Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

30/10/2008 - Portugal Diário Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Tenha cuidado com os seus dados bancários na net


O número de burlas bancárias via informática (phishing) registou «uma subida exponencial no último ano», disse ao Diário de Notíciaso subdirector do Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF) da PJ, Carlos Cabreira. Preocupada com esta situação, a PJ já lançou um alerta aos cidadãos para evitar que o número de burlados seja superior.

Segundo o DN, 2,11 milhões de euros foram desviados pelo método de phishing, sendo que Lisboa, Porto, Leiria e Algarve, são as zonas mais afectadas. Mas as autoridades estão atentas e já conseguiram deter três pessoas.

Na prática, os burlões fazem-se passar por entidades bancárias ou gestores de conta e pedem passwords e números de cartão de crédito por e-mail ou sms. Acreditando que realmente se trata de pessoas idóneas e ligadas ao banco de que são clientes, os utilizadores acabam por dar esses dados, o que permite que, utilizando o sistema de banca online, os burlões consigam «apropriar-se de dinheiro alheio», explicou o subdirector da DCICCEF.

O tipo de vítima desta actividade, segundo a mesma fonte, não tem um perfil típico. «São pessoas que consultam os serviços dos bancos online e que não não têm os cuidados suficientes na utilização», explicou.

Bancos também são vítimas

O DN recorda que este ano, o norte-americano Bank of Lancaster County foi alvo de um novo tipo de phishing. Aproveitando o momento em que o banco foi comprado por outro e, por isso, todos os cartões de crédito e débito foram trocados, os burlões telefonaram e enviaram e-mails aos clientes a dizer que os cartões tinham sido cancelados. Para voltar a activa-los, o clientes teriam de ligar para um número de telefone, supostamente gratuito (que afinal não o era) e dizer a senha. Desta forma, os burlões teriam acesso às contas bancárias.

Em Portugal, as investigações deste tipo de crime podem vir a ser prejudicadas, já que, segundo o DN, em Setembro deste ano, mais de 300 inquéritos de crimes informáticos foram arquivados pela PJ só na comarca de Lisboa. Em causa está a impossibilidade, nas novas leis penais, de as autoridades acederem aos dados de tráfego electrónico.

A lei só permite que os dados de tráfego cibernético sejam requeridos em investigações de crimes com penas superiores a três anos, que não é o caso. A burla informática é punida em Portugal com pena de prisão de até três anos ou pena de multa.

Por isso, alerta a PJ e as instituições bancárias, o melhor é ter cuidado e nunca dar o dados bancários por e-mail ou sms, mesmo que este pareça ter sido enviado pelo seu banco.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 334 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal