Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

19/02/2009 - 24 Horas News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Decoro, corrupção e fraude podem cassar vereadores em Cuiabá

Por: Edilson Almeida, Jonas Jozino e Rubens de Souza


Brigas, disputas e confusões estão levando a Câmara Municipal de Cuiabá a um caminho de saneamento moral, há muito desejado pela sociedade. Inoperante, com iniciativas legislativas duvidosas e gastos elevados, o Legislativo agora se avizinha da possibilidade de cassar até três vereadores: um por falta de decoro parlamentar, outro por corrupção e um por fraude de documento público. Na berlinda, respectivamente, o novato Ralf Leite (PRTB), o ex-presidente da Câmara, Lutero Ponce de Arruda (PMDB), e o atual presidente do Legislativo, Deucimar Silva (PP).

Os atos que podem levar vereadores a perderem os mandatos que receberam dos eleitores revelam uma “autofagia necessária” entre os vereadores. Ela se assemelha quase a uma briga de estudantes de escola de bairro, com ameaças e promessas de pegar você lá fora. Nesse caso, felizmente, ainda não apareceu a turma do “deixa disso”. Quiça, nem apareça. Os atos que podem redundar nas cassações revelam continuamente um poder em crise e abalado pela falta de credibilidade. Há anos que a Câmara Municipal vem caindo na “desgraça” popular.

O ápice do desleixo com que o Legislativo vem sendo ratado pelos indicados populares aconteceu durante a gestão de Chica Nunes (PSDB), atual deputada estadual. Com Lutero Ponce de 1º Secretário, a então vereadora foi denunciada em vários casos de corrupção. A antes que os escândalos financeiros fossem revelados, Chica se elegeu deputada estadual. Hoje ocupada o cargo de vice-presidente da Assembléia Legislativa. O seu legado na Câmara, porém, foi assumido por Lutero. A mesma maneira de Chica “operar” foi mantida por Lutero, inclusive com uso de “empresas fantasmas” em suposto esquema de desvio de dinheiro público.

Ao se eleger presidente, o vereador Deucimar Silva jurou “quebrar” a seqüência de corrupção e escândalos envolvendo o nome da Câmara. Da cadeira de presidente, apontou para o vereador Luthero, que apoiava a candidatura de Lueci Ramos (PSDB), e prometeu “devassar” as contas do Legislativo. E vai fazê-lo. Nesta quinta-feira, em meio a ebulição do escândalo que o vereador-dirigente da Câmara foi submetido, ao ver seu nome vinculado ao esquema de falsificação de documentos, prometeu que em 45 dias vai mostrar as “peripércias” do seu antecessor. Deucimar prometeu “varrer” do legislativo municipal todos os vereadores considerados corruptos, assim que for encerrada a auditoria.

Destemido, o presidente da Câmara garantiu que não ter nada a esconder. “Nenhum vereador vai me intimidar. Em 45 dias a auditoria estará pronta e vamos mostrar o que era a administração passada. A sociedade e o Ministério Público vão tomar conhecimento do montante da fraude que a Câmara Municipal foi vitima nas administrações anteriores” – frisou. Nota: já não era sem tempo. Na “varredura” de Deucimar, Luthero pode acabar “rodando” por corrupção.

O desvendar da incontinência financeira da Câmara na gestão “Ponce de Arruda”, em verdade, estava sonolenta até esta quarta-feira. Ia quase passando ao largo, entrando na maior debilidade popular, qual seja, o esquecimento. Mas voltou a tona depois da divulgação de uma sentença, prolatada em 2003, pela Justiça Federal de Mato Grosso contra o vereador, na qual ele é acusado de ter falsificado uma certidão para que sua empresa disputasse uma concorrência pública na Universidade Federal de Mato Grosso. Deucimar apontou Luthero, seu desafeto, como responsável pelo episódio. Seja como for, o vereador-presidente corre seus riscos. Ele sustenta que o processo está arquivado por decisão do Superior Tribunal de Justiça, em que pese haver movimentação no Supremo Tribunal Federal (STF). Caso volte a tona, está cravado na sentença do juiz Julier Sebastião da Silva que Deucimar não pode ocupar cargo público.

Ao mesmo tempo em que Deucimar prometia 45 dias de “limpeza moral” na Câmara, em outros corredores vereadores trabalhavam na instauração do processo ético disciplinar contra o vereador Ralf Leite (PRTB), flagrado em cenas de sexo com um travesti menor de idade em Várzea Grande. O presidente da Comissão de Ética, vereador Ewerton Pop, confirmou que já recebeu todas as informações que foram solicitadas para iniciar instruir a denúncia de quebra de decoro parlamentar do vereador. Segundo Pop, Ralf Leite tem, a partir de hoje, 20 dias para apresentar sua defesa. Ele confirmou que a comissão tem um prazo de 90 dias para encerrar os trabalhos.

Já o vereador Toninho Souza (PDT) aproveitou para anunciar que está solicitando a criação de uma junta médica para examinar o vereador que entrou de licença médica. A assessoria do vereador Ralf Leite promete que o parlamentar retorna a Câmara Municipal após o carnaval e que vai se defender de todas as acusações, provando que foi vitima de suborno de policias militares.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 203 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal