Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

28/06/2008 - Jornal do Dia Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Advogado enrola clientes e acaba indiciado por estelionato

Por: Ivane Ramos


A Promotoria de Justiça encaminhou um caso para ser apurado pela equipe de investigações do Ciosp do Novo Horizonte, comandada pela delegada Elza Nogueira. Trata-se do envolvimento de um advogado, que atua em Macapá, que estaria auxiliando duas pessoas vítimas de acidente de trânsito quanto ao recebimento do seguro obrigatório - DPVAT.

Segundo consta no inquérito em aberto, o comerciante Iran Rangel Pinheiro, 37, e Raimundo Lima dos Santos, 24, procuraram o advogado Paulo Sandro Santarém para serem auxiliados no recebimento do seguro DPVAT, dando plenos poderes para o mesmo, através de procuração legal para que este os representasse junto ao órgão que cuida do pagamento do seguro.

O caso chegou ao conhecimento público, depois que o MPE recebeu a representação através de uma firma sediada no Rio de Janeiro, a Negrini Advogados Associados. Além de Santarém, a fisioterapeuta Raquel Taumaturgo, também está sendo indiciada, em virtude de terem sido encontradas alguns recibos com sua assinatura decorrentes de serviços prestados em uma clínica de sua propriedade para as vítimas de trânsito.

Tanto Iran Rangel quanto Raimundo Lima afirmam não conhecer a fisioterapeuta, e até hoje, não terem recebido nenhum provento com relação ao seguro DPVAT, que segundo informações repassadas pelo advogado estariam na ordem dos R$ 12 mil. As vítimas e a fisioterapeuta já foram ouvidos em depoimento, faltando somente o depoimento do causídico para dar continuação ao inquérito.

Caso seja confirmada a má-fé do profissional, ele poderá ser indiciado por estelionato, conforme o artigo 171, do Código Penal Brasileiro, e ela no artigo 302, por ter fornecido atestado falso. Há informações de que pode existir outras vítimas do golpe em Macapá.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 353 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal