Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

17/08/2006 - Campo Grande News Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Homem é acusado de golpes em MS e em outros Estados

Por: Nadyenka Castro


José Dias de Castro está sendo acusado de praticar golpes financeiros em diversos estabelecimentos comerciais de Mato Grosso do Sul e até de outros Estados, conforme informou a Polícia Civil, que investiga o caso. De acordo com denúncias feitas à Polícia, o calote aplicado por ele é no mínimo de R$ 73 mil.

Desde a semana passada, seis comerciantes já denunciaram Castro a Polícia. Ele fazia compras em nome da Importadora e Exportadora Daroeira, empresa que conforme o contador Gilson Mário Almeida de Resende, foi adquirida por ele no fim de 2004, não sendo alterada a razão social.

Fato que facilita a aplicação de golpes, já que a Casa Aroeira LTDA., era uma empresa sem restrições. Devido a confiança adquirida com a empresa desde 2004, a Sertão Comercial de Equipamentos LTDA, passou a vender para Castro, compras no valor de R$ 15.255,47 feitas desde 10 de julho deste ano, que deveriam ser pagas em boletos bancários.

Outra empresa vítima do golpe é a Moderna Móveis e Serviços LTDA. No local, Castro fez compras no valor total de R$ 14.655 e pagou apenas R$ 2.741. Essas duas empresas comunicaram o fato à Polícia na semana passada. Nesta, mais cinco estabelecimentos comerciais registraram boletim de ocorrência.

A Alvorada Materiais de Construção teve prejuízo de R$ 23.046,56, sendo que a última compra feita por Castro foi no dia 30 de junho. À Vitória Comércio de Tintas, o acusado de estelionato está devendo R$ 9.055 e à Madeplac Comercial Madereira, R$ 11.488,10.

Ele tem dívida ainda com a Fraks Locação de Roupas para Festas, onde esteve com a família, pagou R$ 550 à vista pelo aluguel de roupas, porém não as devolveu e a multa até ontem estava em R$ 2.450.

Castro também tem dívidas com o contador que prestou serviços a ele durante o ano de 2005. O débito de R$ 1 mil só não é mais alto porque o acusado fazia pagamentos de pequenos valores.

Todas as vítimas procuraram por Castro no endereço informado por ele nos cadastros, mas ninguém o encontrou era a sede da empresa, que fica na Rua João Lemes de Rezende, Jardim Itamaracá. A proprietária da Fraks, Ana Maria Salomé Rodrigues, chegou a procurá-lo no endereço que disse ser da casa dele: Rua Pio Rojas, bairro Monte Castelo. Mas também não o localizaram.

A reportagem tentou entrar em contato com o acusado através dos telefone que ele informou às vítimas, mas também não o encontrou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 508 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal