Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

19/12/2008 - Oeste Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falsas encomendas de banquetes provocam prejuízos de milhares de euros

Por: Francisco Gomes


Encomendou almoços e jantaradas de luxo, com marisco e produtos do mar, com o pretexto de celebrar aniversários, despedidas de solteiro e encontros de arquitectos, tudo na mesma altura. Fez os proprietários de restaurantes da Nazaré gastar centenas de euros e no fim não apareceu nem pagou as contas. Acabou por ser apanhado por um dos empresários e identificado pela PSP. Foram cinco os restaurantes lesados.

R.C., 21 anos, residente em Picamilho, Alcobaça, passou o feriado de 8 de Dezembro entretido a enganar restaurantes, provocando prejuízos que ultrapassarão os cinco mil euros, ao combinar verdadeiros festins para centena e meia de falsos convidados, que nunca chegaram a comparecer nos estabelecimentos. O acto foi premeditado, porque o burlão agendou almoços e jantares às mesmas horas.

José Simões, proprietário da marisqueira “O Luisinho”, na avenida marginal da Nazaré, terá sido o maior lesado. “Fiquei a arder com 52 jantares preparados com tudo à grande: seis quilos de camarão frito, lagostas, sapateiras, 46 doses de arroz de marisco, 6 pratos mistos de carne, tachos de molhos, bolos, doces e vinhos e digestivos à descrição. Dava à volta de 1700 euros”, avançou ao OESTE ONLINE.

Segundo relatou, o indivíduo apareceu no restaurante e marcou um jantar para celebrar duas festas de aniversário com 52 pessoas. “Contou que estava a morar num apartamento por cima do restaurante e andava atarefado a preparar os festejos, onde cada participante pagava a sua parte. Até achou barato, porque estava habituado a gastar mais dinheiro noutros lados. Não desconfiámos de nada e almoçou mesmo no restaurante, efectuando uma despesa de 17,50 euros, que disse pagaria à noite”, descreveu José Simões, que reforçou o número de funcionários para prestar o serviço.

Só que a noite chegou e ninguém apareceu. A filha do proprietário, que tinha o contacto do jovem, ameaçou-o que chamaria as autoridades policiais caso ele não liquidasse a dívida. Mal sabia ela que o rapaz tinha acabado de enganar outros restaurantes da vila piscatória.

O burlão tinha reservado 24 lugares para “um jantar de arquitectos” no restaurante Quebra-Mar. No restaurante Pátuá, o pretexto era uma festa de despedida de solteiro para 39 pessoas, com salmão fumado, massas, pastas, pizzas, melão com presunto e sobremesas. A despesa ascenderia a 850 euros. Valeu ao proprietário ter encontrado ocasionalmente o burlão na vila e chamado logo a PSP, que o identificou.

Veio então a saber-se que o indivíduo não se tinha ficado pela marcação de falsos jantares, como no mesmo dia tinha encomendado refeições requintadas em, pelo menos, outros dois restaurantes da Nazaré, onde não meteu os pés.

No restaurante Mar Bravo a reserva foi para um almoço de festa de despedida de solteiro para 28 pessoas. “Pediu 27 pratos de arroz de marisco e um prato de carne – empada de pato – que era para ele, porque não gostava de peixe”, indicou Fátima Araújo, directora do estabelecimento, que avaliou os prejuízos em 600 euros, na queixa apresentada à PSP.

“Teve os seus quinze minutos de fama”, comentou Fátima Araújo, que revelou que o jovem “só foi apanhado porque andou a passear ao pé dos restaurantes para observar os estragos que fez”.

Arrependido

R.C., contactado pelo OESTE ONLINE, confessou estar arrependido do acto. “Foi uma brincadeira sem razão e peço-lhes desculpas”, afirmou, revelando que os restaurantes lesados “foram cinco” – O Luisinho, Mar Bravo, Pátuá, Quebra-mar e Tasquinha.

“Estou em conversações para pagar os 700 euros de prejuízos de um deles e o resto estou a tratar com a polícia”, garantiu.

O rapaz, que já trabalhou num restaurante na Nazaré e se encontra actualmente desempregado, admitiu que “estava desnorteado e fora de mim” quando inventou a celebração de aniversários, despedidas de solteiro e encontros de arquitectos, encomendando almoços e jantaradas de luxo aos quais não apareceu ninguém, ficando os proprietários com a despesa nas mãos.

“No O Luisinho era mesmo para jantar com 52 pessoas, num convívio de amigos que tinha combinado com amigos de Alcobaça, mas nos outros marquei por brincadeira”, declarou, escusando-se no entanto a revelar porque motivo a festa “verdadeira” não se realizou.

“Obviamente que não vou fazer mais, basta, foi uma brincadeira que saiu mal e que por isso ficaram todos zangados comigo. Apercebi-me que estava a fazer mal praticamente depois”, manifestou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 253 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal