Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

09/09/2008 - Baguete Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Leis sobre Crimes Digitais confere peso real a infrações virtuais

Por: Herlon Andrei Fernandes Jeske


A responsabilidade dos provedores, bem como de empresas públicas e privadas, de monitorar o tráfego de dados é a principal pauta da primeira norma brasileira sobre crimes digitais.

De autoria do senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e ainda aguardando aprovação da Câmara dos Deputados, a legislação (similar a que está em vigor na Europa há sete anos) aperta o cerco contra quem comete delitos como fraudes bancárias, dissemina códigos maliciosos ou invade sistemas de acesso restrito.

Embora a fiscalização vise proteger os cidadãos e organizações das ameaças que atingem diariamente 500 mil computadores, dados PandaLabs, esta medida ainda não garantirá uma rede mais segura.

Assim como mostra a experiência européia, as definições que estabelecem penalidades para cada tipo de infração auxiliam essencialmente na identificação dos autores dos delitos. Ferramentas como os logs de conexão (registro que identificam o caminho percorrido pela internauta) gravados nos provedores de redes públicas e privadas serão disponibilizadas com essa finalidade.

Essa monitoração desmascara quem anonimamente fazia mau uso da Internet. Embora suscite debates a respeito da privacidade e propriedade intelectual, especialmente por quem utiliza programas de troca de arquivos como Kazaa ou Emule, por exemplo, a legislação não afeta a maioria dos usuários.

Entram para a constituição somente condutas de acesso a redes restritas e ninguém precisa temer ser processado por órgãos como a RIAA (Indústria Fonográfica Americana) por baixar músicas na Internet.

Não sem tempo, a Lei sobre Crimes Digitais, cujos projetos originais tramitam há oito anos no Senado, atende às necessidades de uma sociedade na qual as atividades de saúde, bancárias e até as da justiça migram seus escopos progressivamente para o meio digital.

É de interesse não só do setor de tecnologia de informação, mas também de todos aqueles que fazem uso dele e não querem ter seus sistemas acessados sem autorização, sofrer ataques de vírus ou ainda ver seus dados pessoais divulgados na Internet.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 326 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal