Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

22/12/2008 - Computerworld PT Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MS eliminou software de segurança falso num milhão de PC


A Microsoft revelou que a ferramenta anti-malware que disponibiliza aos utilizadores do Windows, através das suas actualizações automáticas, removeu, na passada terça-feira, software falso de segurança de quase um milhão de PC, durante nove dias deste mês.
Num blog da companhia dedicado à protecção contra malware, três pesquisadores de segurança da Microsoft revelaram o impacto que a edição deste mês da Ferramenta de Remoção de Software Malicioso (MSRT) teve na disseminação de software de segurança falso. Segundo Scott Wu, Scott Molenkamp e Hamish O'Dea, no período compreendido entre 11 e 19 de Novembro, a MSRT limpou mais de 994 mil máquinas, livrando-as do que a ferramenta reconhece como "W32/FakeSecSen", a categoria de malware atribuída a uma ampla gama de programas de segurança fictícios, com nomes como "Advanced Antivirus," "Spyware Preventer," "Ultimate Antivirus 2008" e "XPert Antivirus."
Os utilizadores do Windows têm sido atacados nos últimos anos por uma avalanche de software de segurança falso, desde que os ciber-criminosos descobriram que se trata de uma autêntica máquina de fazer dinheiro. De acordo com um investigador, estes indivíduos podem chegar a realizar até cinco milhões de dólares por ano com a instalação de programas ilícitos nos computadores de terceiros, que depois apresentam informações falsas aos utilizadores. Depois de informarem o incauto dono do PC que a sua máquina está infectada, é exigido o pagamento de um determinado montante – normalmente entre 40 e 50 dólares - pois caso contrário a máquina é inundada com um fluxo constante de mensagens pop-up, dificultando ao máximo a sua utilização.

São muitas vezes os próprios utilizadores do Windows quem instala estes programas falsos, porque são levados a acreditar que se trata de software genuíno. Por vezes, o falso software de segurança chega mesmo a ser classificado como prioritário nos resultados de pesquisa na Internet. Mas também acontece este software malicioso ser automaticamente instalado através de malware que, previamente, já tinha entrado no sistema.

Uma das maiores operações

Este trabalho de limpeza foi um dos maiores de sempre da Microsoft. Em Junho de 2008, o MSRT detectou que 1,2 milhões de PC foram infectados com uma família de software malicioso especializado no roubo de senhas, enquanto que em Fevereiro último, limpou cerca de um milhão de máquinas infectadas com o cavalo de Tróia Vundo. Já durante o ano passado, esta mesma ferramenta de segurança da Microsoft conseguiu erradicar o famigerado Storm Trojan de 500 mil computadores.
Desta vez, a Microsoft aproveitou a ocasião para se auto-elogiar. Apesar de cada instalação do FakeSecSen normalmente conter um arquivo.exe, um ou dois. Dat, um applet do painel de controlo e outros componentes, a MSRT constatou que apenas cerca de 20% dos PCs infectados ainda alojavam o ficheiro .exe. (embora os outros componentes tenham permanecido no sistema, como prova da instalação do falso programa de segurança.)
A Microsoft justifica esta situação, acreditando que o .exe foi removido por outro software anti-malware que, todavia, ignorou os demais componentes do software malicioso. "A Microsoft foi capaz de limpar cuidadosamente os sistemas infectados pelo FakeSecSen, enquanto outras ferramentas de segurança se limitaram a eliminar os executáveis", disse Bill Sisk, um porta-voz de segurança da Microsoft.
Os utilizadores do Windows podem fazer o download da MSRT manualmente a partir do site Web da Microsoft, ou através do serviço Windows Update.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 204 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal