Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

06/10/2008 - Plenário / FaxAju Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Quadrilhas especializadas em fraudes bancárias roubam R$ 300 milhões dos brasileiros


É difícil encontrar um cidadão brasileiro com renda que não use cartão de débito e crédito. É mais raro ainda conhecer alguém que nunca tenha feito uma movimentação bancária pela internet ou mesmo uma simples compra usando o computador. Se você utiliza esses benefícios comuns da era high-tech, é bom ficar ligado. Nesse universo atuam quadrilhas especializadas em fraudes bancárias que, a cada ano, roubam silenciosamente dos brasileiros mais de R$ 300 milhões, segundo estimativa da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Mas isso não quer dizer que os ladrões deixaram o mundo real de lado. Pelo contrário. Estelionatários continuam aprimorando técnicas para falsificar cheques e agem a todo vapor na praça. Em um ano (2006), o Banco Central resgatou 270 mil cédulas falsas da praça. Junta, essa dinheirama sem valor somava mais de R$ 22 milhões, o dobro comparado com o ano de 2002.

Um dos maiores especialistas em prevenção de fraudes bancárias, Arnaldo Ferreira dos Santos, faz um prognóstico nada animador para a atuação das quadrilhas. “Quanto mais avança a tecnologia, mais os estelionatários se aprimoram. Com a internet, eles roubam sem sair de casa ou mesmo de qualquer lugar do mundo usando um computador portátil”, ressalta. Ferreira presta consultoria a vários bancos privados, ensinando como se previnem golpes.

No material que usa, tem de tudo. Cédulas falsas, cheques clonados, falsificados e cartões em nome de gente que nem existe. Ferreira já usou cheques falsos para comprar um carro zero e já abriu diversas contas bancárias com CPF de pessoas que já morreram. Ele coleciona identidades falsas e possui um kit-golpe que deixa qualquer um de queixo caído. “O mais novo golpe é o do perfume. Desse, poucos escapam”, assegura.

O golpe do perfume é comum no centro do Rio de Janeiro e São Paulo. No passa-passa de gente apressada, uma pessoa bem vestida disfarçada de representante de perfumes aborda alguém e pergunta que fragrância a pessoa está usando. Ingênua, ela diz o nome do perfume e o falso representante diz que tem uma amostra por um preço irrisório. Ninguém resiste e acaba indo a um lugar bem perto e, ao pegar o frasco do perfume e cheirar, a pessoa desmaia. Nessa hora, o ingênuo tem roubados o celular, a carteira e tudo mais de valor que estiver carregando. “O brasileiro cai em golpes como esse porque é ganancioso. Adora ofertas, promoções e sempre quer levar vantagem. É nessa característica que os golpistas se dão bem”, avalia Ferreira.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 355 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal