Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

24/09/2006 - Último Segundo / Agência Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Auto-escolas oferecem carteira com aprovação garantida


O exame prático de direção costuma ser um pesadelo para candidatos inseguros na hora de tirar a carteira de habilitação. Mas a ansiedade pode acabar por R$ 350,00 a R$ 450,00. É com essa faixa de preço que quatro de sete auto-escolas visitadas pela reportagem do jornal O Estado de S. Paulo trabalham para facilitar a vida dos alunos que não estão dispostos a correr o risco da reprovação. Com um gravador, o repórter recebeu as propostas ao se identificar como um aluno que havia acabado de chegar a São Paulo e, no interior, já tinha feito o curso teórico e sido reprovado duas vezes na prova prática. As auto-escolas - ou Centros de Formação de Condutores (CFCs), pelo nome oficial - foram escolhidas aleatoriamente, na zona oeste.

Em todos os casos, a conversa começou com funcionários falando dos custos de transferência de documentação, que variavam de R$ 100,00 a R$ 150,00. Resolvida essa questão, o repórter perguntava se havia como "fazer o teste sem reprovar". Em outras palavras, "comprar" a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Ou, na linguagem de instrutores dos CFCs, "quebrar" o examinador do Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Aí, surgiram as mais variadas ofertas.


Na Auto-Escola Opus’6, em Pinheiros, a atendente disse que era preciso pagar R$ 350,00, à vista, "para não ser reprovado". Perto dali, a Auto-Escola Pinheiros ofereceu uma vantagem: os R$ 450,00 exigidos poderiam ser parcelados em até três vezes no cartão. Segundo a funcionária, a empresa é a única da região a trabalhar com essa forma de pagamento.


Na primeira visita à Auto-Escola Jóia, em Perdizes, uma funcionária informou que, por R$ 384,00, o candidato poderia "ficar tranqüilo" em relação ao exame prático. A reportagem voltou dois dias depois e fez o mesmo pedido a outra funcionária, que, surpreendentemente, não deu a entender que haveria facilidades na prova de direção. "Traz sua documentação primeiro." O custo para a transferência e matrícula, segundo ela, seria de R$ 250,00.


A abordagem mais direta ocorreu na Auto-Escola Guerra, no Sumaré. O funcionário disse que poderia fazer "um pacote fechado por 450 paus", depois de perguntar "Você sabe dirigir já?" e receber como resposta "Ah, eu não passei duas vezes, né?". Os três CFCs que afirmaram não trabalhar com esse esquema foram: Duque de Caxias, Guedes e R5.


O presidente do Sindicato das Auto Moto Escolas e Centros de Formação de Condutores do Estado, José Guedes Pereira, afirmou que acha "praticamente impossível" um aluno pagar para garantir aprovação no exame prático. "Fico surpreso, porque uma auto-escola não tem condição de garantir isso. Quem faz as provas é o Detran."


No entanto, Guedes, um dos donos de uma rede de auto-escolas, admite que o setor sofre com "desvios de conduta" de empresas pequenas. "O número de CFCs provoca uma concorrência predatória e a fiscalização é insuficiente."


Para o advogado Cyro Vidal, presidente da Comissão de Assuntos e Estudos do Direito do Trânsito da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em São Paulo, o pagamento para aprovação no exame pode ser enquadrado em três crimes previstos no Código Penal: concussão, quando o funcionário público (examinador do Detran) exigir vantagem indevida, corrupção e fraude, com pena de até oito anos de prisão.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 459 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal