Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/06/2008 - A Tarde Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF apura rombo de R$ 22 mi no governo de Lessa em AL


A Polícia Federal vai investigar um rombo de R$ 22 milhões na folha de pagamento do governo do Estado durante a gestão do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT). A decisão foi tomada hoje durante reunião entre o secretário estadual da Gestão Pública, Adriano Soares, o superintendente da PF em Alagoas, José Pinto de Luna, e o secretário estadual de Defesa Social, delegado Paulo Rubim. A investigação tem como base um relatório da Controladoria Geral do Estado sobre as irregularidades encontradas na folha de pagamento, onde foram constatados dezenas de casos de funcionários fantasmas - pessoas que já haviam morrido e que recebiam salários.

Segundo Adriano Soares, a entrada da Polícia Federal no caso se justifica porque - conforme o relatório apresentado - foram detectadas fraudes no que diz respeito aos repasses ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e ao Imposto de Renda. O superintendente da Polícia Federal designou o delegado Adriano Moreira de Oliveira para presidir as auditorias da folha de pagamento e dos empréstimos consignados. O secretário Paulo Rubim disse que também vai designar homens da segurança pública para acompanhar as investigações.

A fraude, conforme revelou o secretário Adriano Soares, era praticada pela Elógica RH - empresa detentora do software do sistema de confecção da folha salarial. Por causa da fraude, Adriano Soares adiantou que o contrato com a Elógica foi rescindido. Segundo o secretário, o sistema de pagamento do Estado será modificado e será aberto processo licitatório para contratação de uma nova empresa.

O superintendente da Polícia Federal classificou as irregularidades como uma "violência social", já que "pessoas recebiam do Estado sem trabalhar, impedindo que funcionários tivessem reajustes devidos". Conforme o secretário de Gestão Pública, a fraude também foi denunciada ao Ministério Público Estadual, onde está sendo investigada pelos promotores de Justiça do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc).

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 162 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal