Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/08/2008 - Correio de Uberlândia Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Estelionatários são presos em Uberlândia


Estelionatários, que atuavam em Uberlândia, foram presos nesta semana, graças a denúncias de vítimas que desconfiavam estarem sendo vítimas dos bandidos.

Anderson Gomes se passava por corretor de imóveis e, desde de fevereiro, negociava a venda de dois terrenos na rua Princesa Izabel com Laguna, no bairro Tabajaras. As vítimas só perceberam que se tratava de um golpe quando receberam as escrituras e no cartório souberam que eram falsas e que o verdadeiro proprietário dos imóveis já havia falecido. O prejuízo das vítimas foi de R$ 100 mil

Na residência de Anderson foram encontrados diversos documentos falsos entre identidades, CPFs e selos de fiscalização. Também foram encontrados carimbos do 1º Cartório de Registros de Imóveis de Uberlândia e do 1º Cartório de Ofícios de Imóveis e Hipotecas, todos também falsos. Anderson têm ainda uma outra passagem pela polícia por atrito verbal em decorrência de um desacordo comercial em 2007.

A outra ocorrência aconteceu no dia 30, quando os autores Jaqueline Alves, 43, auxiliar de enfermagem, e Agnaldo Leite, 50, auxiliar técnico, tentaram efetuar a compra de um veículo na empresa Renaut. O golpe teve início no último dia 25, quando um terceiro autor, Adilson Clementino, 45, auxiliar técnico, enviou um e-mail à empresa com uma proposta de compra de veículo em nome da vítima, que também não quis se identificar. Ao verificar os dados da vítima, o vendedor da empresa constatou a existência de um cadastro da aposentada, que confirmou não ter feito nenhuma proposta.

Jaqueline e Agnaldo foram presos na concessionária quando tentavam efetivar a compra. Os acusados denunciaram Adilson como responsável pela adulteração dos documentos que também foi preso e ainda denunciou outros dois autores Roberto Hipólito, ex-advogado, e um outro conhecido apenas por Aiton. O autor Adilson Clementino ainda possui passagens por estelionato e outros delitos em mais sete cidades do Estado de São Paulo e também em Uberlândia.

Dicas para evitar que esse tipo de crime aconteça

· A ambição desmedida do lucro fácil favorece a ação dos vigaristas. Não se deixe levar por ofertas fabulosas e negócios da china;
· Agências de emprego que cobram taxas antecipadas a pretexto de conseguir excepcionais empregos ou outras vantagens não passam de arapucas disfarçadas. Denuncie.
· Ao fazer negócios com desconhecidos não se deixe levar por referências favoráveis colhidas em fontes igualmente desconhecidas. Procure confirmar as informações recebidas com pessoas de sua confiança;
· Certifique sempre se o profissional que presta um serviço a você é realmente credenciado para o exercício da profissão;
· Ao investir suas economias em um consórcio, não acredite em todas as promessas do vendedor e leia com atenção o contrato que vai assinar para não se arrepender mais tarde;
· Ao ser procurado por um desconhecido que lhe dá uma notícia trágica, não se precipite. Procure com algum conhecido uma confirmação e não lhe entregue dinheiro em nenhuma hipótese;
· Ao vender qualquer de seus bens, não se impressione com o alto preço ofertado, investigue antes a idoneidade do comprador. Você poderá estar levando dinheiro falso;
· Caipira que o aborda na rua com um bilhete premiado para receber é um malandro que deseja lesá-lo. Chame o policial mais próximo;
· Cheque visado dado em pagamento por desconhecidos, fora do expediente bancário, deve ser confirmado pelo banco antes de ser aceito como dinheiro em espécie;
· Desconfie sempre de fiscais demasiadamente rigorosos que, rapidamente, se prontificam a quebrar o galho mediante propina - pode se tratar de um malandro. Chame o policial mais próximo;
· Não acredite em "honrosas ofertas" de compra de lotes de terreno por telefone. Há malandros que vivem as custas do chamado trabalho de macaco, ou seja, conversa fiada pelo telefone para vender terrenos "frios";
· Evite confiar a guarda ou o transporte de valores a menores ou pessoas inexperientes. Se for obrigado a fazê-lo, alerte-os contra a ação dos vigaristas que agem nos centros bancários;
· Desconfie de negócios muito vantajosos que surgem da noite para o dia;
· Quando estiver transportando valores não se deixe distrair por qualquer motivo;
Se você for interpelado por alguém que se diz policial e não estiver devidamente fardado, exija a exibição de sua cédula de identidade funcional é um direito seu e sua garantia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 430 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal