Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

21/08/2006 - Revista Apólice Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude contra o seguro


Um ex-oficial da Marinha Mercante, Yussef Sarkis, conhecido como "Libanês", morador da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, fez três seguros de vida de valores elevadíssimos em três seguradoras: Real, HSBC e Cia. Nacional de Seguros. Por ocasião de sua suposta morte, o escritório Pellon & Advogados Associados, contestou a procedência do pedido de indenização justificando que o cadáver apresentado não era o do segurado e sim, conforme apuração dos advogados, um cadáver comprado no necrotério de Duque de Caxias. O juiz Gustavo Quintanilha de Menezes, da 26a. Vara Cível, exigia provas mais concretas quando, para a surpresa de todos, o falsário foi preso em batida policial numa favela de Niterói, comprovando a fraude. A causa foi ganha e o juiz, frente às evidências do delito, julgou improcedente a ação das beneficiárias, a esposa do fraudador, Neusa Sarkis e a faxineira Marly Jorge de Araújo.
A audácia dos fraudadores foi tanta que Yussef chegou a contratar um dos seguros no dia em que o corpo do indigente foi reconhecido como sendo o dele. Apesar de todas as evidências de fraude, as beneficiárias chegaram a entrar na Justiça contra as três seguradoras. Segundo o advogado Luiz Felipe Pellon, titular do escritório, elas queriam receber as indenizações que somadas em valores atuais ultrapassam R$ 1 milhão
A fraude está tendo desdobramentos na área policial, judicial e junto ao Ministério Público e ficou conhecida como "Máfia dos Corpos". A Justiça do Rio solicitou ao Ministério Público Estadual que investigue a suspeita de venda de corpos no Instituto Médico-Legal (IML) de Duque de Caxias. A Corregedoria-Geral da Polícia Civil abriu sindicância para saber se há funcionários do IML envolvidos no esquema. Yussef tem três passagens pela polícia e está em liberdade condicional desde 30 de junho. Condenado a sete anos e um mês de prisão por assalto a mão armada e constrangimento ilegal, o "Libanês" foi beneficiado por habeas-corpus.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 582 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal