Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

02/06/2008 - A Tarde Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dono de fazenda desviava mais de 30 mil litros de água por dia

Por: Juscelino Souza


Um “gato”, ligação clandestina de água que consumia mais de 30 mil litros por dia na irrigação de lavouras de banana, feijão, mandioca, hortaliças, foi detectado pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) na zona rural de Candiba, município do sudoeste baiano a 820 km de Salvador.

O volume fraudado por dia é suficiente para abastecer 75 famílias de cinco pessoas cada durante um mês. A operação da Embasa foi provocada por meio de denúncia anônima ao 0800 555 195.

As informações levaram os técnicos do órgão, com apoio da Polícia Militar, à Fazenda Muzelo pertencente a Antônio Sobrinho Prado. O "gato" era feito com tubo de 60 milímetros de diâmetro. O proprietário está desaparecido e até o momento não foi localizado.

"Em mais de 33 anos de atividade nesta área nunca presenciei uma fraude deste porte", afirmou o representante da Embasa, Nelson Nilo da Cunha. Segundo ele, até então as ligações clandestinas encontradas pelos técnicos eram feitas com canos de 20 milímetros, três vezes menor que o “gato” na Muzelo.

A PM vasculhou a área e descobriu sinais de recente irrigação, mas não localizou pessoas na fazenda. Não houve registro de prisão em flagrante, porém o proprietário será intimado a prestar depoimento na Delegacia de Polícia e pagar multa por todo o consumo utilizado na irrigação.

A Embasa ainda não calculou o volume usado, nem informou há quanto tempo o desvio era feito. O proprietário da fazenda ainda deve responder judicialmente pelo crime praticado.

As penas para crimes contra a administração e serviços públicos variam de 1 a 4 anos em caso de furto simples, ou de 2 a 8 anos no caso de furto qualificado, quando há desvio com mecanismos sofisticados e até com o auxílio da Engenharia.

Este é o caso da propriedade flagrada. De acordo com os técnicos, após a vistoria, como se fosse a coisa mais natural do mundo, o proprietário da Muzelo montou um completo sistema de irrigação com centenas de metros de canos, registros, bomba e até uma caixa d'água de 50 mil litros.

“Tudo para molhar vários hectares de plantações de bananas, feijão, mandioca, entre outras culturas, enquanto uma população estimada em mais de 150 mil habitantes corre o risco de ficar sem o precioso líquido até para beber”, lamentou Cunha.

A gravidade da fraude é ainda maior devido ao risco de colapso no abastecimento de água na região, abastecida pela Barragem de Ceraíma, única fonte de abastecimento para os municípios de Guanambi, Pindaí e Candiba.

Localizada a 15 km de Guanambi, Ceraíma chegou ao nível mais crítico desde que foi inaugurada, há 42 anos. Dos 58 milhões de metros cúbicos de água, restam pouco menos de oito milhões, volume que a cada dia é reduzido drasticamente. O volume que resta está a menos de 60 centímetros de altura.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 202 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal