` 380 mil milhões de dólares


Abuja, 22/10 - Mais de 380 mil milhões de dólares foram roubados - ou mal empregues - pelos sucessivos governos da Nigéria desde a independência do país, em 1960.

Estes números foram apresentados pelo chefe da Comissão de Crimes Económicos e Financeiros, a agência governamental nigeriana encarregue da luta anti-orrupção.

Nuhu Ribadu disse à BBC que a Nigéria "não tem muito para apresentar" em forma de justificação do emprego desses montantes.

Ele disse que o pior periodo de corrupção foi o dos anos 80 e 90, mas que neste momento dois terços dos governadores estaduais estavam a ser investigados pela sua agência. A Nigéria é o maior exportador de petróleo de África mas a maioria da sua população é pobre.

O país aparece regularmente na lista dos países mais corruptos do mundo, compilada anualmente pela Transparência Internacional.

O Presidente Olusegun Obasanjo declarou recentemente o estado de emergência no Estado de Ekiti, depois do governador local ter sido considerado culpado do roubo de fundos governamentais. Ele terá igualmente recebido subornos.

Nuhu Ribadu disse que não teve dificuldades em chegar à cifra de 380 mil milhões de dólares roubados ou mal empregues desde a independência.

Ele recorreu aos dados mantidos pelo Banco Central da Nigéria e pelo Ministério das Finanças.

"Basicamente, este montante foi desperdiçado e não beneficiou a maioria dos nigerianos.

Claro, parte desse dinheiro foi roubado e colocado em bancos estrangeiros".

Os críticos do Presidente Obasanjo dizem que a luta contra a corrupção está a ser usada para vitimizar os seus opositores, quando o país se prepara para ir a eleições no próximo ano.

Obasanjo não vai poder concorrer a um terceiro mandado; os seus esforços para mudar a Constituição não resultaram, pelo que terá de abandonar o poder.

Mas Nuhu Ribadu desmente que hajam motivações políticas por detrás da sua luta contra a corrupção.

"Quando se faz este tipo de trabalho, é-se sempre acusado de uma coisa ou de outra". No mês passado, o Vice-Presidente da Nigéria, Atiku Abubakar, foi acusado de corrupção - um facto que o poderá impedir de concorrer à presidência.

Ele nega as alegações de desvio de 125 milhões de dólares do estado para negócios seus. A Comissão de Crimes Económicos e Financeiros diz que nos últimos dois anos recuperou mais de 5 mil milhões de dólares e que processou, com sucesso, 82 pessoas.

Nuhu Ribadu disse à BBC que 140 milhões de dólares haviam sido recuperados de contas bancárias de um antigo líder nigeriano e que perto de 400 milhões de dólares em bens adquiridos ilegalmente haviam sido identificados como estando na posse de um antigo governador do Estado de Bayelsa.

Em 2005, a Nigéria recuperou 458 milhões de dólares que se encontravam em contas bancárias na Suiça ligadas ao falecido líder militar, Sani Abacha.

Abacha esteve no poder entre 1993 e 1998 e calcula-se que tenha roubado milhares de milhões de dólares.

No ano passado, o seu filho, Abba Abacha, foi acusado de lavagem de dinheiro e de fraude depois de ter sido extraditado da Suiça.

Apesar do "buraco" nas contas nacionais, a Nigéria conseguiu saldar a sua elevada dívida com o Clube de Paris - graças aos elevados preços do petróleo bruto.

Cerca de 5 mil milhões de dólares são ainda devidos pelo país a outros credores, incluindo o Banco Mundial e o sector privado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 436 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal