Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

07/12/2008 - RTP Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

BE: Louçã diz que há "défice democrático" no combate à fraude e branqueamento de capitais


Lisboa, 06 Dez (Lusa)- O Bloco de Esquerda afirmou hoje que existe "défice democrático em Portugal no combate à fraude e branqueamento de capitais", defendendo "a criação de juízos especializados" e o aumento de "competências no sistema de justiça" para punir estes crimes.

Falando dos casos do Banco Português de Negócios (BPN) e do Banco Privado Português (BPP), que considerou serem uma "catástrofe nacional", Louçã disse haver "défice democrático em Portugal" e defendeu que actualmente não existe "combate à fraude fiscal nem ao branqueamento de capitais".

As propostas "sobre a crise do sistema financeiro" integram o projecto de resolução aprovado hoje pela mesa nacional do Bloco de Esquerda.

"Deve haver competência no sistema de justiça para prevenir e punir estes crimes (...) aumentar as penas de prisão para este género de crimes, a criação de juízes especializados técnica e juridicamente para saber o que se passa nas transacções da finança internacional", defendeu hoje o líder do Bloco, Francisco Louçã, no final da última reunião da mesa nacional do partido antes da Convenção, que terá lugar a 6, 7 e 8 de Fevereiro do próximo ano.

"É necessário o combate ao crime financeiro, estamos na evidência do pântano que está instalado", referiu o líder partidário, a propósito do BPN e do BPP, acrescentando que o Presidente da República e Manuel Dias Loureiro deveriam "esclarecer o imbróglio", para que seja feito o "apuramento das responsabilidades políticas".

"Rejeitamos a nacionalização de prejuízos e a protecção aos accionistas e banqueiros que exigem o dinheiro dos impostos para pagar a especulação. No caso BPN só a nacionalização de todo o grupo Sociedade Lusa de Negócios e a responsabilização integral dos seus proprietários e gestores permite uma solução que proteja o emprego dos trabalhadores e o dinheiro dos contribuintes (...) no do BPP, os seus activos devem ser vendidos para cobrir prejuízos, que devem ser de exclusiva responsabilidade do banco e não do Estado", lê-se no projecto de resolução dos bloquistas. (ATF)

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 167 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal