Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

25/08/2006 - Correio Web / Folha News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Clonagem substitui roubo de cheques, afirma Telecheque


Dados de julho apresentados nesta quinta-feira pela Telecheque, empresa de garantia e verificação de cheques, indicam que aumentaram os índices de inadimplência e de cheques fraudados em relação a 2005, enquanto os roubos proporcionalmente caíram. Para José Antônio Praxedes Neto, vice-presidente da Telecheque, há migração no tipo de atividade criminosa. "O golpe deixou de ser o roubo de cheque e passou a ser a clonagem”.

O valor atribuído a cheques roubados caiu de 0,14% para 0,12% entre julho de 2005 e julho de 2006; o nível de fraudes subiu de 0,14% para 0,16% do movimento de cheques na comparação entre os períodos. Enquanto isso, os cheques sem fundos corresponderam a 2,6% dos valores medidos pela pesquisa em julho deste ano, contra 2,26% em julho de 2005.

A forma preferida dos fraudadores é a impressão de cópias em alta qualidade de cheques verdadeiros, falsificação mais difícil de identificar do que rasuras ou outros tipos de fraude. O custo aos comerciantes de dispositivos de segurança específicos para esse golpe, segundo Praxedes, é de R$ 60 por mês.

Os Estados que mais preocupam, pelo volume de fraudes, são Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, diz. Das 19 unidades federativas computadas pela pesquisa (não estão incluídos Distrito Federal, Amapá, Acre, Roraima, Rondônia, Tocantins, Piauí e Mato Grosso do Sul), os maiores crescimentos em relação a 2005 foram no Espírito Santo (1.000%) e em Alagoas (800%), regiões os níveis de fraude eram próximos de zero em 2005. Depois vêm Rio de Janeiro (367%) e São Paulo (344%). Inadimplência.

Em índices de inadimplência, São Paulo fica abaixo da média nacional -2,4% em cheques sem fundos. O índice de cheques sem fundos também cresceu menos em relação a julho de 2005 -13,21%, contra 15,04% da média nacional. Os Estados que têm os maiores níveis de inadimplência são Rio Grande do Norte (5,51% em cheques sem fundos) e Pernambuco (4,33%). "O crescimento da inadimplência foi proporcional ao do crédito", disse Praxedes. Para ele, o segundo semestre terá índices menores, pois o consumidor "faz esforço para voltar ao mercado de consumo".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 392 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal