Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

14/11/2008 - Diário da Manhã Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Decon apreende 30 mil óculos falsos

Por: Ivair Lima


A Operação Olho Vivo, realizada pela Delegacia do Consumidor (Decon) durante todo o dia 12 (quarta-feira), resultou na apreensão de 30 mil óculos falsificados e cerca de 20 mil sombrinhas e guarda-chuvas contrabandeados.

A operação mobilizou quatro delegados, 26 agentes policiais e escrivães e quatro agentes da Vigilância Sanitária. Os produtos irregulares foram apreendidos nos três camelódromos da Praça A, em Campinas, no Camelódromo Central e na Galeria Anhangüera, no Centro. O delegado titular da Decon, Edemundo Dias de Oliveira Filho, informou que a ação policial foi desencadeada depois de denúncias de consumidores. “Fomos procurados por pessoas que tiveram problemas de saúde ocular, consultaram médicos e descobriram que a causa foi o uso de óculos que não protegem os olhos.”

Edemundo Dias diz que o prejuízo à saúde vem acompanhado de efeitos colaterais preocupantes. “Por trás dos esquemas de falsificação e contrabando, existem organizações criminosas muito perigosas.” O delegado afirma que é assustador o número de produtos irregulares. “Nossa luta é para conscientizar a população de que o produto pirateado é fruto de um crime. A arrecadação perde R$ 1 bilhão por ano para a pirataria.”

Os óculos apreendidos devem ser destruídos, porque não apresentam condições mínimas de uso. Os guarda-chuvas e sombrinhas serão encaminhados à Receita Federal.

Procedência

Associação Brasileira de Produtos e Equipamentos Ópticos (Abiótica) calcula que entre 50% e 60% dos óculos vendidos no Brasil têm procedência irregular. O coordenador de Operações da Abiótica, Elter Santos, diz que o mercado óptico, que movimenta R$ 9 bilhões ao ano, pode expandir até 70% mais.

Elter Santos afirma que a busca por produtos de baixa qualidade é fruto do casamento da falta de recursos de uma grande faixa da população com a irresponsabilidade dos falsificadores. “O mercado é promissor e está em expansão, mas a população não tem o atendimento que precisa. Isso atrai gente desonesta. Já melhorou, mas a taxa de produtos de baixa qualidade ainda é muito grande.”

Olhos expostos a raios solares

O oftalmologista Leopoldo Magacho explica que o uso de óculos que não protegem contra os raios ultravioleta expõe todo o olho a riscos. “A pessoa pode se sentir confortável, mas o olho fica mais exposto aos raios.” Com a pupila dilatada para enxergar através da lente escura, os raios ultravioleta atingem mais facilmente o fundo do olho.
Segundo o oftalmologista, nos casos mais graves pode ocorrer até queimadura. “As doenças são inúmeras. Entre elas, a catarata e graves problemas de retina. Usar óculos que não filtram os raios ultravioleta é mais prejudicial do que não usar óculos nenhum.” O médico explica que as lentes de qualidade protegem contra até 100% dos raios nocivos. Ele recomenda que pessoas de olhos claros, especialmente as crianças, não exponham os olhos ao sol. E só usem óculos escuros de boa procedência, que são fiscalizados.
As boas marcas informam ao consumidor o nível de proteção contra a radiação ultravioleta que as lentes oferecem. A informação deve estar no adesivo afixado nos óculos ou em manuais do produto.
Leopoldo também alerta para o risco do uso de óculos de grau sem prescrição médica. “Os sintomas causados pelos óculos errados são, no máximo, dor de cabeça, incômodo e náusea. O verdadeiro problema é não fazer diagnóstico e não tratar a doença, que pode evoluir até a cegueira.” Armações de má qualidade também são prejudiciais. Podem causar irritações na pele e alergias.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 228 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal