Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

20/10/2006 - Jornal Bom Dia Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia descobre esquema de falsificação nacional de diplomas

Por: Janaina de Paula


Um grande esquema nacional de falsificação de diplomas foi descoberto ontem, em Rio Preto. Pai e filho comandavam a fraude, segundo a polícia. Seis pessoas foram presas em flagrante em Rio Preto.

O grupo enganava estudantes em São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

O escritório funcionava na rua Coronel Spínola de Castro, Centro da cidade.

No local a polícia prendeu Maurício Donizete Coqueiro, apontado pela polícia como líder da quadrilha, e Osvaldo Dias Barbosa, morador de Uberlândia.

No momento da prisão Barbosa fazia a troca do diploma que estava com o nome errado de um aluno.

No escritório foram apreendidas duas identidades falsificadas, computadores e cerca de 150 diplomas de curso supletivo.

De acordo com o delegado Rubens Machado, do 1º Distrito Policial, a quadrilha montou franquias do escritório em cidades como Santa Fé do Sul, Bebedouro, Campinas e Ribeirão Preto.

Joseana de Souza Dias, Maciel Coqueiro, Manoel Coqueiro Filho e Rosinei Dias Moreira foram presos em uma chácara na estância Malacas. Na casa foram encontrados mais diplomas falsificados, documentos e outros computadores.

Os suspeitos não quiseram comentar o assunto com a imprensa.

Golpe faz 200 vítimas
O golpe fez pelo menos 200 vítimas em Rio Preto e cidades da região.

Segundo a polícia, o crime estava sendo investigado há cerca de seis meses.

Somente no 1º Distrito Policial foram instaurados três inquéritos para apuração do crime.

Os estelionatários cobravam, em média, R$ 800 por diploma falsificado.

O golpe era praticado em família. Pai e filho comandavam o esquema, mas nora, irmão e madrasta do homem apontado com sendo o líder do grupo também ajudavam na procura de novos alunos para a compra do documento. A polícia não soube informar o valor total arrecadado pela quadrilha.

Como era o crime

Rio Preto
Em Rio Preto foi montado um escritório. Neste local eram feitas as falsificações dos diplomas

Franquias
A quadrilha montou franquias do escritório em várias cidades. Em cada lugar uma pessoa ficava responsável por captar alunos para a compra do falso diploma

Documentos
Todos os documentos necessários dos alunos eram recolhidos e encaminhados para o escritório em Rio Preto. O documento ficava pronto em apenas uma semana

Pagamento
O pagamento era feito no próprio escritório de cada município. Cada diploma custava em média R$ 800

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 811 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal