Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/06/2008 - A Tarde Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Preso estelionatário que se passava por procurador do MP


O estelionatário baiano Marcelo Lima dos Anjos, de 31 anos, que já se passou pelo ex-procurador-geral de Justiça da Bahia, Achiles Siquara, foi preso, em Brasília, no último sábado, dia 21, pela Polícia Civil do Distrito Federal.

Marcelo já havia aplicado mais um golpe, e estava exercendo a função de professor voluntário e coordenador da Fundação de Estudos e Pesquisas em Administração e Desenvolvimento (Fepad) da Universidade de Brasília (UnB), após ter-se passado por advogado e ex-procurador da República, com títulos de mestrado e doutorado em Ciências Sociais.

O estelionatário só foi descoberto após um funcionário da UnB, desconfiado das titulações do suposto professor, ter encontrado em um portal de busca, uma notícia sobre sua prisão, em 2004.

As informações sobre Marcelo foram repassadas pelo Ministério Público Estadual (MP) para a Polícia Civil brasiliense, que, cumprindo mandado de prisão expedido pela 7ª Vara Criminal de Salvador, prendeu-o por tentativa de estelionato e falsidade ideológica em um apartamento da UnB. No momento da prisão, Marcelo dormia com um adolescente de 17 anos e foi autuado em flagrante por corrupção de menores.

De acordo com o MP, na Bahia, ele se apresentava como assessor ou irmão do então procurador-geral de Justiça, Achiles Siquara, quando não se passava por ele, e também utilizava o nome do cardeal arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo, para aplicar golpes.

Ainda de acordo com o MP, Marcelo usou o nome do então chefe do MP para arrecadar dinheiro junto a deputados e vereadores, além de aplicar golpes na região do Extremo-Sul. Marcelo fazia os contatos via telefone celular, dizendo ser o próprio Achiles, e ia buscar o dinheiro, apresentando-se, nessa etapa do crime, como assessor do procurador de Justiça. Ele já foi preso duas vezes e responde a quatro processos por estelionato.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 152 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal