Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

15/05/2006 - lagoinha.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Delegacia de Defraudações - Cartilha contra fraudes


A iniciativa de elaborar a presente cartilha surgiu do trabalho investigatório realizado por esta Delegacia de Falsificações e Defraudações (DEF), especializada na apuração dos crimes contra o patrimônio, que possuam a fraude como modo de execução, bem como os crimes contra a Fé Pública, onde o falso é condição para a sua realização.

O cotidiano desta Delegacia Especializada nos impulsionou a buscar uma forma de alertar as pessoas que se tornam vítimas de golpes, fraudes e contos, por motivos diversos.

Temos por objetivo evitar que pessoas incautas sejam instrumentos úteis nas mãos dos estelionatários, daí fazer-se necessário divulgar os alertas constantes desta cartilha, sem deixar de lado outras cautelas que visem a proteger a incolumidade física e o patrimônio do corpo social.

Não tivemos a pretensão de elencar todos os golpes, fraudes e contos que se apresentam nas relações sociais rotineiras, motivo pelo qual elencamos apenas os mais atuais e que possuem maior número de ocorrências, pois é da natureza humana a ousadia, inclusive para a prática de novos crimes.

Eneida Orbage de Britto Taquary Delegada-Chefe

Capítulo I
GOLPES

1.1. GOLPE DO CARTÃO CLONADO

O golpe consiste em três modalidades:
a) o estelionatário adquire um cartão em branco e a tarja magnética, e de posse dos dados da vítima ( número da conta-corrente, ou do cartão de crédito, agência e senha) fabrica um outro cartão, utilizando-o posteriormente para efetuar compras, mediante a falsificação da assinatura da vítima no comprovante de débito. O titular do cartão somente toma conhecimento desses fatos quando recebe a fatura mensal com vários lançamentos de compras por ele não realizadas.
b) os dados do cartão bancário e de crédito do cliente são clonados no ato do pagamento de compras junto a estabelecimentos comerciais, por intermédio de maquinário especialmente destinado a esse fim, utilizado por estelionatário, que dissimula a sua condição de funcionário do estabelecimento;
c) a modalidade do golpe mais recente e que vem sendo aplicada nos caixas eletrônicos consiste na introdução, pelos estelionatários, de uma fita (normalmente de filme fotográfico) no espaço destinado a inserção do cartão, provocando a sua retenção na máquina. O estelionatário oferece ajuda, pedindo que o cliente digite a senha para que seu cartão seja devolvido, momento em que a memoriza. Como o cartão continua retido, a vítima vai buscar auxílio de um funcionário da agência bancária, oportunidade em que o cartão é retirado pelo estelionatário com o auxílio de um pedaço de ferro, clonando-o em máquina própria, colocando-o novamente no caixa eletrônico. O cliente com a ajuda do segurança do banco retira o cartão, desconhecendo que o mesmo foi clonado, somente tomando conhecimento quando confere seu extrato bancário e verifica que saques foram realizados por terceiros.

COMO EVITAR
1 - Ao realizar uma compra com cartão de crédito procure não perder de vista o seu cartão, acompanhe o funcionário até a máquina de sua administradora onde será feita a operação e, após, rasgue e não apenas amasse e jogue no lixo o papel carbono existente no boleto impresso pela máquina.
2 - Ao fazer qualquer operação no caixa eletrônico, observe se há alguma pessoa em sua proximidade e peça para que se afaste. Não aceite ajuda de desconhecidos, somente de funcionários devidamente identificados com crachá.
3- Caso seu cartão magnético fique retido no caixa eletrônico, não digite sua senha para tentar retirá-lo, tecle ANULA para cancelar a operação e chame imediatamente um funcionário do Banco, por intermédio de um terceiro. Não permita que desconhecidos se aproximem do caixa e não digite sua senha na presença de estranhos . NUNCA ABANDONE O CAIXA ELETRÔNICO COM O SEU CARTÃO RETIDO NO TERMINAL.

1.2. GOLPE VIA INTERNET
O estelionatário passa um “E-mail” para o navegante da internet, informando que ele foi premiado com “algo” e basta que digite sua senha para receber o prêmio. O internauta digita sua senha e não recebe prêmio algum, mas o estelionatário sim, pois copia a senha da vítima e a utiliza para fazer compras, navegar na internet e obter informações pessoais e bancárias.

COMO EVITAR
Nunca forneça sua senha de acesso a qualquer pessoa, nem mesmo via internet.

1.3. GOLPE DO CELULAR CLONADO
Estelionatário, passando-se por funcionário da empresa concessionária de telefonia celular, liga para o aparelho celular da vítima dizendo que foi detectado um defeito naquele, solicitando imediatamente que esta digite um número por ele fornecido, e com esta simples ação, clona o número da linha e a utiliza de forma indiscriminada, realizando ligações interurbanas e internacionais. A vítima somente toma ciência do golpe quando recebe a conta telefônica em sua residência e verifica que o valor do débito não corresponde a ligações por ela realizadas.

COMO EVITAR
Ao receber um telefonema como sendo da sua ou de qualquer outra operadora de telefonia celular, não forneça dados pessoais ou digite quaisquer números, sem antes verificar se a solicitação é proveniente da referenciada operadora.

1.4. GOLPE DO CARTÃO TROCADO
O estelionatário, dissimulando-se cliente do banco, fica na fila do caixa eletrônico e oferece ajuda à pessoa que apresenta dificuldades em operar a máquina. Ensina como operar o caixa eletrônico e memoriza a senha digitada pela vítima. Retira rapidamente o cartão, trocando-o por outro da mesma agência. A troca de cartões só é percebida tempos depois e, nesse intervalo, o estelionatário já efetuou vários saques na conta corrente da vítima.

COMO EVITAR
Nunca peça ou aceite ajuda de desconhecidos que se encontram junto aos caixas eletrônicos. Caso tenha dificuldades em realizar a operação, chame um funcionário do banco.Observe sempre, após encerrar a operação, se o cartão que tem em mãos de fato é o seu.

1.5. GOLPE DO CARTÃO COM A TELA ABERTA
O estelionatário trava as teclas de operação do caixa eletrônico e quando a vítima se aproxima e introduz o cartão na máquina, digitando a senha e solicitando o serviço desejado (saque, extrato, transferência eletrônica, etc.), não consegue efetuar a operação. O estelionatário, de pronto oferece ajuda, orientando a vítima a retirar o cartão e procurar outro caixa disponível, já havendo memorizado a senha. A vítima se dirige a outro terminal, não encerrando a operação, deixando a tela do computador aberta, com seus dados bancários. O estelionatário destrava as teclas, e efetua quaisquer operações na conta corrente da vítima, saindo imediatamente do local, antes que a vítima constate o prejuízo que lhe foi causado.

COMO EVITAR
Solicite imediata orientação de um funcionário da agência bancária, quando o caixa eletrônico apresentar qualquer defeito. Nunca aceite ajuda de pessoas estranhas, independentemente de ter conseguido realizar a operação no caixa. Após o término da operação sempre aperte a tecla CANCELAR, e somente deixe o local quando a tela do computador reiniciar a operação.

1.6. GOLPE BOA NOITE CINDERELA
Moça ou rapaz falante e de boa aparência se aproxima da vítima, que normalmente está em um bar ou restaurante, intensificando um bom “papo” e, ao final da noite, oferece um chiclete ao novo amigo ou amiga, no qual contém uma droga ainda não identificada. Depois de alguns minutos da ingestão da substância, a vítima entra em sono profundo, assim permanecendo até por mais de um dia, tornando fácil a subtração de objetos, como carro, jóias, dinheiro e cartões de crédito. Outras vezes, a droga utilizada na ação delituosa é posta dentro de uma bebida, que ao ser ingerida pela vítima causa coma e sonolência de imediato, tendo seus pertences subtraídos. O criminoso que não consegue drogar a vítima usa de violência para que ela forneça a senha, possibilitando os saques em sua conta-corrente.

COMO EVITAR
Não se deixar levar pelas aparências, pois moças e rapazes bonitos podem esconder um delinqüente. Não aceite ofertas de cigarros, balas, chicletes e muito menos de bebidas. Fique sempre atento às conversas e pessoas que estejam ao seu redor ou que lhe solicitem algo. Evite receber pessoas estranhas em sua casa. Não se exponha inutilmente. Todavia, se recebê-las em sua casa, o faça de forma que sejam vistos pelo zelador, porteiro ou vigia, bem como anote o número da placa do carro utilizado pelo desconhecido, ou quaisquer dados que possam identificá-lo futuramente.

1.7. GOLPE DO CONSÓRCIO SORTEADO
Os estelionatários anunciam nos jornais de grande circulação vendas de ágios de consórcios sorteados, com a informação de que foram contemplados diretamente pela fábrica de automóveis. É solicitado ao interessado o envio, via FAX, de cópia de documentos pessoais para a realização de contrato e o pagamento de uma taxa de baixo valor para a transferência de titularidade do referido consórcio.

As vítimas recebem cópia do suposto pedido do veículo junto à fábrica e da nota fiscal, e efetuam o pagamento, mediante o depósito de certa quantia como pagamento do veículo, em conta corrente do estelionatário, normalmente em agências de São Paulo. Em geral as contas correntes são abertas com documentos falsos ou em nome de “laranjas” - pessoas ingênuas que emprestam suas contas bancárias para recebimento das “taxas” . Os contatos telefônicos são feitos por meio de aparelhos celulares pré-pagos (celular de cartão) ou celulares convencionais adquiridos de forma ilícita (com documentos falsos).

COMO EVITAR
JAMAIS ADQUIRA VEÍCULOS EM OUTROS ESTADOS, MEDIANTE ANÚNCIOS EM JORNAIS,SEM VISTORIAR O VEÍCULO.
Não pague qualquer taxa antes de receber o veículo desejado e de preferência, adquira consórcio de empresas estabelecidas no Distrito Federal, após consultar o PROCON, a DECOM e demais órgãos de proteção ao consumidor, bem como o Banco Central, a quem cabe autorizar e fiscalizar os consórcios nacionais.

1.8. ABERTURA DE CONTA CORRENTE COM DOCUMENTOS FALSOS
Estelionatários bem vestidos e de boa aparência procuram agências bancárias propondo abertura de uma conta corrente, apresentando carteira de identidade, CPF, contracheque e comprovante de residência falsos, e após análise e aprovação pelo Banco, solicitam cheque especial ou empréstimo que é concedido. Após desaparecem, não sendo localizados nos endereços e referências fornecidos, vez que são falsos.

COMO EVITAR
A gerência do Banco procurado deverá checar todas as informações apresentadas pelo pretenso cliente, verificando junto ao órgão ou empresa onde a pessoa diz trabalhar se realmente ela pertence aos quadros funcionais da empresa ou repartição, bem como averiguar na Receita Federal, o número do CPF apresentado e, em caso de dúvida, entrar em contato com esta Delegacia Policial.

1.9. GOLPE DO EMPRÉSTIMO
Estelionatários, por meio de anúncios em jornais, oferecem empréstimos sem burocracia e sem avalistas, passando-se por funcionários de agências bancárias ou financeiras com sede em outros Estados, induzindo as vítimas a encaminhar, via FAX, cópias de documentos pessoais para abertura de cadastro. Após, simulando a aprovação do cadastro, entram em contato com a vítima solicitando o depósito em conta corrente do estelionatário, geralmente em bancos de outros Estados, dez por cento do valor pretendido, a título de juros e taxas de cadastro. Efetuado o depósito, a vítima não mais consegue contato com a empresa, aguardando a liberação do empréstimo, que jamais receberá.

COMO EVITAR
Jamais negociar empréstimos de qualquer natureza com entidades fora do Distrito Federal, fornecendo seus dados pessoais e bancários a estranhos.

Caso pretenda tomar empréstimos desta natureza, entre em contato com a agência bancária ou financeira, por intermédio de telefones fornecidos pela empresa de telefonia onde se localizam tais instituições, verificando, ainda, junto ao Banco Central (a quem cabe autorizar e fiscalizar empresas deste porte) a situação da entidade prestadora do serviço.

1.10. CONSÓRCIO DE CASA PRÓPRIA
Empresas fictícias anunciam nos classificados de jornais da cidade consórcios de casas próprias ou financiamentos para reformas de imóveis, induzindo a vítima a ingressar em grupos do consórcio, mediante o pagamento antecipado de taxas de administração, de contrato, e outras equivalentes aos valores desejados do financiamento, bem como o pagamento mensal de cotas pelo período mínimo de doze meses.

Decorrido o prazo para o recebimento do imóvel ou o financiamento para reformas, a “empresa” simplesmente fecha as portas e seus proprietários desaparecem com todo o dinheiro arrecadado.

COMO EVITAR
Antes de preencher qualquer proposta visando a integrar um grupo de consórcio manter contato com o PROCON, DECON e Banco Central, visando buscar informações quanto à idoneidade e legalidade da empresa prestadora do serviço, juntando documentos que possam futuramente comprovar toda a transação realizada.

1.11. GOLPE DA CAPEMI, MONTEPIO E ENTIDADES ASSEMELHADAS
A vítima recebe um telefonema do estelionatário, que se atribui à qualidade de funcionário de associações ou empresas de previdência privada, informando que existe um saldo em sua conta corrente e oferecendo o saque imediato, mediante o depósito correspondente ao pagamento de dez por cento do valor que a vítima tem a receber, em conta corrente indicada pelo estelionatário.

Após estar de posse de todos os dados da vítima como nome, CPF, endereço, número da conta, etc. o estelionatário deposita na conta corrente da vítima um cheque furtado/roubado, que fica bloqueado por mais de vinte e quatro horas.

A vítima verifica por intermédio de seu saldo que o depósito do valor informado pelo estelionatário foi realizado. Efetua, então, o depósito na conta do estelionatário e após alguns dias verifica que o cheque depositado em sua conta foi devolvido por ser produto de furto ou roubo.

COMO EVITAR
Jamais informe seus dados pessoais ou de sua conta corrente a estranhos, ainda que visando receber valores que porventura tenha direito.

Verifique sempre se aquela pessoa que se identifica como funcionário realmente pertence à empresa ou instituição referida, inclusive com o auxílio da lista telefônica, entrando em contato direto com a empresa ou instituição.

1.12. GOLPE DO BILHETE LOTÉRICO PREMIADO
Estelionatário, passando-se por um matuto (pessoa de pouco conhecimento), dizendo-se de outro Estado, procura informações sobre o endereço de uma casa lotérica ou banco da Caixa Econômica Federal para receber um prêmio, por ter ganhado na loteria. Aborda uma pessoa, em especial mulher idosa, e mostra o bilhete premiado (falso), juntamente com uma listagem da Caixa Econômica Federal, onde consta o número do bilhete sorteado, sendo a lista também falsa.

A vítima, depois de envolvida na encenação feita pelo falso matuto (estelionatário), o acompanha até a casa lotérica para receber o prêmio, momento em que lhe oferece o bilhete por um preço irrisório e, logo após, a vítima, de pronto, aceita e saca de sua própria conta bancária o valor combinado e entrega-o em troca do bilhete sorteado. O estelionatário, após ter efetuado a transação com pleno êxito, deixa imediatamente o local em que se encontra, saindo a vítima à procura da agência da CEF ou casa lotérica mais próxima, onde constata que o bilhete é falso e que foi enganada.

COMO EVITAR
Evite conversar com estranhos na via pública. Por mais ignorante que seja, ninguém vende um bilhete premiado de loteria a outrem, levando desvantagem. Antes de “fechar o negócio”, leve o bilhete e a listagem até uma agência da CEF para conferência.

1.13. GOLPE DA VENDA DO TOCA-FITAS
Estelionatário oferece à vítima um belo e barato toca-fitas e, após combinarem o preço e fecharem o negócio, ele diz que vai até o carro para buscar o aparelho ainda lacrado na caixa. Retorna minutos depois e entrega à vítima uma caixa fechada, recebe o dinheiro e sai rapidamente do local. Ocorre que ao abrir a caixa que presumidamente deveria conter o toca-fitas, a vítima encontra um tijolo ou objeto com peso idêntico ao do aparelho de som que imaginava ter adquirido.

COMO EVITAR
Antes de fechar o negócio e pagar a mercadoria, abra a caixa e examine o seu conteúdo, ou seja, o que está adquirindo.

1.14. GOLPE DO FALSO GERENTE DE BANCO
Estelionatário ou ladrão, passando-se por funcionário do banco, após organizar a fila, recolhe dos clientes as guias de depósito com dinheiro, pedindo que aguardem o recibo por alguns instantes e sai rapidamente do local.

COMO EVITAR
Mesmo abordado por pessoa que se diga gerente da agência bancária, não entregue dinheiro em mãos de estranho dentro do banco e, na dúvida, procure um funcionário.


Capítulo II
FRAUDES

2.1. FRAUDE BANCÁRIA COM TRANSFERÊNCIA ELETRÔNICA
O estelionatário liga para um correntista de um determinado banco, passando-se por gerente ou funcionário da tesouraria, informando-o de que existe um saldo a ser creditado na conta da vítima, referente a erros contábeis quando do desconto do CPMF.O golpista solicita que a vítima digite pelo computador ou no próprio telefone o número de sua conta corrente e da senha, que é gravada pelo estelionatário. De posse de tais dados, efetua transferências via internet de todo o saldo existente na conta da vítima para uma outra conta-corrente aberta com documentos falsos ou pertencentes a “laranjas” para o recebimento dos depósitos.

COMO EVITAR
Jamais forneça senha, CPF, número de conta corrente ou qualquer dado pessoal pelo telefone.

Ao receber um telefonema de pessoa se dizendo funcionário da agência bancária na qual você possua conta corrente ou de qualquer outra, solicitando dados pessoais ou bancários, não os forneça. Desligue o telefone e imediatamente entre em contato com sua agência, por meio de telefones existentes no talonário de cheques.

2.2. TRANSFERÊNCIA “ON LINE” ENTRE AGÊNCIAS
Sofisticado golpe em crescimento no Distrito Federal e grandes capitais. Ocorre com a participação de funcionários ou ex-funcionários de agências bancárias, conhecedores dos sistemas de computação, que acessando os dados de determinada conta-corrente ou poupança de clientes, efetuam transferências ou saques.

COMO EVITAR
Fiscalize constantemente suas contas por intermédio de extratos ou consultas via telefone .

O correntista deve manter rígido controle da sua movimentação bancária para detectar algum problema o mais rapidamente possível.


Capítulo III
CONTOS

3.1. CONTO DO PACO “CHEQUE ACHADO” ou “PACOTE DE DINHEIRO”
Os estelionatários observam que determinada pessoa saca elevada quantia em dinheiro em um banco e a seguem.

Um deles deixa propositadamente cair uma folha de cheque de alto valor, ou um pacote de dinheiro falso, visando chamar a atenção da vítima, que apanha o cheque ou o pacote e devolve ao estelionatário, que segue a sua frente, pensando estar ajudando. O outro estelionatário, que já havia planejado o crime, aproxima-se e diz que também viu o acontecido.

Neste momento, o estelionatário “descuidado” se diz agradecido e oferece uma recompensa à vítima e ao comparsa, dizendo que eles deverão comparecer a um escritório, levando um bilhete para receber dita recompensa. Entretanto, solicita à vítima que deixe a bolsa com todo o dinheiro que tiver, como garantia de seu retorno. A vítima entrega sua bolsa com dinheiro e vai buscar sua gratificação, ao ser incentivada pelo outro estelionatário que simula a entrega de alta quantia em dinheiro.

Somente percebe que foi vítima de um golpe quando os estelionatários já desapareceram.

COMO EVITAR
Jamais confie em estranhos que lhe abordem na rua, entregando sua bolsa, contendo documentos e dinheiro.


Capítulo IV
4. DICAS BANCÁRIAS

1 - O número de sua conta e senha bancárias são sigilosos, não deixe que pessoa alguma tome conhecimento;
2 - Procure variar horários para realizar operações no caixa eletrônico, evitando a rotina.
3 - Não carregue dinheiro ou cheque nos bolsos da roupa ou em mochila nas costas. Traga-os em pochete, na frente. Procure estar com as duas mãos desocupadas.
4 - Porta de banco é ponto de ladrão, cuidado! Este é um local onde tudo pode acontecer.
5 - Estando na fila, despreze todo tipo de aproximação com estranhos. Cuidado com as cortesias.
6 - Funcionário da casa, mesmo estando com crachá, deve ser visto com cautela.
7 - Jamais saia do banco com qualquer pacote nas mãos, pois chama atenção dos golpistas.
8 - Ao fazer pagamentos, veja se todos os canhotos foram autenticados ou carimbados pelo funcionário da agência.
9 - Ao pegar seu extrato, verifique minuciosamente todos os lançamentos e, em caso de dúvidas, procure imediatamente o gerente. 10 - Se extraviar, ou algo errado ocorrer com seu cartão bancário, promova urgentemente seu bloqueio e comunique o fato à Delegacia mais próxima.


Capítulo V
5. DICAS AOS COMERCIANTES

• Ao receber cheques verifique a assinatura com o documento apresentado, telefone para a residência ou número mencionado e não aceite cheques de terceiros.
• Os cartões de crédito devem ser verificados também. Verifique se não há bloqueio junto à administração ou peça o telefone para contato com o proprietário do cartão.
• Devolva ao cliente o carbono com os dados para que ele rasgue. • Não deixe o estabelecimento comercial com um só funcionário atendendo o balcão e o caixa. Pode ser um chamariz para o ladrão ou estelionatário.
• Cheque todos os dados cadastrais do cliente, antes de entregar a mercadoria. Caso não seja possível, solicite referência pessoal, fazendo contato de imediato com o número informado.
• Não aceitar cheques previamente assinados ou preenchidos. Caso aceite, solicitar a assinatura no verso, idêntica à constante da identidade.
• Jamais deixe de consultar os órgãos de proteção ao crédito.
• Caso identifique atitude suspeita por parte de um provável “cliente”, acione a segurança do estabelecimento ou solicite auxílio desta DP pelos telefones 361-9737 ou 362-5905.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 12934 vezes




Comentários


Autor e data do comentário: ana maria embrizi - 03/01/2012 09:16

Informo que na data de 15/09/2011, efetuei uma compra de um mini netbook do magazine jeito de ser, cujo o cnpj da empresa é o 03.390.307/0001-34, cuja responsável é a Sra Cristiane Vieira Guimaraes Ramos, onde so recebi a mercadoria no dia 29/11/2011 ou seja 74 dias depois do pagamento e de varios e mails encaminhado e ameaçando ir a delegacia e ao procon denuncia-los posterior a compra recebi a mercadoria faltando o adaptador para ligar o aparelho, fiquei 15 dias procurando um lugar na cidade de Campinas (onde resido) que pudesse achar este adaptador, quando achei qual foi minha surpresa? simplesmente o aparelho não ligou ou seja não funciona.
Bem ontem dia 02/01/2011, depois de várias tentativas consegui ser atentida pela Sra Margareth que se diz funcionária da Sra Cristiane dizendo para encaminhar o aparelho que será mandado outro, segundo o endereço que foi postado o sedex é na Rua: Guaraparim, 490, loja A, Tabuleiro,Camboriu, Santa Catarina, cep. 88.340-000, ja o clube do desconto me encaminhou um email pedindo para encaminhar o produto para Av. Atlantica, nª 640/506, Centro, Camboriu, Santa Catarina Cep: 88330-006, ou seja ate o endereço esta duvidoso, pois localizei atraves de google maps e o primeiro endereço consta uma empresa quimica e no segundo é um condominio de apto e tambem de agencia de turismo, imobiliaria, portanto nenhum dos dois endereço esta definindo algo.
Gostaria de saber que providencias tomar com relação a esta empresa.

Grata

Ana Maria Embrizi
Campinas - SP


Autor e data do comentário: nedeli polastrini - 10/12/2011 16:33

Gostaria de saber o que faço, minha nora comprou com o seu cartão uma mercadoria do site MAGAZINE JEITO DE SER, neste site eles dão os seguintes telefones 047 84484259 - 047 96571200 - 011 62194357 e 047 33440614 COM CRISTIANE VIEIRA GUIMARÃES RAMOS só que esses tel, uns não existem outros 2 só chamam e ninguem atende pelo dia inteiro, nós queriamos pelo menos o código de acesso para rastrearmos onde esta a mercadoria que nem isso eles mandaram ate agora não recebemos a mercadoria, não conseguimos falar com ninguém, mas já estamos pagando o cartão que fazer por favor, onde posso recorrer, creio ser trambique mas agora estamos de mãos atadas. Um forte abraço a quem puder me ajudar.Obrigado


Autor e data do comentário: Ary Costa Neto - 21/08/2010 12:39

ATENÇÃO Golpe com supostos recebimentos de benefícios Ministério da fazenda. Suposta Dra. Maria Eliza Saldanha, Coronei Rogerio Correa, DDD 031 telefone SKYPE. Tentaram com meu pai. ALO POLÍCIA !


Autor e data do comentário: Wanderley - 14/08/2010 20:52

Vai ser bem dificil responsabilizar um banco por uma coisa na qual o banco não teve participação alguma e que seu pai fez espontaneamente. O banco não tem como prever qual uso vai ser feito de uma determinada conta quando aberta... Seria como responsabilizar a Taurus porque um bandido deu um tiro em alguem com uma arma deles ... ou a Fiat porque alguem atropelou um pedestre com um carro deles ... ou o banco central porque traficantes usam o dinheiro feito pelo BC pra negociar drogas !!
Por sinal não tenho notícia do fato que os bancos sejam obrigados a investigar contas correntes ou clientes ... a menos (e somente depois) que existam operações suspeitas ou denuncias.
Quando da abertura de uma conta tudo o que é obrigatorio é ter RG, CPF e comprovante de residencia. Todos documentos que, no sistema atual, são reconhecidamente muito faceis de serem falsificados e não podem (pois não existe um meio oficial e 100% confiavel) ser verificados de forma segura.
O sistema é falho infelizmente ... reclame com o Lula !!


Autor e data do comentário: MARCOS - 13/08/2010 17:59

MEU PAI CAIU NO CONTO DO SEQUESTRO E DEPOSITOU, EM DINHEIRO, VALORES EM 2 BANCOS (SANTANDER E BANCO DO BRASIL). GOSTARIA DE SABER SE OS BANCOS TEM ALGUMA RESPONSABILIDADE CIVIL SOLIDÁRIA COM O PREJUÍZO, POIS MEU PAI É CLIENTE DOS 2 BANCOS. ACREDITO QUE HOUVE FALHA NA ADMINISTRAÇÃO, QUANDO DA ABERTURA DAS CONTAS, QUE DEVERIAM SER MELHOR INVESTIGADAS, COMO LÍ EM UM COMENTÁRIO NESSE SITE. OBRIGADO E AGUARDO RETORNO.


Autor e data do comentário: Marcelo - 09/07/2010 13:20

Acabaram de tentar o golpe da CAPEMI com a minha sogra.
Ligou uma tal Dra Maria Luiza (provavelmente é o nome real de uma advogada inscrita na OAB), do telefone 31 3088-1201 solicitando um depósito de 2 mil reais. Ela passou também o nome do Coronel Rogério Correia, telefone 31 3051-1948.
Liguei para esses números e não quiseram passar maiores detalhes, ou seja, golpe.
Tomem cuidado.


Autor e data do comentário: Tiozinho - 14/06/2010 11:01

TEM UM PILANTRA DIZENDO PAGAR BOLETOS PELA METADE DO PREÇO, MAS E UM SACANA CUIDADO E NAO CAIAM NO GOLPE.
senhaspriv8@hotmail.com
senhaspriv8@hotmail.com
senhaspriv8@hotmail.com
senhaspriv8@hotmail.com
CUIDADO É GOLPE


Autor e data do comentário: juliana - 16/06/2009 11:59

Esta empresa está atuando nos mercados (recebe e não entrega produtos)
mtas vítimas
adriana maria de jesus gsm.lentes@hotmail.com

banco caixa enconomica federal ou casas lotericas

agencia . 1209
operacao . 013
conta. 6792-0
nome . eraldo Alves
SEDEX NORMAL 33,56 PRAZO DE CHEGADA 2 DIAS CORRIDO).
Já solicitamos ao vendedor GSM..LENTES que envie o produto.

informo nomes

PAGAMENTO FACILITADO PARA VOCÊ DEPOSITO NOS BANCOS ASSOCIADOS A GSM LENTES CAIXA ENCONOMICA FEDERAL PODENDO SER NAS CASA LOTERICAS OU BANCO DO BRADESCO PODENDO SER NAS AGENCIAS DOS CORREIOS OU BANCO DO BRASIL PROMOÇÂO MSN (gsm. lentes@hotmail. com) PARA AS PRIMEIRA 100 COMPRAS COM MAIS 10,00 LEVE KIT DE LINPEZA COMPRAS ACIMA DE 100,00 REAIS SEDEX GRAIS AGUARDO SUA COMPRA E AGUARDE A LIGAÇÃO DA GSM LENTES ....
GSM LENTES LTDA
MSN (gsm. lentes@hotmail. com)
Coronel João Sá - BA
Localidade: Coronel João Sá, BA

0xx79 9960-0527


Autor e data do comentário: Edilea de Melo - 12/05/2009 23:38

Gostaria de saber se posso registrar na delegacia de defraudacoes, o que me ocorreu, apos dar nas maos de um medico para que fosse realizada uma cirurgia 3.000,00(treis mil reais) foi assinado um contrato , e o mesmo dizia poder haver desistencia dentro de 7 dias e com recebimento integrau do dinheiro, dentro desses 7 dias tivemos PESSIMAS Informacoes sobre esse Medico, fui ate a Clinica e avisei da desistencia com o FUNCIONARIO de nome JORGE, o mesmo me disse que estava tudo bem e que retornassemos dentro de 3 dias para pegar nosso dinheiro , ao passar os 3 dias esse MEDICO diz que perdemos o prazo para desistencia , tudo tramado pois ja fizeram isso com outrs pessoas , nos sentimos revoltadas , com o comportamente desse tipo vindo de um MEDICO que deveria merecer todo mnosso RESPEITO, Sei que colocarei na JUSTICA porem e muito lenta preciso ,e e JUSTO termos nosso dinheiro agora , pois nao consigo agreditar que esse medico precise do DINHEIRO de um POBRE que consequiu esse dinheiro atravez de rateio, para usar em pro dele .POsso registrar esse FATO ai nessa DELEGACIA, tenho todos os dados desse MEDICO.CRM ENDERECO etc...



O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal