Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

16/09/2008 - paraiba.com.br Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude de R$ 24 mi: MP denuncia ex-reitor da UnB e mais 4


O Ministério Público Federal (MPF) no Distrito Federal denunciou à Justiça cinco pessoas acusadas de desviar cerca de R$ 24 milhões da Fundação Universidade de Brasília (FUB). Foram denunciados o ex-reitor da UnB Lauro Morhy, a ex-diretora do Centro de Seleção e Promoção de Eventos (Cespe) Romilda Macarini, dois ex-diretores e um então funcionário da Finatec.
Segundo a denúncia, o dinheiro teria sido repassado, sem licitação, à Fundação Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec) para a execução de um contrato com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Foram denunciados o ex-reitor da UnB Lauro Morhy, a ex-diretora do Centro de Seleção e Promoção de Eventos (Cespe) Romilda Macarini, dois ex-diretores e um então funcionário da Finatec. Todos foram denunciados pelo crime de peculato - quando o funcionário público utiliza-se do cargo para desviar dinheiro ou qualquer outro bem móvel, em proveito próprio ou alheio. A pena varia de dois a 12 anos de prisão, além de multa.

Entre 1998 e 2001, a Finatec teria recebido cerca de R$ 140 milhões para operacionalizar o contrato. Segundo as investigações, o esquema de desvio consistiria na criação de mecanismos para ocultar o dinheiro a mais ¿ cerca de R$ 24 milhões - que seriam repassados pela FUB à Finatec. O valor seria resultado do pagamento de serviços que não teriam sido executados ou do superfaturamento de preços supostamente cobrados pela FUB ao INSS. O dinheiro desviado seria aplicado em contas inativas de convênios em execução, manobra que dificultaria a localização do montante não gasto na execução do contrato e impediria sua devolução à FUB ou ao próprio INSS.

Segundo a denúncia, outra irregularidade estaria no fato de a Finatec ter sido subcontratada por dispensa irregular de licitação. Conforme apurado pelo MPF e pela Polícia Federal, a conduta tem sido uma prática comum para a concretização de supostos desvios de dinheiro público por parte dos dirigentes da UnB nos últimos anos. De acordo com os procuradores da República Raquel Branquinho e Rômulo Moreira Conrado, os contratos feitos sem licitação pela FUB para a execução de todo tipo de serviços e as subcontratações de fundações de apoio tornaram-se uma forma eficaz de "captação de negócios paralelos à estrutura institucional da UnB".

O contrato da FUB com o INSS também é alvo de uma ação de improbidade administrativa proposta pelo MPF em 2005. Na ação, o MPF sustenta que o INSS contratou a FUB para prover as suas agências de mão-de-obra terceirizada em detrimento da contratação de servidores públicos concursados.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 238 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal