Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/09/2008 - Comunidade News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Advogado é preso por falsificação de documentos


A falsificação de documentos levou um advogado de Hartford para a prisão. O peruano Jose del Castillo, 49, teria dado falsas declarações à imigração para legalizar clientes de seus restaurantes, como se fossem funcionários. O advogado foi condenado a um ano e um dia de prisão.
Segundo o Hartford Courant, a audiência ocorreu no dia 10 último, na presença do Juiz Robert N. Chatigny e do Assistente de Procurador Douglas Morabito. Ambos disseram que se tratou de uma “violação do juramento” de Jose. O advogado de defesa, Hope Seeley, disse que o cliente dele fez mais bem do que mal. O réu se limitou a dizer que “ultrapassou os limites”.

De acordo com as diretrizes federais, Jose seria sentenciado com um período entre 12 a 18 meses, mas o Juiz Chatigny preferiu aplicar a pena de 366 dias de prisão. O advogado também recebeu do juiz uma multa de $15,000. Chatigny declarou ainda que os melhores sistemas dependem muito da integridade dos advogados, e que o “limite” que Jose ultrapassou é muito importante. “Sua conduta envolveu um abuso de confiança”, disse o juiz.

Ainda este ano, Jose, que era presidente da Agência de Redesenvolvimento de Hartford, assumiu a culpa pela acusação de fraude de documento federal. No final de 2006, ele recebeu quase 12 acusações de fraude de documentos. Ele preencheu formulários a nível estadual e federal, declarando que os clientes dele tinham ofertas de trabalho como cozinheiros e anfitriões do Mamacita’s at the Forge Restaurant, que pertenceu a ele.

No ano de 2001, quando uma lei federal de imigração foi aberta para patrocinar imigrantes indocumentados, Jose entrou com cerca de 100 aplicações para clientes, de acordo com os arquivos do Departamento de Trabalho. Quatorze destas aplicações seriam para empregar 9 cozinheiros e 5 anfitriões para trabalhar no restaurante Frog Hollow. As nacionalidades eram as mais variadas possíveis.

Imigrantes saíram perdendo

Os promotores federais alegam que tanto as aplicações para empregar pessoas no Mamacita’s quanto em outro restaurante eram fraudulentas.
O crime de del Castillo também inclui o preenchimento de um formulário para empregar uma mulher que vive na Polônia, a fim de iniciar o processo de cidadania. A mulher não sabia disso, muito menos teria consentido o fato. Jose disse que a mulher poderia trabalhar no restaurante dele pois teria adquirido experiência como garçonete, o que era mentira.

As fraudes de Jose podem custar o exercício da profissão de advogado. O advogado Joseph Tapper, ex-presidente da Associação Americana de Advogados de Imigração – sessão Connecticut, aprovou a decisão do juiz, mas lembrou que as vidas dos imigrantes prejudicados, que provavelmente foram “convidados” a sair do país, por causa dos atos de Jose, não foram levadas em consideração.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 287 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal