Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/01/2009 - Diário do Pará Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Brasileiros vão ter nova identificação


BELÉM (PA) - Uma nova cédula de identidade será implantada a partir do segundo semestre de 2009 em todo Brasil. Ela será digital e unificada, ou seja, conterá todo o registro dos cidadãos como: Título de Eleitor, CPF (Cadastro de Pessoa Física), registro de nascimento, entre outros. O antigo Registro Geral (RG) será substituído pelo RIC (Registro Único de Identificação Civil).

Um dos motivos para a mudança, segundo a Polícia Civil, é que a cédula digital é mais difícil de ser fraudada. Todos os dados ficarão armazenados em um chip que será anexado ao documento.

A criação de um registro único já havia sido cogitada há vários anos. De acordo com o diretor de Identificação da Polícia Civil no Pará, Antônio Ricardo, o projeto originou-se em 1997 quando surgiram os chamados “fantasmas”, que movimentavam contas bancárias, por serem detentores de vários CPFs.

“Se o cidadão recebe um nome ao nascer e o mantém até a morte, porque não receber, também, um número que o acompanhe por toda a sua existência e sirva ao propósito de identificá-lo?”, indagou.

Dados da Polícia Civil mostram que as fraudes geradas pela falsificação de documentos acarretam prejuízos. Um exemplo é o caso dos beneficiários da Previdência Social, onde estima- se que dos 23 milhões de beneficiários de todo o Brasil, 10% sejam fraudulentos, o que provoca uma despesa entre 10 e 15 bilhões de reais por ano.

No Pará, a situação também é delicada. O diretor informou que somente em 2008, em média, 100 carteiras falsas foram apreendidas por mês junto ao INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social). “Com a implantação do novo sistema, esperamos que o número de fraudes reduza em até 90%”, disse.

Segundo Ricardo, por dia, são geradas quase 30 mil carteiras de identidade no Pará. Ano passado, foram arrecadados no Estado, cerca de dois milhões de reais com a emissão do documento. O diretor explicou que esses números causam prejuízos para o Estado. “Uma carteira de identidade no modelo que existe hoje, custa para o Governo, uma média de R$ 24. Sendo que as pessoas que tiram identidade pela primeira vez, não precisam pagar nada, portanto, quanto mais documentos são emitidos, maior é o prejuízo”.

De acordo com ele, as taxas só são cobradas para quem precisar tirar a 2ª ou 3ª vias. “Mesmo assim, o Estado ainda sai perdendo, porque o valor da segunda via não compensa o que é gasto com o material para tirar o documento”, declarou.


Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 234 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal