Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/10/2008 - B2B Magazine Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PMEs investem pouco em segurança de dados


As pequenas e médias empresas têm pouca consciência da necessidade de investir em segurança de dados. A conclusão é da consultoria IDC Brasil, que apontou, em seu estudo "Brasil Semiannual Security Software Tracker", que os investimentos nesse quesito pelas empresas brasileiras ainda são pequenos se comparados ao restante do mundo. “As pequenas empresas estão mais preocupadas em instalar produtos como anti vírus e firewall para garantir a segurança”, explica Samuel Carvalho, analista de software da consultoria.

Ainda assim, a consultoria aponta que o mercado de software de segurança cresceu 13% no primeiro semestre – destacando-se entre as demais soluções. Cerca de 70% foram aplicados em proteção contra vírus, spyware, spam, hackers e invasões de sistemas. Os 30% restantes foram destinados a gerenciamento de acesso e identidade, soluções que possibilitam avaliar postura frente aos riscos, além de criptografia, webservices, etc.

Apesar da baixa incidência, os softwares de gerenciamento de identidade são os de maior expansão e devem responder por uma fatia de 30% do total investido pelas empresas brasileiras até o fim do ano. “Esse mercado está evoluindo e um componente importante é o GRC (Governança, Risco e Compliance). As empresas precisam seguir normas, como SOX, PCI e outras, e necessitam de soluções de identidade”, explica Samuel Carvalho, analista de software da IDC.

“A principal prioridade para esses executivos está em atender as regulamentações e obedecer às leis e regras. Essa preocupação está à frente, inclusive, das duas outras prioridades: melhoria do atendimento e do serviço ao cliente e a eficiência”, completa.

O analista diz que os investimentos são feitos, principalmente, para combater a corrupção e a fraude, gestão de risco e transparência. As grandes empresas, especialmente bancos e de manufatura, são as que mais investem. “O governo ainda não é um forte comprador, mas já está percebendo a necessidade desse tipo de projeto. Vale lembrar que, quanto maior o tamanho da empresa cresce a preocupação com as ameaças de origem interna e isso estimula o mercado”, observa.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 207 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal