Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

07/07/2008 - Notícias do Estado de Go Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Sistema permite prisão de estelionatário


Apenas com o número 171, apelido de pessoa procurada, o delegado Eduardo Prado, de Alvorada do Norte, conseguiu localizar o estelionatário Aécio Gomes Cunha, através do Sistema Integrado de Segurança Pública. A investigação foi possível graças à interação de dados proporcionada pelo sistema, um portal desenvolvido pela Assessoria de Informática e Telecomunicações da Secretaria da Segurança Pública, composto por 17 sistemas, que permite acessar, a qualquer momento, antecedentes criminais, laudos do IML, boletins de ocorrência das polícias Militar e Civil, termo circunstancial de ocorrência, laudos do Detran, sistema prisional e mandados de prisão, ou seja: toda informação necessária à autoridade policial.

Na casa de Aécio, em Goiânia, foram encontrados bens furtados, cópias de documentos e cheques. Após o golpe em Alvorada, o estelionatário foi para a cidade de Goiás, onde foi preso ao ser reconhecido por uma vítima de Faina. Eduardo Prado continua investigando outros possíveis golpes no interior, enquanto, em Goiânia, o delegado Jacó Machado, do 2º DP, que ajudou o delegado de Alvorada do Norte na busca da identidade do estelionatário, investiga golpes dados na capital.

Assessor parlamentar

Ninguém sabia nome, nem a procedência. Apenas o apelido, 171. Com essa única informação e a queixa de várias pessoas que foram ludibriadas pelo "171", Eduardo Prado recorreu ao Sisp em busca de pista que levasse à pessoa procurada. Ao entrar no portal, o delegado procurou fotos para reconhecimento das vítimas. O procedimento levou à confirmação da identidade de Aécio Gomes Cunha, que dizia ser assessor de um senador. A prisão provisória já foi decretada.

O delegado de Alvorada do Norte explica que só com um sistema tão completo e eficiente foi possível chegar ao estelionatário. No sistema, Prado deparou com sete passagens de Aécio por Goiás, cinco pelo Tocantins, além de Mato Grosso. "Foi muito importante o manuseio do sistema integrado, que me mostrou os boletins de ocorrência, revelou os mandados de prisão, a fotografia", diz. Eduardo é enfático em dizer que a SSP-GO possui uma ferramenta de extrema validade, qual seja a integração de dados, sem o que não seria possível chegar ao estelionatário. Chefe da AIT, Rogério Bernardes afirma que os sistemas ali desenvolvidos possibilitam a elucidação de crimes com maior rapidez.

A história

Aécio Gomes Cunha chegou em Alvorada do Norte e conversando com um frentista, disse ser assessor de um senador e, que precisava transportar um gado de Goianésia para Nova Roma. O frentista indicou Jorge Luís da Silva, conhecido transportador de gado na região. Foram contratados dez boiadeiros e um caminhão para frete. Aécio, o 171, fez compras em Alvorada, utilizando cheques de Jorge, no total de R$ 23 mil. Para garantir o pagamento, depositou na conta de Jorge um cheque roubado de R$ 63 mil. Pagou as passagens dos peões para Planaltina, abandonou-os e seguiu para Formosa com o caminhoneiro, levando compras no valor de R$ 20 mil. Chegando em Goiânia no domingo, por volta das 18 horas, Aécio contratou uma kombi e transferiu as compras. Abandonou o motorista do caminhão sem pagar e seguiu para casa.

Jorge e os peões retornaram para Alvorada, procuraram a delegacia e relataram o fato. Começava a busca do 171 pelo delegado local. As compras foram parar em um carro abordado pela polícia. Ao interrogar os passageiros do carro, sem respostas convincentes, a Polícia Militar os encaminhou para o 2º DP de Goiânia. Nas compras ainda constavam etiquetas do supermercado de Alvorada do Norte. Ao entrar em contato com o supermercado, os policiais civis souberam que a compra tinha sido feita em nome de Jorge Luís da Silva, que solicitou a suspensão do cheque porque havia sido vítima de um golpe. A partir das informações, os delegados Eduardo e Jacó fizeram buscas no portal da Segurança Pública, chegando à identidade do 171.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 395 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal