Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

27/08/2006 - BOL / Últimas Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Quadrilhas falsificam até contrabando de medicamentos


Além dos medicamentos oficiais falsificados, o Brasil tem registrado aumento de drogas contrabandeadas adulteradas. São os "tabajaras", no jargão policial, em geral vendidos pela internet.
Os mais freqüentes são os anabolizantes, as drogas abortivas (Cytotec) e, de novo, remédios para disfunção erétil, especialmente a cópia falsa do Viagra, o paraguaio Pramil, cuja caixa chega a custar a metade do preço do remédio oficial.
Segundo a Associação Brasileira de Combate à Falsificação, esses estimulantes forjados possuem menos de 1% do princípio ativo do medicamento verdadeiro. No ano passado, a associação recolheu mais de 12 mil cartelas de Pramil.
Em maio deste ano, a polícia de são Paulo desvendou, por meio de escutas telefônicas e investigações na internet, uma quadrilha na capital paulista que comercializava esses produtos. Pelo menos duas pessoas foram detidas e outras três estão foragidas.
Na casa de um dos acusados, havia anabolizantes para uso humano e veterinário --a maioria falsa--, rótulos, frascos e bulas. Os produtos eram misturados e reenvasados.
Anabolizantes são hormônios à base de testosterona. O exagero causa problemas hepáticos, renais e fraqueza, atacando o coração, o fígado e os rins. Em um caso mais grave, pode provocar até câncer.
R$ 1 milhão por ano Segundo o delegado Antonio Augusto Rodrigues da Silva, um dos acusados recebeu, durante uma quinzena, de 40 a 50 ligações por dia. A estimativa da polícia é que a quadrilha movimentava por ano R$ 1 milhão.
No Brasil, a venda de anabolizantes é autorizada apenas com receita médica. A reposição de testosterona no organismo masculino é indicada para alguns tipos de doenças ou para casos de defasagem hormonal.
Dados da associação Brasileira de Estudos e Combate ao Doping mostram que, nos últimos oito anos, pelo menos 18 pessoas morreram vítimas de anabolizantes --quatro delas no ano passado. A idade média é de 26 anos. Não se sabe quantas dessas mortes foram causadas por produtos falsos.
Alexandre Pagnani, presidente da associação e da Confederação Brasileira de Culturismo e Musculação, afirma que todas essas vítimas eram fisiculturistas, praticantes de lutas e de musculação.
"É um problema sério, que temos denunciado desde 1997, mas até agora não existe uma ação efetiva para coibir o contrabando desses produtos nas fronteiras, nos portos e nos aeroportos."
Ainda de acordo com ele, a aplicação de anabolizantes de uso animal tem sido grande e as forças policiais e de vigilância sanitária não conseguem conter esse mercado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 501 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal