Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

20/08/2008 - Jornal da Cidade de Bauru Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Novo golpe, fogo em carro faz vítima

Por: Ieda Rodrigues


Se alguém no trânsito fizer sinal de que há problema com seu carro e, ao parar, essa pessoa disser que está saindo fumaça do motor e se oferecer para abrir o capô para ajudar, fique atento. Pode ser um golpista que utiliza uma nova tática para envolver principalmente mulheres e pessoas que não entendem de mecânica de veículos. Ao abrir o capô, sem que a vítima veja, ele joga um algodão imbebido em álcool no motor quente, o que provoca uma chama. Solícito, o estelionatário diz que queimou uma peça do carro e se oferece para trocá-la, alegando que é funcionário de uma revendedora de equipamentos para autos. Se o motorista não desconfiar e aceitar o “serviço”, cairá no golpe.

Foi o que aconteceu anteontem em Bauru com a professora Lenyta Gogoy Carminato, 63 anos, moradora do Jardim Redentor. Ao acreditar na encenação de um moço aparentando 23 anos que estava num Peugeot, ela pagou R$ 1.770,00, em dois cheques, para que ele trocasse uma peça de seu Uno ano 2005 placas DNW 2489, de Bauru. Só mais tarde, quando chegou em casa e conversou com familiares, começou a desconfiar da história. Ao levar o carro na oficina, constatou que nenhuma peça havia sido trocada.

“O mecânico disse que o Uno nem tem peça desse preço”, lamentava ela ontem à tarde, depois de registrar boletim de ocorrência relatando o caso e procurar o banco para solicitar a suspensão do pagamento dos dois cheques. “Como o moço disse que era funcionário de uma loja de peças - que por isso poderia conseguir um preço melhor-, fui à empresa. Lá, soube que não tem nenhum funcionário chamado Rodrigo (nome fornecido pelo golpista) e que a empresa só faz vendas após cadastrar o cliente”, relatou ontem ao JC, acompanhada de um advogado.

Fazendo questão de divulgar o ocorrido para evitar que outras pessoas caiam em golpe semelhante, Lenyta explica que não desconfiou porque ficou muito nervosa quando viu a labareda sair do carro ao mesmo tempo que o moço afirmava que estava pegando fogo.

“Eu estava voltando para casa, na quadra 14 da avenida Rodrigues Alves, quando entre os veículos o moço de um Peugeot fez sinal de que tinha algo errado no meu carro. Parei logo à frente e ele também, dizendo que estava saindo fumaça do capô. Ele se ofereceu para abrir o capô e ver o que estava acontecendo, quando eu, que estava dentro do carro, vi a labareda. Eu já estava tão desesperada que nem questionei como ele apagou o fogo já que não usou o extintor”, lembra.

Após deixar a vítima abalada emocionalmente, o rapaz completou o golpe. Falou ao celular como se estivesse consultando o preço da peça na loja e pedindo um desconto e, então, a professora aceitou que o veículo fosse “consertado” na rua mesmo. “Ele disse que o carro não sairia andando”, diz ela sobre o argumento usado pelo estelionatário.

Um outro rapaz, aparentando 28 anos, que seria amigo do primeiro, chegou ao local após cerca de uma hora com algo nas mãos que seria a peça. “E ele simulou ter trocado a peça. Comecei a desconfiar de que tinha alguma coisa errada quando cruzei o cheque de valor mais alto, de R$ 1.330,00, e ele reclamou”, completa a professora.

Indignada com o acontecido, Lenyta ressalta que ontem perdeu o dia de trabalho para fazer boletim de ocorrência e sustar o cheque. “E ainda corro o risco de ser chamada por causa desses cheques, que podem já terem sido passados no comércio”, prevê. O caso será remetido para o 3.º Distrito Policial para investigação. “Vamos solicitar se a vítima reconhece o autor (entre os estelionatários cadastrados pela polícia) para esclarecer este caso”, comenta o delegado Marcelo Haddad, titular do 3º DP, ao ser procurado pela reportagem.

Sem precedente

Na delegacia, não há notícia de golpe semelhante anteriormente registrado. “As pessoas têm de estar atentas se aceitar favor de estranhos. E desconfiar de negócios oferecidos na rua. Num caso deste, a pessoa deve ligar para um parente, procurar alguém do ramo para confirmar se havia algum problema no carro”, orienta o delegado numa época de proliferação de golpes. Alguns, como o do seqüestro, de tão divulgados por conta das inúmeras tentativas, já não têm feito mais vítimas.

De acordo com Marcelo Haddad, já faz tempo que ninguém procura o 3.º Distrito Policial para relatar que acreditou na histórica dos golpistas, de que alguém da família tenha sido sequestrado, e perdeu dinheiro. Já outros golpes, como o do bilhete premiado, apesar de antigo, esporadicamente faz vítimas. Há relatos de pessoas que entregaram mais de R$ 20 mil em troca de um suposto bilhete premiado. Para evitar ser vítima de golpe, as principais dicas são ficar atento a ajuda aparentemente desinteressada de estranhos e a proposta de ganho de dinheiro fácil. Veja no quadro ao lado alguns golpes já aplicados na cidade e como se defender.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 957 vezes




Comentários


Autor e data do comentário: Alessandro - 28/07/2012 13:48

Este golpe ainda esta sendo usado, meu pai, um idoso, foi vitima do mesmo, e desta vez teve o agravante de lesão fisica, precisomos ter muito cuidado, principalmente mulheres e pessoas idosas!
Fica o alerta!



O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal