Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/12/2008 - Jornal Gazeta Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

RGE intensifica fiscalização contra fraudes e roubo de energia

Empresa teria perdido mais de sete milhões com roubo de energia na cidade em cinco anos.

Com 41.453 fornecimentos de energia (Unidades Consumidoras) em Bento Gonçalves a Rio Grande Energia tem lutado de maneira sistemática para diminuir as perdas com irregularidades como o roubo de energia. O departamento de engenharia da empresa procedeu levantamento e constatou que desde o ano de 2002 foram 1.917 irregularidades (fraudes) somente em Bento Gonçalves; Destas, em 1.549 já foram identificados os valores que a companhia teve como prejuízo, ficando o montante em R$ 7,1 milhões.
Exatamente por conta da constatação de que o número de fraudes é elevado que em 2008 a empresa dedicou-se a uma campanha de inspeção em Unidades Consumidoras na cidade de Bento Gonçalves. Somente no mês de outubro foram encontrados 706 irregularidades; no ano inteiro foram 1.313. Das 41 mil unidades, foram selecionados para inspeção 25.578, ou seja, 61,7% das Unidades Consumidoras do município. Mas, por questões estratégicas e técnicas, as inspeções do ano de 2008 na cidade de Bento Gonçalves, foram selecionadas 6.615 Unidades Consumidoras consideradas como prioridades de inspeção.

“Quem rouba energia está enganando não apenas a empresa fornecedora, mas o município e o estado que deixam de receber ICMS e a comunidade como um todo que vê a tarifa de energia ser majorada”. Desta forma o gerente da divisão de perdas comerciais da Rio Grande Energia, João Aldavez define uma nova chaga para as companhias de energia elétrica: as fraudes e roubos de energia elétrica. Ele alerta para o surgimento de quadrilhas que oferecem o serviço até pela internet. “São pessoas que se consideram espertas. Fazem até seminários sobre o assunto”.
As fraudes deste tipo surgiram com força no Brasil a partir do racionamento feito em 2001, quando em estados como São Paulo havia cotas de energia para serem gastas. Para ficarem dentro da cota permitida as empresas passaram a fraudar.
Quando fala em roubo de energia a empresa não está de olho naquele consumidor muito pobre que mora na vila e eventualmente faz um gato. “Nestes casos nós procuramos ajudar e desde que a área seja legalizada pela prefeitura, até fornecemos a rede de energia com entrada sem custo ao morador”. As fraudes sob a mira da concessionária de energia ocorrem em residências ou empresas que são consumidoras regulares. O crime consta do código de processo civil como furto ou fraude, dependendo da prática adotada. O consumidor apanhado nesta situação é cobrado e tem várias chances de recursos, desde que possa comprovar com documentação que não tentou fraudar. “Temos 1 milhão 18º mil consumidores e constatamos apenas 60 mil fraudes neste período, então é uma minoria”.
Aldavez lembra que as pessoas podem tentar reduzir o consumo de energia, mas todo o esforço neste sentido deve ser feito dentro da residência ou da empresa, com troca de lâmpadas ou fios. “Sempre que alguém te oferecer uma solução para reduzir o consumo instalando algum aparelho próximo da caixa de entrada da luz ou mesmo mexendo no medidor, pode ter certeza, é um enganador”, alerta o engenheiro.
Em Bento Gonçalves uma pessoas está estabelecida no prédio da RGE e tem recebido os consumidores flagrados para compor formas de pagamento da dívida.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 207 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal