Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

30/05/2008 - JB Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MA: condenadas 14 pessoas por crime contra INSS


SÃO LUÍS - A Justiça Federal do Maranhão condenou 14 pessoas por crime contra a Previdência Social. As condenações vão de dois anos de reclusão e 26 dias-multa em regime aberto a seis anos de reclusão e 333 dias-multa em regime semi-aberto. A decisão é fruto de denúncia do Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA).

São elas: Bartolomeu Menezes Neto, João Bispo Coelho, João da Cruz Ponçadilho, José Bento Ribeiro Costa, Raimundo Adrião Filho, Margarido Ponçadilho Sá, Antônio Araújo Pereira, Antônio de Moraes Rego, Raimundo Nonato Pereira de Oliveira, Urias Pinheiro, Domingos de Almeida, Ludgero Dias Rodrigues, Iranilde da Ascenção Amaral e Maria das Dores Silva Rodrigues.

Bartolomeu Menezes Neto, João Bispo Coelho, João da Cruz Ponçadilho, José Bento Ribeiro Costa, Raimundo Adrião Filho e Margarido Ponçadilho Sá foram beneficiários diretos da fraude. Os réus obtiveram do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) seguro previdenciário por acidente de trabalho de forma fraudulenta. Eles declaravam terem sofrido acidentes de trabalho que nunca ocorreram, bem como que trabalhavam em empresas nas quais nunca foram empregados.

Antônio Araújo Pereira intermediava as fraudes, uma vez que atuava arregimentando pessoas para se habilitarem e receberem os benefícios, por meio de comunicações de acidente de trabalho (CATs) falsas. Antônio de Moraes Rego, servidor da INSS, e que exercia, à época dos fatos, a função de chefe do setor de acidente de trabalho, facilitava e se beneficiava com as fraudes. O médico Raimundo Nonato Pereira de Oliveira participou do esquema fraudulento, atestando falsamente as ocorrências de acidentes de trabalho.

Quanto aos dirigentes e funcionários do Sindicato dos Arrumadores de São Luís (SASL), Urias Pinheiro (presidente), Domingos de Almeida (tesoureiro), Ludgero Dias Rodrigues (secretário) e Iranilde da Ascenção Amaral (empregada) assinaram, em nome da entidade e a favor dos beneficiários da fraude, as CATs falsificadas. Maria das Dores Silva Rodrigues (Empresa Marajó) assinou as CATs, afirmando falsamente que os beneficiários trabalhavam nessas empresas, o que foi negado por todas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 213 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal