Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

13/10/2008 - Gazeta Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia registra oito golpes e falsos seqüestros por dia no ES via telefone

Por: Melina Mantovani


Golpes via telefonia fixa ou móvel estão cada vez mais comuns no Estado. Falsos seqüestros, prêmios que não existem. As modalidades são muitas e em geral tentam pegar a pessoa pelo lado emocional ou com promessas de ganhos fáceis. No Espírito Santo foram registrados, neste mês, oito denúncias de golpes e falsos seqüestros, diariamente.

Nos últimos meses do ano e no início do ano seguinta, devido as festas de Natal e Réveillon, férias, verão e carnaval, os golpes ficam mais freqüentes. Na ânsia de obter dinheiro rápido, os bandidos não perdem tempo e iniciam uma verdadeira maratona criminosa atrás de vítimas em potencial. Desde o mês de setembro, uma média de cinco ligações são registradas por dia na Delegacia de Defraudações apontando golpes distintos. Segundo o delegado Lauro Coimbra, 99% dessas ligações são originadas no Estado e na maioria dos casos, a vítima não registra o crime nas delegacias.

O golpe do seqüestro é bem conhecido: um criminoso liga para um determinado número e avisa que seqüestrou o parente da pessoa que atende o telefonema. em seguida pede uma recompensa em dinheiro para libartar a vítima. Na linha, os criminosos, geralmente, colocam uma pessoa chorando, o que faz com que os familiares tentem um acordo e cheguem aos limites do desespero. Um erro grave, segundo o delegado.

Coimbra aconselha a quem receber esse tipo de ligação, que desligue imediatamente o telefone e localize o parente supostamente seqüestrado para constatar a fraude. Geralmente, ao se tratar de um seqüestro real, o bandido não ligaria do cativeiro e nem demoraria na ligação, para não ter a localização identificada.

O crime, acontece muitas vezes, porque o bandido se utiliza da fragilidade emocional da família para concluir o golpe, segundo o delegado. "A própria família acaba identificando o nome, a roupa que o filho está usando e acaba achando que tudo que está acontecendo é real, pois os bandidos se utilizam dessas informações para fazer a chantagem", disse o delegado.

O policial, que não quis se identificar, disse que já caiu no golpe e afirma que mesmo tendo consciência da existência desse tipo de crime ficou em estado de choque quando recebeu a ligação dizendo que o filho havia sido seqüestrado. "Eu estava no serviço, recebi um telefonema de uma pessoa chorando, supostamente uma criança, dizendo que era meu filho e um adulto pegou o telefone dizendo que o tinha seqüestrado e que queria um valor em dinheiro para poder liberá-lo. Eu consegui ganhar um tempo, liguei para o meu filho, vi que ele estava no colégio e, então, encerrei a ligação", contou.

Prêmios

Outro crime comum pelo celular é o que oferece prêmios. Geralmente, o crime começa com o envio de um torpedo dizendo que o dono do aparelho ganhou um carro zero km, uma moto ou televisor de uma emissora de televisão. A pessoa acaba sendo levada a depositar algum tipo de dinheiro ou comprar cartões de telefone sem raciocinar sobre a origem do prêmio, que certamente serviria para abastecer o sistema presidiário, segundo o delegado.

Uma funcionária pública, que não quis se identificar, caiu no golpe da premiação. Ela recebeu uma mensagem dizendo que tinha ganhado um carro Zero Km na promoção de uma emissora de TV. O filho percebeu que a mãe estava sendo enganada depois de ter gasto R$ 100,00 em cartões telefônicos e comprado três produtos de uma marca especificada pelo falso gerente da emissora. Ele percebeu a fraude depois que o golpista disse que se ela comprasse R$ 200,00 em cartões telefônicos, ganharia de presente R$ 1 milhão. A ligação foi feita do Ceará, mas foi percebida depois do golpe.

O delegado Lauro Coimbra diz que as pessoas devem documentar as informações para a polícia na delegacia mais próxima ou na delegacia on-line, para que seja feito um boletim de ocorrência, dando o número do telefone discado, para que o crime seja investigado por meios legais.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 169 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal