Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

10/01/2009 - Correio da Bahia Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Processos contra agências de viagens crescem quase 180%

Por: Jaciara Santos


Em apenas dois anos, de 2006 a 2008, o volume de queixas contra agências de viagens cresceu quase 180% no Procon da Bahia, pulando de 19 para 53, segundo dados fornecidos pelo Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (Sindec). No mesmo período, o total geral de reclamações (de todos os segmentos) caiu seis pontos percentuais (de 8.984 para 8.441 processos), revelando um dado muito inquietante: enquanto os demais setores investem na qualidade de seus produtos e serviços, o turismo parece navegar na contramão e em meio a ondas turbulentas.

É verdade que, em números absolutos, a insatisfação do consumidor baiano em relação ao trade turístico ainda não faz marola: dentre os 8.441 processos instaurados pelo Procon baiano em 2008, apenas 53 estão relacionados com pacotes de viagem fictícios, cobranças indevidas de taxas ou falta de vagas em hoteis e pousadas, dentre outras queixas que costumam fazer parte do diário de bordo de viajantes insatisfeitos.

Embora não seja regra geral, muitas vezes as vítimas terminam colaborando para os golpes que sofrem. O alerta é do empresário Pedro Costa, presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens, seção Bahia (Abav-BA), que recomenda ao turista sempre se informar sobre uma empresa antes de contratar seus serviços.

Na opinião de Costa, recorrera um empreendimento filiado à Abav-BA pode fazer a diferença por várias razões. Uma delas é que, como precisam atender a uma série de exigências, as agências associadas já passam por uma espécie de filtro que exclui as menos qualificadas.

SOLIDEZ
Outro aspecto envolve a solidez: em caso de problemas, é mais fácil acionar uma empresa bem estabelecida do que uma ‘espelunca’ qualquer. 'É preciso, acima de tudo, bom senso para não se deixar enganar por falsas vantagens', ele adverte.

Esse é, também, o pensamento do presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hoteis, seção Bahia (Abih-BA), Ernani Pettenati, que recomenda desconfiar de facilidades em excesso.

Ilustrando essa opinião, ele cita recente reportagem de uma emissora de TV na qual um grupo de turistas se vangloriava por ter viajado de São Paulo ao Ceará, pagando a passagem de apenas R$40 num ônibus clandestino. 'São pessoas desavisadas, sem noção de que, às vezes, o barato pode sair caro', observa, apoiando-se na sabedoria popular.

CUIDADOS
Como nem sempre é possível garantir que uma viagem vai sair exatamente do jeito planejado, o Procon aconselha o consumidor a adotar cuidados básicos, como guardar toda a documentação referente ao serviço contratado.

'Até e-mails trocados valem', diz Adriana Menezes, coordenadora de postos de atendimento do órgão. 'Com os documentos, pode-se provar que houve uma quebra de acordo por parte da empresa e exigir o devido ressarcimento', observa.

O Procon é uma alternativa para o consumidor tentar uma solução amigável. O órgão abre um processo conciliatório e notifica a empresa para que envie um representante a fim de chegar a um acordo. Não havendo entendimento, o Procon multa a operadora e encaminha o consumidor a um Juizado Especial ou à Defensoria Pública para entrar com a ação judicial.

Com duração média de um ano, os processos no Procon baiano registram 95% de resolução, segundo a coordenadora.

Polícia registra média de 23 ocorrências diárias

Até os cinco primeiros dias deste ano, a Delegacia de Proteção ao Turista de Porto Seguro registrou 115 ocorrências envolvendo visitantes das mais diversas origens, costumes e culturas. A média de atendimento é de 23 casos por dia e inclui prosaicas bebedeiras seguidas de perdas de documentos a situações em que os forasteiros são atraídos a uma cilada sob a forma de pacote de viagem.

Fazem parte das vítimas atendidas na unidade policial neste início de ano os brasilienses ludibriados pela empresa Impacto Turismo, que prometeu e não cumpriu a promessa de lhes proporcionar um deslumbrante Reveillon no distrito de Arraial d’Ajuda. Dos 400 clientes que contrataram seus serviços, a agência de viagem ignorou um total de 220, deixando-os, inclusive, sem hospedagem. O custo individual do pacote era de R$1,2 mil. À frente da Deltur de Porto Seguro há três anos, a delegada Teronite Bezerra não costuma se deparar com casos como o golpe sofrido pelos brasilienses, uma fraude da ordem de R$500 mil. As ocorrências mais comuns envolvem furtos e roubos de pertences, agressões e perdas de documentos. No ano passado, o total de registros na unidade ficou em 2.143.

Embora registre um volume expressivo de ocorrências, a delegacia instaura pouquíssimos inquéritos, uma vez que as vítimas estão em trânsito. O caso dos turistas brasilienses, por exemplo, está sendo apurado no Distrito Federal, onde fica a sede da Impacto. Segundo informações ainda não confirmadas oficialmente, a agência de viagem conclui a devolução dos valores cobrados indevidamente aos clientes ainda nesta semana.

SE LIGUE

- Ao comprar a passagem, prefira uma empresa de turismo credenciada pela Embratur e filiada à Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav).

- Examine cuidadosamente o contrato feito coma agência e não assine documentos com espaços em branco.

- Duvide sempre de ofertas de pacotes tentadores via e-mail. Investigue a origem da mensagem e entre em contato coma empresa através do atendimento 'on-line' ou telefone fixo.

- Ao fazer reserva num hotel por e-mail, certifique-se da idoneidade do estabelecimento antes de fornecer dados pessoais.

- Procure se informar sobre hotéis e pousadas 'descobertos' via internet. Em caso de dúvida, contate uma agência de viagens e, sem compromisso, verifique a veracidade das informações apresentadas no 'site'.

- Antes de viajar se informe sobre a moeda local e a melhor opção de portar seu dinheiro - cartão de débito, dinheiro vivo, cartões de crédito, traveller cheques etc.

- Evite viajar com objetos de valor.

- Se estiver de posse de algum pertence valioso, guarde-o no cofre do hotel.

- Guarde documentos originais e use cópias.

- Jamais beba na companhia de estranhos.

- Deixe com seus amigos e parentes fotocópias de todos os seus roteiros e documentos como passaporte e carteira de motorista.

- Evite praias e locais isolados à noite.

- Dispense a 'fantasia de turista' - chapéu e máquina fotográfica ao pescoço - para não chamar a atenção dos ladrões.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 142 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal