Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

16/09/2008 - Plenário / FaxAju Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Compra de voto com nota falsa é investigada em Canindé do São Francisco


Distribuição de cestas básicas, de gasolina e até denúncia de compra de votos com cédula falsa. Estes fatos fazem parte do processo eleitoral em Canindé do São Francisco, onde dois candidatos disputam a prefeitura: Orlandinho Andrade (PDT), candidato à reeleição; e Rosa Maria Fernandes (DEM).

Várias ações de investigação judicial eleitoral já foram protocoladas na Justiça pela coligação “Unidos pelo Povo”, encabeçada por Rosa Maria. Entre elas a que trata do caso de José Silva de Souza, conhecido por Cícero, que foi denunciado à polícia pelo comerciante Petrúcio Lourencio de Oliveira.

O que poderia ser um caso simples de estelionato transformou-se numa suspeita de crime eleitoral. Tudo porque uma nota de R$ 50,00, que serviu para Cícero comprar alguns produtos na mercearia, era falsa e, de acordo com o acusado, quem repassou o dinheiro foi uma pessoa de nome Rosineide, a pedido do prefeito Orlandinho.

Na polícia, Cícero disse que no dia 30 de agosto, por volta das 9h, foi até a casa do prefeito para pedir dinheiro. De acordo com o depoimento, Orlandinho mando que ele procurasse Rosineide que iria lhe repassar a quantia de R$ 100,00 para ele e um colega seu, conhecido por “Mano”.

Segundo o desempregado, Rosineide lhe disse que não poderia dar o dinheiro naquele local porque havia câmeras filmando, e que mandou que eles fossem para a rua do Pastor Nanor para repassar a quantia. Cícero relatou ao delegado que no local combinado recebeu uma cédula de R$ 50,00 que, mais tarde, foi utilizada para comprar alguns produtos na mercearia de Petrúcio.

A compra saiu por R$ 14,35. Minutos depois, o próprio Petrúcio foi até o Hiperbox, comprar produtos de limpeza, quando ao passar pelo caixa, a funcionária disse que a cédula era falsa. Chateado, ele foi até o encontro de Cícero para que ele ressarcisse o prejuízo, dando-lhe um prazo de um dia. Como o desempregado não pagou a quantia, ele resolveu denunciar o caso à polícia.

Cestas e gasolina

Segundo o representante da coligação Unidos pelo Povo, Genilson Chaves, esse caso não chega a ser surpresa. De acordo com ele, a cada dia surgem novas denúncias de uso da máquina e do poder econômico na eleição de Canindé do São Francisco. “Um fato gravíssimo é a distribuição ostensiva e aleatória de cestas básicas. O absurdo é tão grande, que até pessoas de Alagoas estão ganhando cestas”, afirma Genilson..

Em vídeos que foram protocolados à ação, é possível ver pessoas retirando cestas básicas de um veículo oficial da prefeitura, que também é visto entregando os donativos de porta em porta. Até mesmo um caminhão da Secretaria de Estado da Inclusão Social (placa HZQ 1461), foi flagrado repleto de cestas básicas que foram entregues através de uma associação comunitária pertencente a Edmilson Balbino Santos, o “Edmilson dos Sesp”, candidato a vereador pelo PT.

“Temos provas consistentes do uso da máquina em benefício da candidatura do prefeito. Quem vê as imagens não tem dúvida da prática da compra de votos em Canindé. Não queremos impedir a distribuição das cestas às famílias realmente carentes, mas que tal prática não seja feita de forma aleatória e com o intuito de tornar o processo desigual”, esclarece Genilson Chaves.

Além disso, ele afirma que o clima de terrorismo implantado por Orlandinho Andrade e seus irmãos Cacá e Murilo Andrade, entre os servidores é algo preocupante. “Em todos os atos políticos da coligação do prefeito existe uma lista de presença. Quem não for é imediatamente punido”,denuncia.

Segundo Genilson, a violência também preocupa os aliados da candidata Rosa Maria. Segundo ele, por pouco não aconteceu uma tragédia no último sábado (13), no povoado Cuiabá. “O namorado da irmã de Orlandinho, Ana Andrade, que diz que é policial, ao ver nossos eleitores, começou a dar tiros para o alto, na presença de várias testemunhas. Causou um tumulto generalizado e por pouco alguém não sai ferido ou morto, relata Genilson.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1090 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal