Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

24/11/2008 - Último Segundo / New York Times Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Editorial: Negócios predadores atacam vítimas da crise imobiliária


Os problemas no setor de hipotecas de alto risco ("subprime") também atingiram os corretores predatórios. Durante anos eles se alimentaram de empréstimos ruins até que essa realidade deixou de funcionar e eles passaram a ser tubarões sem presas.

Agora eles voltaram a circundar. Os predadores de todo tipo se reagruparam e retomaram sua antiga postura, desta vez como companhias de modificação de hipotecas, agindo como mediadores dos negócios entre donos de imóveis e bancos, oferecendo um acordo em troca de dinheiro na mão.

O negócio de grande pressão e volume é anunciado da maneira econômica tradicional: comerciais durante programas de rádio, pop-ups na internet, panfletos no para-brisa de carros. As propagandas são promessas brilhantes, como esta de Long Island, N.Y.: "Reduza sua hipoteca a um índice de até 4%. Sem refinanciamento - nenhum custo adicional. Reduza seu pagamento mensal. Desapropriações, inadimplência e crédito ruim OK".

Isso lhe custa algo (neste caso, 1% do valor do empréstimo adicional, metade à vista).

Não há nada ilegal sobre essa prática crescente e desregulamentada.
Algumas lojas são verdadeiros golpes, que pegam o dinheiro e desaparecem. Mas outras são simplesmente amorais, lucrando sobre medo e falsas esperanças com serviços caros que organizações sem fins lucrativos e agências governamentais oferecem gratuitamente.

Os proprietários em dificuldades sabem tudo sobre a perseverança do grupo de resgate de empréstimos: eles lotam sua caixa de correio e enviam vendedores a sua casa. O processo de desapropriação é de domínio público e os agentes de modificação vivem em cortes em busca de pistas. Consultores da Long Island Housing Partnership, uma respeitada organização sem fins lucrativos de Hauppauge, N.Y., contam que golpistas participam de seus workshops, posando de proprietários, para depois atacar a plateia com discursos de vendedor.

E eles trabalham muito. Uma ligação a uma empresa de advocacia cujo número gratuito foi anunciado na rádio WABC é recebida por um vendedor linha dura. "Nós temos 100% de sucesso" na renegociação de empréstimos, promete, relutante em dizer mais até que você diga qual a sua mensalidade e há quantos meses está atrasado.

A dolorosa verdade é que ninguém tem 100% de sucesso e nem todas as hipotecas têm conserto. Os bancos recentemente fizeram acordos públicos para tentar solucionar os problemas dos empréstimos. Mas os proprietários precisam entender que a melhor forma de fazer isso é diretamente com o seu financiador ou um advogado de reputação conhecida.

O discurso dos interventores em busca de lucro é cruelmente decepcionante ao prometer que você receberá pelo que pagou.
Organizações sem fins lucrativos, que trabalham de graça, dizem que conseguem acordos melhores, porque têm um relacionamento de longa data com as financiadoras.

Mas isso não significa que advogados com boas intenções sejam agressivos e eficientes em encontrar pessoas que precisam de ajuda.
Governo, bancos e organizações sem fins lucrativos precisam ser mais criativos e diretos para lidar com estes predadores (anunciar que a esperança não exige milhares de dólares em dinheiro adiantado, apesar de significar que é preciso encarar algumas verdades sobre suas finanças e o futuro).

As organizações sem fins lucrativos geralmente reclamam da dificuldade dos proprietários em pedir ajuda. É verdade que as pessoas endividadas geralmente têm vergonha e vivem envoltas em negação. Elas não abrem suas cartas ou fazem confiantes indicações. Mas os bons atores neste drama ruim precisam conseguir resolver seus problemas, antes de gastar seu dinheiro de forma errada.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 184 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal